Seguir o O MINHO

Desporto

Acidente/Colômbia. Treinador do Chapecoense jogou 5 épocas em Guimarães e sonhava treinar o Vitória

em

Caio Júnior, ex-jogador do Vitória e atual treinador da equipa brasileira Chapecoense, encontra-se entre as 76 vítimas mortais do acidente de avião que ocorreu esta terça-feira numa zona montanhosa da Colômbia, a cerca de 50 quilómetros de Medellin.


vitoria-de-caio-junior

Foto: ovimaranes.blogspot.pt

O ex-avançado jogou cinco épocas pelo clube de Guimarães, entre 1987/1988 e 1991/1992, tendo chegado à equipa para substituir o seu primo Paulinho Cascavel.

Durante o período em que esteve no clube disputou 114 partidas e marcou 31 golos.

“Pese embora, vir rotulado de craque nunca conseguiu superar o membro mais velho da família”, escreve a Associação Vitória Sempre no seu site, num artigo sobre o ex-jogador.

Em Portugal, Caio Júnior jogou ainda no Estrela da Amadora e no Belenenses.

caio-junior-chapecoense

Caio Júnior (51 anos) Foto: DR

Entre os jogadores brasileiros que passaram por Portugal, Caio Júnior foi aquele que teve uma carreira de treinador de maior relevo. Em 2007, por exemplo, foi eleito melhor treinador do Brasileirão, campeonato brasileiro de futebol.

Em março deste ano, ao site Mais Futebol, o treinador declarou que o Vitória seria o clube perfeito para treinar em Portugal.

Foto: Twitter

Foto: Twitter

Cinco pessoas sobreviveram ao desastre de avião, perto do aeroporto internacional de Medellín, e 76 morreram, anunciou o general Jose Acevedo, chefe da polícia daquela área da Colômbia.

O aparelho fazia um voo ‘charter’ com 81 pessoas a bordo, incluindo a equipa de futebol brasileira Chapecoense Real que ia disputar a final da Taça Sul-Americana com uma equipa colombiana.

Entre os sobreviventes estão o guarda-redes Marcos Danilo Padilha, de 31 anos, o guarda-redes suplente Jackson Follmann, de 24 anos, e o lateral Alan Ruschel, de 27 anos.

Em comunicado, o aeroporto de Medellin refere que o avião, com matrícula da Bolívia, “declarou-se em emergência” às 22:00 locais (03:00 em Lisboa) “por falhas técnicas”, de acordo com a transmissão feita para a torre de controlo.

O avião tinha saído do aeroporto Viru Viru, de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde aparentemente tinha realizado uma escala técnica.

logo Facebook Fique a par das Notícias de Guimarães. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Futebol

Ricardo Horta iguala recorde de 11 golos europeus de Alan pelo SC Braga

Paulinho está a um golo

em

Foto: SC Braga

Ricardo Horta igualou hoje o brasileiro Alan como melhor marcador do SC Braga nas taças europeia de futebol, ao apontar o terceiro golo no triunfo caseiro por 3-0 face ao AEK Atenas.

Em encontro da primeira jornada do Grupo G da Liga Europa, o avançado ‘arsenalista’ fechou a contagem, aos 88 minutos, depois de, aos 78, ter sido alcançado na tabela por Paulinho, que conseguiu o seu 10.º tento europeu pelos minhotos.

O triunfo dos bracarenses face aos gregos começou a ser construído com um golo do brasileiro Galeno, aos 44 minutos.

Ricardo Horta somou um golo em 2016/17, um em 2017/18, dois em 2018/19, seis em 2019/20 e tem agora um em 2020/21, todos alcançados na segunda competição da UEFA, sendo que o de hoje permitiu-lhe igualar Alan.

Entre 2008/09 e 2015/16, o brasileiro marcou seis golos na Liga dos Campeões, um na Taça UEFA e quatro na Liga Europa, o último num triunfo em Marselha, por 3-2, em 22 de outubro de 2015.

No terceiro lugar do ranking segue agora Paulinho, com 10 golos – já tinha marcado três em 2017/18 e seis em 2019/20 -, contra nove do brasileiro Lima, que saiu do pódio. Com oito, seguem o austríaco Roland Linz e o também ‘canarinho’ Matheus.

Ranking dos melhores marcadores do SC Braga na Europa:

1. Alan, Bra 11 golos (2008/16)

. Ricardo Horta 11 (2016/21)

3. Paulinho 10 (2018/21)

4. Lima, Bra 9 (2010/12)

5. Roland Linz, Aut 8 (2007/09)

. Matheus, Bra 8 (2008/11)

Continuar a ler

Futebol

“Fizemos uma exibição de grande poder”

Carlos Carvalhal após vitória sobre AEK

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Declarações dos treinadores após o jogo SC Braga – AEK Atenas (3-0), da primeira jornada do Grupo G da Liga Europa de futebol, disputado em Braga:

Carlos Carvalhal (treinador do SC Braga): “Creio que sim [o resultado é justo]. O facto de termos ganhado 3-0 não quer dizer que o jogo tenha sido fácil. Poderíamos ter atingido estes números mais cedo. A cadência de oportunidades foi grande para aquilo que têm sido os jogos do AEK. Já tiveram bastantes ‘clean sheets’ [jogos sem sofrer golos]. É uma equipa que defende com muitos jogadores e não permite transições. Antecipámos que vinham com uma linha de cinco [defesas]. Para a forma como eles jogam, tivemos muitíssimas oportunidades. Tivemos as suficientes para conseguir o resultado mais cedo. Fizemos uma exibição de grande poder.

