Seguir o O MINHO

Futebol

Situação do Gil Vicente é “inédita no futebol português”

Equipa de Barcelos estreia-se no campeonato, este sábado, contra o FC Porto

em

Imagens: GVTV

O treinador Vítor Oliveira assumiu hoje que o Gil Vicente experimentou dificuldades para criar uma equipa de raiz, antes do regresso à I Liga de futebol, que se consuma na receção de sábado ao FC Porto.

“Nesta fase todas as equipas estão a crescer, mas o Gil Vicente foi obrigado a um crescimento muito mais rápido. O tempo tem sido muito pouco para conciliar mentalidades, línguas, características e personalidades de 23 novos jogadores, o que é uma situação inédita no futebol português”, avaliou o técnico, na conferência de antevisão ao jogo, realizada no Estádio Cidade de Barcelos.

Vítor Oliveira assegurou que o embate com o vice-campeão nacional, “um dos mais sérios candidatos ao título”, será “tremendamente difícil”, esperando um adversário com processos idênticos à última temporada.

“Não é muito diferente do ano passado, porque o FC Porto manteve o treinador, a estrutura e será uma equipa muito forte em termos físicos, muito competitiva, com um futebol ofensivo de qualidade e avassalador nos melhores momentos. Mas não é só por ser contra o Porto que vamos mudar a forma de jogar”, analisou.

Os dois emblemas abriram a época da melhor forma, com os gilistas a carimbarem o passaporte para a fase de grupos da Taça da Liga (vitória por 3-2 sobre o Desportivo das Aves) e os ‘dragões’ a ganharem vantagem na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões (triunfo por 1-0 em Krasnodar, na Rússia).

“Jogar com os ‘grandes’ nunca é um bom momento para as equipas médias portuguesas, mas é fortemente motivador para os jogadores do Gil, que estarão nos limites das suas capacidades, perante um dos melhores clubes da Europa. Não quero um resultado justo nem vitórias morais, queremos pontos e vitórias. Sabemos que o FC Porto é favorito, mas terá de o demonstrar em campo”, referiu o treinador de 65 anos, o mais velho da I Liga.

Com o Gil Vicente de regresso à maior do futebol português, Vítor Oliveira destaca a “mobilização da cidade em redor da equipa e do clube”, 13 anos depois de os minhotos terem sido excluídos da I Liga devido ao ‘caso Mateus’.

“É muito importante que a cidade esteja com o clube em todos os jogos que vamos disputar. Motiva-nos sentir o apoio de toda a massa associativa e de toda a cidade, o que pode ser um fator determinante ao longo de toda a época”, afiançou.

O Gil Vicente, que disputou o Campeonato de Portugal na temporada passada, alcançou na secretaria a subida à elite do futebol nacional em 2019/20, como consequência do ‘caso Mateus’.

Em agosto de 2006, os barcelenses foram despromovidos pela via administrativa à Liga de Honra, atual II Liga, por queixa do Belenenses relacionada com alegada irregularidade na utilização do internacional angolano Mateus, avançado que atualmente representa o Boavista.

O clube minhoto recorreu para os tribunais e, em julho de 2016, foi-lhe dada razão, tendo a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciado a reintegração na I Liga em 12 de dezembro de 2017, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, que só este ano se consumou.

O Gil Vicente assinala o regresso à I Liga, após uma ausência de quatro anos, no sábado, a partir das 19:00, no Estádio Cidade de Barcelos, com a receção ao vice-campeão FC Porto.

Anúncio

Futebol

Vantagem mínima não dá favoritismo ao Rangers, diz Steven Gerrard

Liga Europa

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador Steven Gerrard recusou hoje o favoritismo do Rangers para seguir para os oitavos de final da Liga Europa de futebol, depois do triunfo sobre o SC Braga, por 3-2, na primeira mão dos 16 avos.

Questionado sobre se a vantagem mínima trazida de Glasgow dá favoritismo à sua equipa, Steven Gerrard notou que sabe que o Rangers vai “ter pela frente 90 minutos muito difíceis: temos uma pequena vantagem, mas não nos consideramos favoritos”, disse.

O técnico do Rangers disse ter “muito respeito” pelo SC Braga.

“Vamos jogar contra uma equipa fantástica, que está em excelente forma, temos de estar prontos para jogar. Vamos tentar ser coesos defensivamente e também um perigo constante para o Braga, não vamos jogar na expectativa. No primeiro jogo, tivemos alguns problemas, mas depois organizámo-nos e retificámos algumas situações, fomos uma equipa combativa, criámos ocasiões e marcámos”, disse.

Na passada quinta-feira, o Rangers recuperou de uma desvantagem de dois golos e, com três golos em 15 minutos, bateu os minhotos por 3-2.

“A este nível, os erros pagam-se caro, mas os golos do Braga não resultaram de erros individuais, o primeiro foi um excelente golo e o segundo foi uma ótima jogada coletiva. Não os culpo, mas penso que podíamos ter feito um melhor trabalho defensivo”, disse.

Do jogo da primeira mão, para Steven Gerrard, “surpreendente foi só ter havido cinco golos, podia ter sido um 5-4, um 4-3 ou 5-5, ambas as equipas tiveram muitas oportunidades para marcar e estiveram muito fortes ofensivamente”.

O antigo internacional inglês considerou que “o nível de pressão é o mesmo para as duas equipas, ambas vão querer passar e estar nas últimas 16 equipas da prova”.

“Qual a estratégia para amanhã [quarta-feira]? Não seria muito inteligente falar da minha estratégia para o jogo, vão ver depois”, disse.

Steven Gerard revelou que Borna Barisic já treinou na segunda-feira e está disponível para o jogo, ao contrário do avançado colombiano Morelos, habitual titular, mas que está castigado e é baixa certa nos escoceses.

