Seguir o O MINHO
[the_ad id='438601']

Ave

Vizela pondera providência cautelar para encerrar ETAR do Estado “que polui o rio”

ETAR de Serzedo, em Guimarães

em

Foto: Divulgação / CM Vizela

O presidente da Câmara de Vizela alertou hoje que autarquia avançará com uma providência cautelar para encerrar a ETAR de Serzedo, gerida pelo Estado, se o problema da poluição no rio Vizela não for resolvido.

Vítor Hugo Salgado insistiu, em conferência de imprensa, que aquela ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais), situada no vizinho concelho de Guimarães, e gerida pela empresa de capitais públicos Águas do Norte, é o principal foco poluidor do rio.

Em agosto, a Agência Portuguesa de Ambiente (APA) sustentava que a ETAR, apontada pela Câmara de Vizela como foco poluidor do rio que dá o nome à cidade, tem respeitado o Valor Limite de Emissão (VLE).

“Na generalidade dos casos, os resultados desta caracterização analítica efetuada pela APA revelam o cumprimento dos VLE dos parâmetros analisados”, lia-se num comunicado enviado à Lusa.

Apesar da posição da APA, o autarca exibiu hoje os resultados de análises feitas a efluentes recolhidos em agosto e setembro, junto à ETAR, que apontam para níveis de contaminação bacteriológica dos efluentes “muito acima” dos valores permitidos por lei e prejudiciais à saúde humana.

Falando junto ao Vizela, o presidente da câmara mostrou fotografias de uma conduta “escondida”, que disse ser “não oficial” da ETAR, a drenar efluentes para a linha de água. Segundo anotou, essa não é a conduta a partir da qual são feitas as amostras oficiais da ETAR.

Essas fotos complementam os resultados das análises que o município mandou fazer às recolhas naquele troço do rio, que provam, segundo o autarca, o grau de contaminação das emissões da ETAR, visíveis atualmente, disse, apontando para o rio.

O relatório vai ser enviado às entidades competentes, nomeadamente o Ministério do Ambiente, Agência Portuguesa do Ambiente e grupos parlamentares, entre outras.

Vítor Hugo Salgado quer que os novos deputados tratem o assunto em comissão parlamentar e que seja chamado a falar o ministro do Ambiente do atual executivo, Matos Fernandes, para explicar como se chegou à atual situação.

Em paralelo, acrescentou, a Câmara de Vizela vai trabalhar com o Instituto Ricardo Jorge para que os resultados apurados nas análises não suscitem quaisquer dúvidas sob ponto de vista técnico e de isenção.

O presidente da câmara disse esperar que os deputados ajudem a resolver o problema, lembrando que, com o atual ministro da tutela, a situação da ETAR prevaleceu ao longo dos anos, apesar das sucessivas denúncias do município, incluindo em sede judicial.

Na conferência de imprensa, foram também anunciados os resultados das várias inspeções realizadas pelo município e pela empresa Vimágua, que gere as redes de água e saneamento nos concelhos de Guimarães e Vizela, a potenciais focos de poluição em diferentes pontos da cidade e no troço entre a ETAR e a área urbana de Vizela.

Nesse trabalho foram detetadas dezenas de irregularidades, nomeadamente de particulares a drenar esgotos para a rede de águas pluviais ou diretamente para o rio, tendo os seus responsáveis sido notificados para procederem à correção, sob pena de sofrerem as penalizações previstas na lei.

Populares