A grande virtude da nossa equipa, além da paciência na circulação de bola, foi a forma como anulou os canais de saída para o contra-ataque. Isso cansou o adversário. Na segunda parte, tiveram de se abrir um pouco mais. Quando o adversário mudou de sistema e passou a defender com uma linha [de quatro jogadores], tivemos uns momentos de indecisão, mas foi fácil retificar com a entrada do André Horta [para o lugar de Iuri Medeiros].

Hoje, fomos postos à prova num nível altíssimo. A nossa equipa joga no limite do risco, mas sempre num risco controlado. A equipa controlou sempre a perda de bola.

Era uma questão de tempo até o Ricardo Horta e o Paulinho começarem a marcar. De resto, há coisas para melhorar. A equipa ainda tem margem de progressão.

A equipa tem identidade. Gosta de ter bola e tem criado oportunidades. As equipas que têm bola desgastam-se menos do que as que não têm. Estamos preparados para o que aí vem. O que determinámos aqui é que o próximo jogo é sempre o mais importante. E o mais importante é o próximo, no domingo, com o Vitória de Guimarães.

O prazer da equipa jogar deixa-me satisfeito e reforça que estamos no bom caminho. Nunca perdemos o bom caminho, mesmo após [as derrotas] com o FC Porto e o Santa Clara.

Temos os pés bem assentes no chão [relativamente ao futuro]. Se há um ponto que me satisfaz na equipa é a sua humildade. Isso expressa-se na forma como abordou o jogo, mesmo com o 3-0. Eu estava a gritar que era importante não sofrer golos. Conseguimos manter a equipa a ‘zero’. Não há deslumbramento nesta equipa.

Relativamente aos adeptos [que puderam ocupar 7,5% da lotação], vivemos num período de grande dificuldade. Dentro das regras, sempre que possível, é importante as pessoas libertarem-se um pouco e terem acesso a este tipo de espetáculos. Uma das principais funções do desporto é servir de catarse às pessoas. É um escape. Temos de viver dentro das regras, mas as pessoas precisam de acesso a estas coisas, porque senão vai haver mais pessoas com problemas psiquiátricos e até suicídios.

Estavam 2.200 pessoas ao ar livre num estádio com 30.000 pessoas. Não sou especialista em epidemiologia. Sou apenas uma opinião como cidadão de uma sociedade que precisa de continuar a viver”.

Castro (jogador do SC Braga): “Foi uma grande noite para nós. Esta exibição já vem de trás. [Estou] feliz por termos o apoio do público. É uma diferença enorme para nós. Sem adeptos, o futebol não é a mesma coisa. Foi bom termos contado com eles. Foram extraordinários.

Estivemos focados neste jogo. Agora é relaxar e descansar. Depois, o ‘mister’ vai-nos preparar para o próximo jogo. Hoje, vou descansar bem para, no domingo [contra o Vitória de Guimarães], estar ao mais alto nível”.

Massimo Carrera (treinador do AEK Atenas): “Tivemos um jogo muito difícil contra o Braga. Foi uma partida em que sofremos muito. Tivemos as nossas ocasiões, mas o Braga fez três golos notáveis e tirou proveito disso”.

Continuar a ler

Futebol

Sócios do Gil Vicente aprovam contas de 2019/20 por unanimidade

Clube recusa divulgar números

em

Francisco Dias da Silva, presidente do Gil Vicente. Foto: Gil Vicente / Arquivo

Os sócios do Gil Vicente aprovaram esta quinta-feira, por unanimidade, o relatório e contas da época 2019/20, avançou hoje à Lusa fonte oficial do clube que milita na I Liga portuguesa de futebol.

A votação do documento integrou a ordem de trabalhos da assembleia-geral ordinária que decorreu hoje, na bancada sul do Estádio Cidade de Barcelos.

O clube minhoto recusou, porém, divulgar números relativos às contas da época passada.

Na reunião magna, os sócios presentes cumpriram ainda um minuto de silêncio em homenagem a Dito, antigo jogador e treinador de futebol, que era diretor-geral dos ‘galos’ desde 2019 e morreu em 03 de setembro, com 58 anos.

Eduardo José Gomes Cameselle Mendez, conhecido no futebol por Dito, sentiu-se mal quando viajava de automóvel para o complexo desportivo de Melgaço, para acompanhar a fase final do estágio gilista, e morreu após ter sido transportado para o hospital de Monção, outro concelho do distrito de Viana do Castelo.

O antigo defesa central começou a jogar futebol em 1975, no Gil Vicente, clube ao qual regressou em 1993/94, na fase final da carreira de jogador, tendo representado, pelo meio, o Sporting de Braga, Benfica, clube em que venceu a I Liga e a Taça de Portugal, em 1986/87, FC Porto, Vitória de Setúbal, Sporting de Espinho, Torreense e Ovarense.

Continuar a ler

Populares