Seguir o O MINHO

Braga

Utente da AAPACDM de Braga em estado crítico. 40 utentes ficam fechados 14 dias nos lares

Covid-19

em

Foto: Divulgação

Um utente e uma funcionária do lar da APPACDM de Lomar, em Braga, acusaram positivo nos testes de despistagem ao nova coronavírus, disse a O MINHO fonte da instituição.


Há um outro utente com sintomas e que já fez o teste, mas ainda não há resultado. O resultado será quarentena obrigatória para 40 utentes e sete funcionários, dentro de três lares.

Utente e funcionária da APPACDM de Braga infetados. Lares entram em quarentena

Segundo António Melo, presidente da direção da APPACDM de Braga, os lares de Lomar, São Lázaro e Gualtar vão entrar em quarentena obrigatória a partir desta noite, com cerca de 40 jovens e sete funcionários a permanecerem dentro das instalações durante os próximos 14 dias.

O responsável explica que o jovem infetado pertencia ao Centro de Atividades Ocupacionais mas não frequentava a instituição desde 13 de março, nem nunca frequentou o lar residencial.  Quanto à funcionária infetada, o diretor explica que a infeção pode não ter sido contraída no lar.

Os restantes utentes e funcionários vão ser sujeitos ao teste de despistagem da doença, que devem ser conhecidos nos próximos dias, enquanto permanecem em quarentena dentro dos lares.

António Melo disse que cada utente será confinado a um quarto e será servido por uma funcionária, de modo a evitar múltiplos contactos.

“É uma situação muito difícil de gerir porque vários jovens têm doenças do foro mental e não vão querer estar confinados o dia todo num quarto”, alertou o responsável a O MINHO.

Em declarações ao Correio do Minho, a diretora-téncnica da APPACDM de Lomar revelou que o homem infetado, de 44 anos, estará em estado crítico, e já possui histórico de problemas respiratórios.

Queixas de funcionários

Alguns trabalhadores do organismo apontam críticas à direção por não ter tomado medidas anteriores, mas António Melo refuta-as, indicando que está a proceder conforme as determinações das autoridades de saúde.

Há ainda queixas de que existem ameaças para com os funcionários para que estes trabalhem, acusação também negada pelo diretor.

Sobre a ausência de apoio médico, António Melo explica que o enfermeiro habitual está a trabalhar no Hospital de Famalicão, que acresce o risco de contaminar os utentes, face a essa exposição.

O responsável reforça ainda que cada jovem está em quarto individual e isolado, por determinação da saúde pública.

Anúncio

Braga

Centenas contra o racismo em Braga (com máscara mas sem grande distanciamento social)

FOTOGALERIA

em

Fotos: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O protesto solidário pela morte do norte-americano George Floyd, ocorrido no passado dia 25 de maio, às mãos de um agente de polícia, decorreu este sábado na Avenida Central, no centro de Braga, à semelhança das restantes maiores cidades do país.


Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Com testemunhos de vítimas de racismo e preconceito, dezenas de cartazes com mensagens e gritos de protesto, a manifestação juntou cerca de 200 pessoas, todas com máscara, mas sem grandes regras de distanciamento social, apesar do esforço da organização.

Continuar a ler

Braga

Todos os bombeiros de Amares infetados já recuperaram da covid

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Os seis operacionais assalariados dos Bombeiros Voluntários de Amares que estavam infetados com covid-19 já recuperaram e regressaram ao trabalho.


O MINHO falou com Domingos Ferreira, responsável do comando daquela associação humanitária, que confirmou a ‘boa nova’, dando conta de que regressaram com “todas as medidas de segurança”.

O comandante-adjunto acrescenta ainda que já está formado uma equipa de combate a incêndios integrada no dispositivo especial, em prontidão, caso surja algum incêndio no concelho, algo que ainda não aconteceu desde que foi estabelecida.

Recorde-se que os primeiros casos de bombeiros contagiados ocorreu a 02 de maio, com dois casos positivos. Foram, entretanto, confirmados mais quatro casos, mas já todos recuperaram.

Durante o mês de maio, a sombra de novos contágios pairou sobre o corpo ativo, com o receio de que o quartel tivesse de ser encerrado, face à falta de operacionais. Mas a questão foi contornada com o serviço a ser assegurado em exclusivo por elementos voluntários.

Segundo o relatório da DGS por concelho de sexta-feira, existiam no concelho de Amares 78 casos confirmados de contágio pelo novo coronavírus.

Continuar a ler

Braga

Primeira feira junto ao Estádio Municipal de Braga decorre sem incidentes

Feiras e mercados

em

Foto: DR / Arquivo

A primeira feira semanal dos comerciantes que operavam no exterior do mercado de Braga está a decorrer, hoje, “sem incidentes” na Alameda do Estádio.


A vereadora do setor, Olga Pereira revelou hoje a O MINHO que a feira está a ter uma afluência “razoável” estando a ser realizada de acordo com as regras de segurança impostas pela Direção Geral de Saúde e que passam por uma distância de dois metros entre cada tenda, por corredores próprios para a entrada e a saída de pessoas e pelo uso de máscara.

“A Câmara congratula-se com a realização da feira. Ao contrário do que, por vezes foi dito, a nossa intenção sempre foi a de dar a oportunidade aos vendedores de exercerem a sua atividade noutro local, já que a zona exterior do mercado não tinha condições para que as regras de segurança fossem cumpridas”, salientou.

No local está, também, uma força da Polícia Municipal “para ajudar a que tudo corra bem” e para que cada feirante ocupe o lugar que lhe está determinado.

Recorde-se que os feirantes realizaram vários protestos em frente ao edifício dos Paços do Concelho exigindo que o Município lhes passasse um documento em como voltariam para o exterior do mercado.

A vereadora recusou-se a passar o dito documento, dizendo que a palavra da autarquia é suficiente, mas, em resposta a um abaixo-assinado entregue pelos feirantes, presidente da Câmara reafirmou que o direito ao regresso estava garantido, o que levou o grupo a desistir do protesto e a aceitar a ida para junto do estádio.

Continuar a ler

Populares