Seguir o O MINHO

Região

Remoção de pórtico na A28 garante “equidade” nos acessos a Viana do Castelo e Porto

Confederação Empresarial do Alto Minho

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL), Luís Ceia, avançou esta terça-feira à Lusa que a eliminação do pórtico de Neiva da Autoestrada 28 (A28) garantirá “equidade” no acesso aos distritos de Viana do Castelo e do Porto.


“A eliminação do pórtico reduzirá o custo da viagem, em portagens, do itinerário entre Viana do Castelo e o Porto, e vice-versa, em 0,65 euros para veículos da Classe 1 e em 1,25 euros para veículos da Classe 2, indo até ao encontro da perspetiva do Governo de baixar o custo das portagens nos territórios do interior”, sustentou.

Em causa está o pórtico de Neiva da A28, antiga SCUT (Sem Custos para o Utilizador) que liga Viana do Castelo ao Porto, situado à entrada de uma zona industrial da capital do Alto Minho e que é considerado “entrave” à atividade empresarial da região.

Em declarações à agência Lusa, a propósito da discussão no parlamento, na quinta-feira, da petição pela eliminação daquele pórtico entregue pela CEVAL em 2017, Luís Ceia defendeu ainda, “sem redução de receitas das portagens na ligação entre Viana do Castelo e o Porto, a correção dos valores no pórtico de Modivas, em Vila do Conde”, considerando que a medida “contribuirá para uma maior utilização do metro do Porto”.

“Bastará um aumento de 0,25 euros no valor do pórtico de Modivas para garantir a perda de receita pela eliminação do pórtico do Neiva, que, atualmente, se traduz numa receita mensal de 350 mil euros”, referiu, baseando-se nos dados do estudo que acompanha a petição da CEVAL, estrutura que representa cerca de 5.000 empresas do distrito de Viana do Castelo.

Segundo Luís Ceia, “se o valor for corrigido conduzirá à redução do número de veículos nas entradas e saídas do Porto, mais um passo para a descarbonização da cidade e para a diminuição do tempo da travessia da cidade para quem viaja do Alto Minho e Galiza para o sul e vice-versa”.

A recolha de assinaturas foi iniciada em abril de 2017. A petição foi “subscrita, presencialmente e ‘online’, por mais de sete mil pessoas”.

A petição “Pela eliminação do pórtico de Neiva, pórtico 4 da A28, entre Neiva e Darque”, foi entregue pela CEVAL ao então vice-presidente da Assembleia da República, deputado Jorge Lacão, em novembro de 2017.

A reunião plenária que discutirá o documento está marcada para quinta-feira, pelas 15:00.

Luís Ceia acrescentou que, com “ambas as propostas, passará a verificar-se uma equidade de tratamento das duas sedes de distrito, pois ficariam ambas com 14 quilómetros da autoestrada A28 não portajada”.

“Atualmente o troço isento de pagamento de portagem para quem se dirige de sul para a cidade de Viana do Castelo tem apenas uma extensão de quatro quilómetros”, especificou.

Luís Ceia reforçou também que a remoção daquele pórtico “evitará, no futuro, a transferência do tráfego para a EN 13, já de si congestionada e com elevada sinistralidade”.

“Antes do pórtico de Neiva o tráfego diário naquele troço da A28 é de mais de 30 mil veículos. Depois do pórtico cai para 15.014 mil carros. Estamos a falar de cerca de 15.700 carros que entram na EN 13”, reforçou, acrescentando que será um dos argumentos que irá defender na quinta-feira, na Assembleia da República.

O presidente da CEVAL destacou ainda que “com a eliminação do pórtico ficará resguardada a futura via de acesso ao porto de mar de Viana do Castelo”.

Em causa está uma rodovia com 8,8 quilómetros, já em construção, que ligará o porto comercial ao nó da A28 em São Romão de Neiva, permitindo retirar o tráfego de pesados do interior de vias urbanas.

“Se essa via vier a ser muito utilizada por trânsito que não tem como destino a zona portuária, a consequência será um maior congestionamento da ponte Eiffel sobre o rio Lima”, especificou.

