Seguir o O MINHO

Região

Talkdesk quer recrutar 500 pessoas este ano (e procura talentos em Braga e Guimarães)

Economia

em

Foto: DR / Arquivo

A tecnológica portuguesa Talkdesk anunciou hoje que em 2021 quer contratar 500 novos trabalhadores em Portugal, depois de ter contratado o mesmo número de pessoas no ano passado. A empresa, avaliada em julho de 2020 em três mil milhões de dólares, passando a ser considerada ‘unicórnio’, procura talentos em vários pontos do pais e especifica Braga e Guimarães.

Em comunicado, a empresa anuncia que as contratações estão disponíveis para diferentes áreas, como investigação e desenvolvimento, vendas e gestão de contas, gestão de projetos e programas, marketing, apoio ao cliente, gestão financeira e contabilidade, recursos humanos e apoio técnico.

A empresa tem um novo modelo de trabalho, 100% remoto, que lhe permite “chegar e atrair talento de todos os pontos de Portugal, e do mundo”.

Por isso, além de “Lisboa, Porto, Coimbra e Aveiro”, a multinacional salienta que procura talentos em todo o país, especificando: “Braga, Guimarães, Leiria, Viseu, Vila Real, Castelo Branco, Évora, Faro, Açores e Madeira”.

A empresa terminou o ano de 2020 com 1.400 trabalhadores.

“2020 foi um ano bastante atípico a nível global, mas a nossa capacidade de resposta rápida mostrou que a digitalização não só é o futuro, como uma realidade iminente. Tivemos de readaptar muitas frentes, principalmente ao nível da cultura da empresa, que é algo que nos define bastante, mas estamos agora mais preparados”, indica Marco Costa, diretor geral e vice-presidente de desenvolvimento corporativo internacional da Talkdesk.

A Talkdesk investiu ainda em diversos programas de integração de talento em parceria com a academia, tendo recebido 75 estudantes no programa Tech Dojo, uma iniciativa que integra estudantes recém-licenciados na empresa e cuja taxa de retenção é próxima de 100%.

Fundada em 2011 por Tiago Paiva e Cristina Fonseca, a Talkdesk passou a ser considerada um unicórnio (empresa avaliada em mais de mil milhões de dólares) em outubro de 2018, depois de fechar uma ronda de investimento série B no valor de 100 milhões de dólares, que a avaliou em 1,2 mil milhões.

Populares