Seguir o O MINHO

Alto Minho

Autarca de Viana pede ao ministro da Economia para travar encerramento da Essex

em

O presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, pediu ao ministro da Economia e ao presidente da AICEP para tentarem travar a deslocalização da empresa de materiais elétricos Essex, que emprega sete dezenas de pessoas.

A autarquia afirma que, “face à intenção da administração da Nexans Essex agora tornada pública de encerramento da unidade produtiva de Viana do Castelo e a sua relocalização para outras partes do mundo, o presidente da Câmara de Viana do Castelo acaba de solicitar uma intervenção urgente ao ministro da Economia e ao presidente da AICEP no sentido de evitar a deslocalização desta empresa”.

José Maria Costa enviou uma carta ao ministro Pires de Lima, na qual “lembra que atual fase da economia nacional e ainda a dificuldade de instalação de novas empresas torna imperiosa uma ação proativa do Governo e da AICEP, no sentido de procurar encontrar uma solução para a continuidade desta empresa em território nacional”.

O autarca de Viana mostra-se ainda preocupado com o “futuro dos 77 trabalhadores e das suas famílias relativamente à conjuntura socioeconómica do concelho e do país, onde dificilmente encontrarão empregos alternativos”.

Fonte sindical afirmou na quinta-feira que a administração da empresa de materiais elétricos Essex já comunicou oficialmente a decisão de proceder ao despedimento coletivo dos seus trabalhadores.

O delegado do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Norte (SITE-Norte), Miguel Moreira, disse que, no âmbito daquele processo de despedimento, está já agendada para 20 de julho a primeira reunião entre sindicatos, representantes dos trabalhadores e administração.

“Para já, uma das poucas coisas que sabemos é que a empresa quer consumar o despedimento coletivo entre este mês e março de 2016”, acrescentou.

Segundo Miguel Moreira, a empresa alega “dificuldades económicas”.

Esta situação já foi levada à Assembleia da República pela deputada do PCP Carla Cruz, que, em requerimento dirigido ao Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, diz ter informações de que a empresa “tem encomendas” e aumentou, há cerca de um mês, o salário dos trabalhadores

De acordo com o SITE-Norte, a Essex emprega 73 trabalhadores, com uma média de idades entre os 40 e os 45 anos.

A Essex labora em Viana há mais de 20 anos, produzindo filamentos de cabos para a indústria aeronáutica e automóvel.

Populares