Aquela obra começou em fevereiro de 2019, num investimento de 5,3 milhões de euros. Os acessos “pretendem melhorar a acessibilidade à infraestrutura portuária, reforçando a sua competitividade e alargando o seu ‘hinterland’”.

Com prazo de execução de 18 meses, a empreitada é financiada pela Câmara Municipal de Viana do Castelo e pela APDL.

Anúncio

Ave

Juiz manda prender dois suspeitos de 17 furtos em estabelecimentos e casas de Fafe

Crime

em

Foto: DR

Os dois homens do trio suspeito de 17 furtos a estabelecimentos comerciais e residências de Fafe ficaram em prisão preventiva após terem sido presentes a juiz no Tribunal Judicial de Fafe, na sexta-feira.

A mulher ficou sujeita à medida de coação de apresentações trissemanais no posto policial da sua área de residência.

Trio detido em Viana do Castelo suspeito de realizar 17 assaltos em Fafe

Recorde-se que a GNR tinha detido, na semana passada, dois homens e uma mulher, com idades entre os 25 e os 35 anos, em Viana do Castelo, por furtos em estabelecimentos comerciais e residências em Fafe.

 

Continuar a ler

Braga

Câmara de Braga e construtora pedem a tribunal para decidir dívida

Justiça

em

Foto: DR

O consórcio Assoc e a Câmara de Braga não chegaram a acordo sobre o pedido da empresa de dez milhões por causa da construção do Estádio Municipal e, por isso, irá recorrer ao Tribunal Administrativo para resolver a questão, avança o Jornal de Notícias (JN).

Entretanto, adianta o mesmo jornal, o município também recorreu de outra decisão judicial que o obriga a pagar 4,9 milhões ao arquiteto Souto Moura.

Em declarações ao JN, o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, confirmou que “não foi possível chegar a acordo já que a Assoc pedia dez milhões sem justificar esse valor” e, portanto, “o tribunal terá que chegar a um valor, não por estimativa, mas com dados confirmados”.

Câmara de Braga perde recurso e terá que pagar 4,9 milhões a Souto Moura

Em sentença confirmada pela segunda instância, o Tribunal Administrativo de Braga condenou a Câmara a pagar um valor não quantificado à Assoc (Soares da Costa, Grupo Rodrigues e Névoa, Casais, DTS, ABB e duas empresas que ficaram insolventes – Eusébios e J. Gomes), por prolongamento de custos de estaleiro para terminar a obra em finais de 2003.

Em 2018, a Câmara tinha já sido condenada a liquidar quatro milhões ao mesmo consórcio – no caso, por horas extraordinárias na execução da obra do estádio -, tendo recorrido para o Supremo Tribunal de Justiça no ano seguinte.

São 4,9 milhões de euros a pagar pela Câmara ao consórcio formado entre as empresas Souto Moura – Arquitetos, Lda e Associados – Projetos de Engenharia, SA, que fez, em 2000, o projeto do novo estádio da cidade para o Euro 2004.

Continuar a ler

Região

Distritos de Braga e Viana em risco extremo de exposição a raios ultravioleta

Meteorologia

em

Foto: DR

Catorze distritos de Portugal continental apresentam hoje um risco extremo de exposição à radiação ultravioleta (UV) e o resto do país está com níveis muito elevados, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco extremo estão os distritos de Viana do Castelo, Braga Porto, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Coimbra, Castelo Branco, Santarém, Portalegre, Évora, Beja e Faro.

Para estes distritos com risco extremo, o IPMA recomenda que se evite o mais possível a exposição ao sol.

Ainda no continente, os distritos de Aveiro, Leiria, Lisboa e Setúbal apresentam hoje níveis muito elevados de exposição à radiação UV.

Os arquipélagos da Madeira e dos Açores (com exceção da ilha de São Miguel que está com risco elevado e Faial moderado) estão hoje com níveis muito elevados.

Para as regiões com risco muito elevado, o IPMA aconselha a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 de cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Continuar a ler

Populares