Sentado ao lado do treinador, o guarda-redes Alan McGregor disse esperar um jogo difícil e destacou a “organização” como fator chave para o sucesso.

“A organização é um fator muito importante, primordial, temos o nosso plano para implementar em 90 minutos. Temos de estar atentos durante todo o jogo para sermos eficazes e vamos ter em contra o resultado da primeira mão para conseguirmos o apuramento”, disse.

O veterano guardião escocês (38 anos) frisou a “capacidade” do Rangers de virar o resultado na primeira mão, depois de ter estado a perder por 2-0.

“Apesar do resultado não ser de feição, as coisas não estavam a correr bem, mas continuámos a acreditar e as coisas surgiram”, disse.

Os minhotos recebem o Rangers no Estádio Municipal de Braga, na segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, a partir das 17:00 de quarta-feira, num jogo que vai ser arbitrado pelo sueco Andreas Ekberg.

Continuar a ler

Futebol

Tormena de regresso no SC Braga após um mês de ausência

Convocatória

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador Rúben Amorim convocou hoje Tormena, Esgaio, Raul Silva e Palhinha para a receção do SC Braga ao Rangers, na quarta-feira, da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol.

Tormena está de regresso precisamente um mês depois de se ter lesionado frente ao FC Porto, na final da Taça da Liga (vitória por 1-0), tal como Esgaio, Raul Silva e Palhinha, que cumpriram castigo diante do Vitória de Setúbal, no domingo, na 22.ª jornada da I Liga (triunfo por 3-1).

O defesa Sequeira recuperou do ‘toque’ que sofreu diante dos sadinos, que o obrigou a sair ainda durante a primeira parte, e também integra a lista de 20 convocados.

Bruno Wilson não está inscrito na prova europeia e fica de fora, tal como Anthony e os lesionados Eduardo e Wallace.

O SC Braga perdeu na primeira mão, em Glasgow, por 3-2, e recebe o Rangers a partir das 17:00 de quarta-feira, no Estádio Municipal de Braga, num jogo que vai ser arbitrado pelo sueco Andreas Ekberg.

A lista dos 20 convocados:

Guarda-redes: Matheus e Tiago Sá.

Defesas: Pedro Amador, Tormena, David Carmo, Bruno Viana, Sequeira, Esgaio, Raul Silva e Diogo Viana.

Médios: Fransérgio, João Novais, Palhinha e André Horta.

Avançados: Abel Ruiz, Ricardo Horta, Paulinho, Trincão, Rui Fonte e Galeno.

Continuar a ler

Futebol

Auditorias à segurança dos estádios da I Liga começam na quarta-feira

Motivadas pelos recentes casos de violência e racismo

em

Foto: Divulgação / PSP (Arquivo)

As auditorias à segurança dos estádios onde se realizam jogos da I Liga de futebol, motivadas pelos recentes atos de violência e racismo, começam quarta-feira e decorrem até final de março, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna (MAI).

Em comunicado, o MAI explica que o “processo, motivado pela crescente preocupação social gerada por atos de violência e racismo cometidos no exterior e dentro dos estádios”, servirá para determinar “as alterações a implementar, de modo a permitir a realização de jogos na próxima época”.

O MAI refere que as auditorias de segurança vão ser realizadas pela Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto, pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e pelas forças de segurança.

O estádio Nacional, em Oeiras, onde joga o Belenenses SAD, e o estádio do Bonfim, utilizado pelo Vitória de Setúbal, serão os primeiros a ser visitados, na quarta-feira, seguindo-se os dois estádios das ilhas, Barreiros, no Funchal, e São Miguel, em Ponta Delgada.

Os recintos dos ‘três grandes’ vão ser visitados em seguida, com a Luz (Benfica) a ser auditada em 03 de março, Alvalade (Sporting) no dia seguinte e o Dragão (FC Porto) em 10 de março.

O último estádio a ser alvo de vistoria será o Municipal de Portimão, ‘casa’ do Portimonense, no dia 27 de março.

O MAI recorda que a realização das auditorias, “visando o rigoroso cumprimento do novo Regime Jurídico da Segurança no Desporto, foi uma das medidas decididas na reunião entre o Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, e o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença”, realizada em 27 de janeiro.

Na mesma reunião foram também consensualizadas, segundo o MAI, “medidas adicionais de controlo do acesso do público aos jogos considerados de risco elevado e a entrada em vigor do cartão de adepto, para identificar todos aqueles que queiram assistir aos espetáculos desportivos nas zonas reservadas à exibição de materiais de claque (bandeiras, faixas, material sonoro)”.

– Calendário das auditorias aos 18 estádios da I liga:

26 fevereiro: Estádio Nacional (Belenenses SAD), Estádio do Bonfim (Vitória de Setúbal).

27 fevereiro: Estádio dos Barreiros (Marítimo).

28 fevereiro: Estádio de São Miguel (Santa Clara).

03 março: Estádio da Luz (Benfica).

04 março: Estádio José Alvalade (Sporting).

10 março: Estádio do Dragão (FC Porto).

11 março: Estádio dos Arcos (Rio Ave), Estádio Municipal de Famalicão (Famalicão).

17 março: Estádio Municipal de Braga (SC Braga), Estádio Cidade de Barcelos (Gil Vicente).

18 de março: Estádio João Cardoso (Tondela), Estádio Comendador Joaquim Almeida Freitas (Moreirense).

24 de março: Estádio Capital do Móvel (Paços de Ferreira), Estádio do CD Aves (Desportivo das Aves).

25 de março: Estádio do Bessa (Boavista), Estádio D. Afonso Henriques (Vitória SC).

27 de março: Estádio Municipal de Portimão (Portimonense).

Continuar a ler

Populares