Seguir o O MINHO

Região

Toda a costa sob aviso amarelo devido à agitação marítima

IPMA

em

Foto: DR / Arquivo

Toda a costa portuguesa está entre hoje e quarta-feira sob aviso amarelo devido à previsão de agitação marítima forte, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).


Os distritos de Viana do Castelo e Braga, no Minho, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro estão com aviso amarelo por causa das ondas de noroeste com 4 a 5 metros.

De acordo com o IPMA, o aviso emitido para estes distritos entrou em vigor às 00:00 de hoje e termina às 18:00 de quarta-feira.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que há situações de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Por causa da agitação marítima, as barras Caminha, Vila Praia de Âncora e Esposende, no Minho, Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Ericeira estão hoje fechadas à navegação.

De acordo com informação disponível na página da Autoridade Marítima Nacional, as barras de Viana do Castelo, no Minho, Aveiro, Figueira da Foz e São Martinho do Porto estão hoje condicionadas.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente muito nublado, apresentando-se pouco nublado ou limpo no Baixo Alentejo e Algarve e possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, em especial no Minho e Douro Litoral.

Está também previsto vento fraco, soprando por vezes moderado do quadrante oeste nas terras altas das regiões Norte e Centro e neblina ou nevoeiro matinal.

O IPMA espera uma subida da temperatura mínima nas regiões Norte e Centro e pequena descida no interior da região Sul.

Está também prevista uma pequena subida da temperatura máxima, em especial no interior.

As temperaturas mínimas no continente vão variar entre os 6 graus Celsius (na Guarda) e os 14 (em Aveiro) e as máximas entre os 12 (na Guarda) e os 22 (em Faro).

Anúncio

Ave

Construtora de Famalicão escolhida para dar nova vida ao Parque Mayer em Lisboa

Construção

em

Foto: Divulgação

A construtora Gabriel Couto, de Famalicão, vai reabilitar o emblemático Teatro Variedades, no Parque Mayer, em Lisboa, numa empreitada com o valor de cerca de cinco milhões de euros, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a empresa refere que a requalificação do espaço será assente num “conceito de intervenção global de forma a reabilitar os espaços principais e completá-los com uma nova envolvente funcional, compreendendo o exterior, acessos e áreas técnicas de apoio”.

Este teatro teve a construção inicial em 1924, num projeto assinado por Urbano de Castro. Foi inaugurado em 1926, tornando-se na segunda casa de espetáculos daquele parque, a par do Teatro Maria Vitória.

Foi alvo de incêndio em 1966 e recuperado na década de noventa, servindo de palco para a televisão.

Em 1992, o encenador Filipe La Féria gravou para a RTP1 o programa “Grande Noite”.

Encerrou no final daquela década não voltando a reabrir.

Sediada em Requião, concelho de Famalicão, a firma Gabriel Couto, liderada pelo engenheiro Carlos Couto. Existe há 71 anos, e tem atividade em Portugal, em África – Angola, Moçambique, Senegal, Zâmbia e Suazilândia -, e na América Central – Honduras, Nicarágua e El Salvador.

Continuar a ler

Braga

Filha denuncia “donativo” de 10 mil euros em 2018 para aceitar idosa num lar de Braga

Corrupção

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

A filha de uma utente do lar de idosos da Irmandade de Santa Cruz, em Braga, denunciou hoje que em 2018 teve de pagar um “donativo” de 10 mil euro por uma vaga, contrariando uma acusação do Ministério Público.

O Ministério Público (MP) acusou um ex-provedor daquela irmandade de “solicitar ou exigir” o pagamento de quantias monetárias para a admissão de utentes para o lar de idosos, mas indicava que este procedimento terminou em 2017, após a entrada do novo provedor.

Em fevereiro de 2018, porém, e segundo contou à Lusa Maria Pereira Reis, a irmandade pediu-lhe um donativo de 10 mil euros como contrapartida de vaga para a admissão da mãe no lar.

“A diretora técnica disse-me que havia vaga para a minha mãe, na condição de aceitar as condições deles. E as condições passavam por fazer um donativo de 10 mil euros, alegadamente destinada a melhorar a qualidade dos serviços prestados”, afirmou.

A Lusa teve acesso ao recibo emitido pela irmandade, que dá conta de um “donativo” de 10.001,54 euros.

Outra condição era o pagamento de uma mensalidade de 700 euros.

A filha manifestou-se convencida de que o seu não deverá ser “nem pouco mais ou menos um caso único”.

Lar supervisionado pela Arquidiocese de Braga cobrava até 40 mil euros por vaga

Adiantou que a família se prepara para avançar com uma queixa no Ministério Público contra a irmandade, por alegados “atropelos constantes” à lei.

Segundo a acusação, a que a Lusa teve acesso, a Irmandade é igualmente arguida no processo.

O MP imputa a ambos os arguidos um crime de corrupção passiva no setor privado.

A acusação diz que a partir de 2017, e já com o atual provedor, a diretora técnica deixou de sugerir a entrega de quaisquer quantias, porque o novo responsável “deixou também de emitir ordens nesse sentido”.

A Lusa tentou ouvir o atual provedor, Luís Rufo, mas sem sucesso até ao momento.

No processo que envolve o anterior provedor, o Ministério Público diz que, com a “exigência” de donativos, a irmandade atuou “à revelia de todos os imperativos legais”.

Aponta o caso de 12 utentes, que terão pago entre 7.500 e 40 mil euros para garantirem um lugar no lar.

Com essa “atividade criminosa”, acrescenta a acusação, a irmandade conseguiu uma vantagem patrimonial de 297.500 euros, valor que o Ministério Público quer que o ex-provedor e a irmandade sejam condenados a pagar ao Estado.

Continuar a ler

Barcelos

Violenta colisão corta estrada Famalicão-Póvoa e faz um ferido

EN 206

em

Foto: José Fischer Cruz no grupo de Facebook "Moina na Estrada"

Uma pessoa sofreu ferimentos na sequência de uma colisão entre duas viaturas ligeiras ao final da tarde desta quinta-feira, na EN 206, que liga Famalicão à Póvoa de Varzim.

O sinistro ocorreu num cruzamento na freguesia de Negreiros, concelho de Barcelos, provocando o corte da estrada.

Para o local acorreram meios dos Bombeiros de Viatodos e da Cruz Vermelha de Macieira de Rates.

Mais pessoas ficaram feridas na sequência do acidente mas recusaram transporte hospitalar.

A vítima foi transportada pela ambulância INEM dos Bombeiros de Viatodos para o Hospital de Povoa de Varzim.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares