Seguir o O MINHO

Braga

Idosos na Póvoa de Lanhoso abrem porta do quarto a Sara (e ela expõe trabalho em Londres)

Um alerta para o envelhecimento populacional

em

Série "+65". Foto: Sara Lopes

Para completar um projeto de fotografia, Sara Lopes, 25 anos, decidiu retratar todos os habitantes idosos da freguesia de São João de Rei, na Póvoa de Lanhoso, e captou o interesse internacional da Embaixada do Brasil em Londres, onde viu a obra exposta no mês de dezembro.

Licenciada em fotografia pelo Instituto do Porto e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, a ideia de sara passa por demonstrar a realidade do envelhecimento de Portugal, sobretudo das aldeias rurais.

Para isso, retratou 57 idosos, em suas casas, no quarto onde dormem, de forma a criar “uma história, uma vida”, no ambiente envolvente.

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Sara conta que o projeto “+65” (assim chamado por todos os que aparecem terem mais de 65 anos), começou em casa da avó. “Enquanto ela esperava que eu preparasse a câmara, fomos conversando sobre o facto de haver poucas crianças na vila [Póvoa de Lanhoso] atualmente”, revela a autora em nota autobiográfica, a que O MINHO teve acesso.

São João de Rei tem 401 habitantes, segundo os censos de 2011, e, na mesma data, estavam registadas 54 crianças naquela localidade e 76 pessoas com mais de 65 anos.

A grande percentagem de idosos tem vindo a aumentar e a natalidade a diminuir, sobretudo nestas aldeias mais isoladas (fica a oito quilómetros da sede de concelho), e Sara dá conta disso mesmo.

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

“Cresci na freguesia e fui notando que, com o tempo, ia havendo menos crianças na aldeia. Ora, por oposição, notei também que havia cada vez mais idosos”, escreve.

“Esta forte ligação entre as minhas memórias e o espaço físico de São João de Rei, assim como com alguma da população idosa, levou-me à concretização deste projeto”, revela, acrescentando que “além disso, a série também permite ver traços da cultura portuguesa, como a importância da religião e da família”.

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Série “+65”. Foto: Sara Lopes

Exposição em Londres

Concluído o mestrado em Braga, Sara rumou a Londres, onde completou um novo mestrado, desta vez em Fotojornalismo e Fotografia Documental. Seguiu-se uma nomeação para o VIA Arts Prize, um prémio promovido pela Embaixada do Brasil em Londres, que se dedica a divulgar a cultura das artes, não só do Brasil, mas de todas as culturas latino-americanas.

A série “65+” de Sara Lopes esteve em exposição na Sala Brasil da Embaixada do Brasil em Londres, de 13 de novembro a 11 de dezembro de 2019.

Anúncio

Braga

Covid-19: Ricardo Rio no ‘Programa da Cristina’, na SIC, em direto de Braga

O presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, falou no ‘Programa da Cristina’, na quinta-feira, na SIC, tendo explicado os desafios actuais com que as autarquias se deparam, assim como as medidas implementadas pelo Município de Braga no combate à propagação da pandemia desencadeada pela covid-19, nomeadamente no seguimento das situações que se verificam no lar do Asilo S. José e na Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga. Vídeo: Facebook de Município de Braga

em

O presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, falou no ‘Programa da Cristina’, na quinta-feira, na SIC, tendo explicado os desafios actuais com que as autarquias se deparam, assim como as medidas implementadas pelo Município de Braga no combate à propagação da pandemia desencadeada pela covid-19, nomeadamente no seguimento das situações que se verificam no lar do Asilo S. José e na Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga.

Continuar a ler

Braga

Covid-19: Hospital de Braga tem seis doentes em condições de ter alta, mas que não têm para onde ir

Casos recuperados

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Seis utentes que chegaram ao Hospital de Braga com covid-19 e que cumprem, agora, os critérios clínicos para receberam alta, não têm para onde ir. São pessoas que não têm nem família, nem nenhum lar à espera.

Fonte hospitalar confirmou a situação e, apesar de poderem ter alta, de acordo com os critérios da Direção-Geral da Saúde, os doentes têm indicação para isolamento e acompanhamento em regime domiciliário.

“Em conjunto com as autoridades e instituições locais, o Hospital de Braga encontra-se a definir soluções para a integração destes utentes na comunidade, nos parâmetros e condições definidas para o tratamento deste vírus”, refere aquela fonte.

“Esta estratégia segue as recomendações da Direção-Geral da Saúde, para manter disponíveis o maior número possível de camas hospitalares tendo em conta a evolução da pandemia em Portugal”, acrescenta.

Portugal regista hoje 246 mortes associadas à covid-19, mais 37 o que na quinta-feira, e 9.886 infetados (mais 852), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Oficial: 305 infetados em Braga e 70 em Barcelos. Há 777 casos confirmados no Minho

No Minho, o número de infetados confirmados ascende a 777.

Continuar a ler

Braga

Sapadores de Braga desinfetaram lar onde já morreram cinco idosos

FOTOGALERIA

em

Fotos: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Uma equipa da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga esteve, esta sexta-feira à tarde, a desinfetar o primeiro andar do lar do Asilo S. José, na freguesia de S. Vicente, onde já morreram cinco utentes, com o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19. Foram desinfetados 11 quartos.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Situação “terrível” em lar de Braga: Cinco mortos, 44 idosos infetados e funcionários exaustos

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Fotos: CMB

Esta medida teve como objectivo salvaguardar a segurança dos utentes desta instituição.

A ala foi desocupada (de acordo com uma reorganização desenvolvida pela Protecção Civil, pelo Delegado de Saúde e pela própria Instituição) para que a desinfecção se pudesse realizar. Numa data posterior, este serviço poderá repetir-se noutra ala da instituição que seja desocupada. A acção envolveu dois Bombeiros no interior do Lar, equipados com atomizadores, e dois Bombeiros no exterior para ajuda na descontaminação e no recarregamento dos atomizadores.

Esta foi a primeira vez que aquela corporação de bombeiros profissionais foi acionada para este tipo de serviço.

Continuar a ler

Populares