Vila Verde requalificou largo da igreja de Valbom

Obras públicas

A igreja de Valbom S. Martinho, no norte do concelho de Vila Verde, ganhou um renovado largo e casa mortuária, num “trabalho em cooperação entre diferentes instituições e a população para o desenvolvimento mais sustentado de todo o território concelhio”.

Em comunicado, a Câmara de Vila Verde salienta que o “renovado espaço é acolhido pela população como o seu grande centro cívico, que se apresenta agora mais atrativo e funcional, reforçando as condições para a valorização do património local e a dinamização da vida comunitária”.

Júlia Fernandes, presidente da Câmara, refere que “quando nos unimos e remamos todos para o mesmo lado, é possível concretizar grandes obras, que servem e são importantes para todos”.

Enalteceu também “o facto de Vila Verde ser um concelho que investiu na dignificação das zonas envolventes das igrejas nas suas freguesias, a autarca sublinhou o impacto destes espaços na vida das pessoas, a nível social e comunitário”.

“É aqui que tudo começa: casamos, batizamos os nossos filhos, fazemos os sacramentos, celebramos as missas e também nos despedimos dos nossos”, frisou a autarca.

O pároco, padre Almerindo Costa, arcipreste de Terras de Bouro, procedeu à bênção dos novos espaços, referindo-se de forma especial à casa mortuária que – juntamente com a área envolvente, que inclui zona de estacionamento – traz “dignidade ao momento de despedida dos irmãos que partem”.

“É um local que lembra a Ressurreição de Cristo e que seja também lugar de esperança e de fé, permitindo que possamos estar em solidariedade com os amigos e familiares dos que partem”, partilhou o sacerdote, agradecendo “a todos os que colaboraram para que isto fosse possível”.

Na cerimónia foi sublinhado o papel do anterior pároco local, padre António Marques, e dos ex-presidentes de Junta e da Câmara Municipal, Joaquim Martins e António Vilela. Os dois ex-autarcas foram agraciados com uma salva entregue pelo presidente da Junta da União de Freguesias de Valbom S. Pedro, Passô e Valbom S. Martinho, António Fonseca.

“Esta casa mortuária deve-se a todos vós”, elogiou Júlia Fernandes, destacando a união de esforços da Câmara e da Junta e aproveitando para agradecer “o contributo do povo”.

A presidente da Câmara assegurou que o Município vai continuar “atento às necessidades de cada freguesia e a trabalhar em conjunto com as instituições, os autarcas e as populações, para fazer o que é preciso e dar resposta aos anseios da população”.

“Estamos aqui para servir, dando sempre o máximo e o nosso melhor. O objetivo é que todos posam viver felizes na terra onde nasceram e gostam de estar com os amigos e as suas famílias”, vincou Júlia Fernandes, numa cerimónia que encerrou com convívio popular.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Galiza: Foram beber copos e deixaram o filho de dois anos trancado no carro

Próximo Artigo

Testemunhas de Jeová retomam visitas de casa em casa após paragem de dois anos e meio

Artigos Relacionados
x