Seguir o O MINHO

Braga

Acusado em Braga de lesar Segurança Social em 38 mil euros

Tribunais

em

Foto: DR / Arquivo

O Ministério Público de Braga acusou um homem de dois crimes de burla tributária por ter forjado uma carreira contributiva para obter atribuições patrimoniais indevidas, lesando a Segurança Social em 38.490 euros, anunciou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.


Em comunicado, aquela procuradoria refere que, segundo a acusação do Ministério Público (MP), o arguido figurou como trabalhador numa empresa, de 22 de maio de 2012 a 31 março de 2014, a auferir 13.500 euros, e noutra, de 01 de julho de 2011 a 15 de abril de 2014, com o salário de 5.150 euros.

“Posteriormente, apesar de nunca ter auferido as referidas remunerações, o arguido apresentou na Segurança Social, nos anos de 2012, 2013 e 2014, pedidos de prestações sociais, como subsídio de desemprego, de pagamento de créditos emergentes de contrato de trabalho pelo Fundo de Garantia Salarial e de subsídio de doença”, acrescenta a acusação.

Com isso, o arguido logrou que a Segurança Social lhe pagasse um total global de 38.490,76 euros “a que não tinha direito”.

O MP indiciou ainda que o arguido fez outros pedidos, com o mesmo intuito, em 2014 e 2015, invocando a sua qualidade de trabalhador de uma empresa em que pretensamente auferiria 9.500 euros.

Estes pedidos foram, no entanto, indeferidos pela Segurança Social.

O arguido está acusado de dois crimes de burla tributária, um na forma consumada e outro na forma tentada.

Anúncio

Braga

Acesso ao canil de Braga está vedado a voluntários para proteger AGERE da covid-19

Pandemia

em

Foto: DR

Um cidadão bracarense, Filipe Teixeira, de Ferreiros, reclamou, ontem, no arranque da Assembleia Municipal, a reabertura do acesso de voluntários – mais de 40 – das várias associações de defesa dos animais da cidade ao canil municipal, terminando com o corte que foi imposto pela AGERE no começo da pandemia.

O munícipe enalteceu o trabalho dos voluntários em defesa da dignidade dos animais e do seu bem-estar físico e psicológico, e disse não ser compreensível que o acesso, ao fim de sete meses, continue vedado: “se o animal não estiver bem do ponto de vista psicológico e afetivo a adoção torna-se mais difícil”.

Ricardo Teixeira

O voluntário pediu, por isso, um voto de desbloqueio da entrada dos voluntários, acentuando que tal se trata de um “direito de cidadania”.

No final, Rio esclareceu que, como o canil é contíguo aos serviços da AGERE, onde se concentram diariamente centenas de trabalhadores, entendeu-se, que por razões sanitárias, as da eventual transmissão do covid-19, seria de vedar o acesso a pessoas estranhas ao serviço: “se o serviço da AGERE parásse ou diminuísse por causa do vírus, toda a cidade era prejudicada. Foi isso que se acautelou”.

Enalteceu o trabalho dos voluntários, e referiu que o bem-estar dos animais está garantido pelos veterinários e pelos funcionários do canil, salientando que os voluntários têm podido aceder ao canil, ao fim de semana, período em que há menos trabalhadores da AGERE na zona.

Continuar a ler

Braga

Apanhado a roubar 150 euros em camarão no Intermarché de Amares

Assalto

em

Foto: Google Images Maps

Um homem foi detido, na sexta-feira, pelo furto de cerca de 150 euros de camarão no Intermarché de Amares.

De acordo com a CMTV, o indivíduo terá tentado furtar o marisco num saco mas acabou por ser detetado por seguranças do espaço, que lhe apreenderam o material.

Enquanto esperava pela chegada da GNR de Amares, o homem acabou por fugir do espaço comercial, tendo sido intercetado pelos militares já no concelho de Braga.

Foi detido e será este sábado presente a tribunal de turno.

Continuar a ler

Braga

Braga compra mais 10 mil euros em pilaretes para armazenar em ‘stock’

Infraestruturas

em

Foto: DR

A Câmara de Braga comprou, durante esta semana, 10.400 euros em pilaretes para armazenar em stock, apurou O MINHO junto do portal da contratação pública.

De acordo com documento publicado no passado dia 23, no portal de contratação pública Base Gov, a autarquia celebrou um contrato com a empresa Pistas de Ideias para aquisição de “equipamentos de controlo, segurança ou sinalização para estradas”.

Na descrição da compra pode ler-se que o contrato consiste na “aquisição de pilaretes para stock”, devendo a empresa fornecer o material até ao próximo dia 13 de outubro.

Em maio de 2018, a autarquia começou a apostar intensivamente na instalação deste tipo de material para dissuadir o estacionamento abusivo.

Recentemente, foram instalados pilaretes no acesso à urbanização de Fontaínhas, em São Vicente, instalação que motivou várias críticas por parte de moradores e comerciantes que viram assim fechado um dos acessos àquele bairro.

Continuar a ler

Populares