Seguir o O MINHO

Região

Barcelos, Famalicão, Guimarães e Esposende no ‘top’ nacional da eficiência financeira

Barcelos é líder no Minho

em

Câmara de Barcelos. Foto: O MINHO (Arquivo)

Barcelos é o concelho do distrito de Braga com melhor eficiência financeira, segundo o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses relativo à atividade de 2019, hoje tornado público. Famalicão, Guimarães e Esposende são as outras cidades do distrito que aparecem no ranking global dos 100 municípios mais financeiramente mais eficientes. O município de Braga não entra na lista, que também não conta com nenhum município do Alto Minho.

No ranking dos grandes municípios que incluem a lista Barcelos surge em 11.º com 1.207 em 1900 possíveis, subindo em relação aos anos anteriores: 2018 (14.º) e 2017 (12.º).

Segue-se Famalicão em 16.º com 952 pontos, mantendo a mesma posição dos últimos dois anos.

Guimarães surge em 17.º com 855 pontos, melhorando de posição em relação aos dois anos anteriores em que classificado em 19.º.

Por fim, na lista de cidades médias, Esposende surge em 31.º (4.º a nível distrital) com 839 pontos.

Em comunicado, a autarquia de Esposende já relevou o facto de renovar “o estatuto de melhor município de média dimensão do Minho”, ocupando o segundo lugar na região Norte, “sendo apenas ultrapassado por Bragança, mas este município com o estatuto de capital de distrito”.

“Também a empresa municipal Esposende Ambiente consegue o 26.º posto, entre entidades do Sector Empresarial Local (SEL) com menor Passivo Exigível em 2019. Desde 2013, Esposende foi por quatro vezes consecutivas o município com melhor desempenho financeiro no distrito de Braga, o que demonstra uma gestão criteriosa e uma preocupação permanente com a saúde financeira do município”, salienta ainda a autarquia.

Ranking é liderado pelo Porto

A pontuação máxima foi obtida pelo Porto, com 1.744 pontos em 1.900 possíveis, seguido de Lagoa (1.681), no Algarve, e Arronches (1.635), no distrito de Portalegre, municípios que lideram as listas dos concelhos de grande, média e pequena dimensão, respetivamente.

“Só 75 municípios se poderão considerar com um nível satisfatório de eficácia e eficiência financeira – com base nos indicadores selecionados por este Anuário – ao obterem uma pontuação total superior ou igual a 50% da pontuação global”, é destacado.

Segundo o estudo, 49 dos 75 municípios com nível global satisfatório obtiveram uma pontuação entre 50% e 70% da pontuação máxima possível.

A situação “não foi muito favorável aos restantes 233 municípios (75,6% do total do universo)”, já que apresentaram uma pontuação global inferior a 50% da pontuação total do ranking global, ou seja, menos de 950 pontos, acrescentaram os autores.

Na lista dos 100 municípios mais bem classificados, 18 são de grande dimensão, 33 de média dimensão e 49 de pequena dimensão.

O Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses é um trabalho conjunto entre a Ordem dos Contabilistas Certificados e o Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave.

O Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses foi hoje divulgado e está disponível aqui.

Populares