Redes Sociais

Região

Regulamento do parque ecológico de Viana do Castelo em discussão pública

 a

Foto: DR

A proposta de regulamento municipal do Parque Ecológico Urbano de Viana do Castelo (PEUVC) foi esta quarta-feira colocada à discussão pública, por um prazo de 30 dias, indica um aviso publicado em Diário da República (DR).

De acordo com a publicação do DR, “as sugestões deverão ser formuladas por escrito”, sendo que a proposta de regulamento “está disponível para consulta no Serviço de Atendimento ao Munícipe (SAM) ou na página eletrónica do município”.

“O PEUVC é um espaço dedicado ao recreio e lazer, e a atividades de educação ambiental, e de investigação científica e conservação da natureza, integrado no Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA)”, lê-se na publicação.

Após a conclusão do prazo de discussão pública, o documento voltará a ser apreciado em reunião camarária e, posteriormente, pela Assembleia Municipal.

Com cerca de 20 hectares, o PEUVC foi inaugurado em março de 2008 e, desde então, recebe apenas visitas guiadas para grupos, restrição contestada há anos, quer pelos partidos da oposição quer pela população local.

A proposta de regulamento agora em discussão pública foi aprovada, em maio, pelo executivo municipal, com o objetivo de permitir a abertura daquele espaço à comunidade.

Naquele documento, a autarquia da capital de distrito refere que “estão reunidas as condições para que o espaço possa ser acedido pelo público, sem as condicionantes específicas em vigor”, face “à maturidade que o projeto alcançou e que implica no equilíbrio entre as suas componentes funcionais, ecológicas e paisagísticas, e a garantia de gestão sustentável, premissas que, aliás, foram pressupostos de base ao programa de recuperação e reabilitação daquela unidade de paisagem”.

“O acesso ao PEUVC poderá estar sujeito ao pagamento de uma tarifa cujo valor é fixado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo”, lê-se na proposta de regulamento a que a agência Lusa teve acesso.

O documento refere ainda que os utilizadores poderão ser distinguidos por categorias, entre elas a de Público, Amigo do Parque, para todos os que adiram ao programa “Amigo do Parque”, e de Empresa Amiga, destinada a todas as entidades coletivas que contribuam com um donativo ou que patrocinem atividades, eventos específicos ou ações de melhoria do PEUVC.

É ainda criada a figura do “Benfeitor” do PEUVC, para distinguir “toda a pessoa singular que contribuir com um donativo”.

Situado junto ao rio Lima, na zona da caldeira de marés das antigas Azenhas Dom Prior, aquele parque é uma das obras emblemáticas do Programa Polis, que investiu dois milhões de euros na recuperação daquela área.

Apesar das limitações de acesso, a autarquia sempre garantiu que a estrutura “cumpriu as suas funções pedagógicas e de sensibilização e educação ambiental”, com “milhares de visitantes por ano”, sobretudo alunos das escolas da região.

O PEUVC integra a Rede Portuguesa de Estações da Biodiversidade e é o primeiro Parque de Halófitas em Portugal.

Recebeu o Prémio Nacional de Arquitetura Paisagista, na categoria de Parques e Jardins, em 2009, cujo projeto é da autoria da arquiteta Ana Barroco.

Em 2011, recebeu uma menção honrosa na categoria de Melhor Serviço de Extensão Cultural dos Prémios APOM 2011, atribuídos pela Associação Portuguesa de Museologia.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Startup Portugal despediu-se de Caldeira Cabral: “É um empreendedor de coração”

Ex-Ministro da Economia, Professor da UMinho e cabeça de lista do PS por Braga, nas eleições legislativas de 2015.

Publicado

 a

A incubadora de empresas Startup Portugal agradeceu hoje ao ministro da Economia cessante, Manuel Caldeira Cabral, por ter ajudado a “fomentar” o setor da inovação no país, considerando-se um “empreendedor de coração”.

“Obrigado, Manuel Caldeira Cabral, por todo o tempo disponibilizado e por ter ajudado a fomentar o setor das ‘startups’ [empresas com potencial de crescimento rápido] em Portugal”, escreve a Startup Portugal numa publicação feita na rede social Facebook.

A associação empresarial dirigida por Simon Schaefer acrescenta: “É um empreendedor de coração”.

Caldeira Cabral, que há três anos deixou os bastidores da política e foi para o Ministério da Economia, não resistiu à terceira remodelação ministerial, e sai do Governo com a polémica escolha do deputado Carlos Pereira para vogal da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) ainda acesa.

Antes desta polémica o ter levado ao parlamento com caráter de urgência, Manuel Caldeira Cabral foi o rosto do executivo – com o primeiro-ministro, António Costa – que anunciou a continuidade da Web Summit em Lisboa por mais 10 anos, um dos dossiês que liderou ao longo do mandato, marcado por uma agenda preenchida com visitas a empresas, de norte a sul do país, e participação em debates.

Desde as primeiras intervenções públicas, o governante assumiu que o investimento seria “a forte prioridade” e o papel das empresas “tem de ser o fator principal”, pela sua capacidade “de assumir riscos que podem criar valor, criar emprego e aumentar a produtividade”.

Manuel Caldeira Cabral, antigo assessor de Manuel Pinho e Teixeira dos Santos, eleito deputado pelo círculo de Braga, assumiu em 26 de novembro de 2015, um superministério, que juntava o turismo, o comércio, as PME (pequenas e médias empresas) e a energia, atribuídos a quatro secretários de Estado.

Nascido em 28 de abril de 1968, Caldeira Cabral, professor universitário no departamento de Economia da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, foi um dos economistas que preparou o cenário macroeconómico de António Costa.

O primeiro-ministro fez hoje a maior remodelação no Governo, envolvendo quatro ministérios, com a substituição, na Defesa, de Azeredo Lopes por João Gomes Cravinho, e na Economia, de Manuel Caldeira Cabral por Pedro Siza Vieira.

O primeiro-ministro propôs ainda as mudanças do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, substituído por Marta Temido, e do ministro da Cultura, pasta em que Graça Fonseca sucede a Luís Filipe Castro Mendes – nomeações já aceites pelo Presidente da República.

Com as mudanças agora operadas, o número de ministros desce de 17 para 16, já que Pedro Siza Vieira passa a ser ministro-adjunto e da Economia.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Região

15 de outubro, 2017: “Um dia mau demais para ser verdade” em 53 notícias de O MINHO

Incêndios em Monção, Braga e região do Minho.

Publicado

 a

Situação vivida no Minho em destaque na SIC Notícias, através do jornal O MINHO. Foto: Imagem da SIC Notícias

A  outubro, no Minho, Monção, Braga e outros concelhos viveram momentos de horror, com incêndios que começaram no fim-de-semana de 14 e 15, e cujo período mais crítico se viveu na noite de domingo e madrugada de segunda-feira.

Recordamos o acontecimento recolocando, por ordem cronológica, as notícias publicadas na edição desse dia e do dia seguinte, num total de publicações:

Domingo, 12:43 – Primeira notícia: Monção

Incêndio em Monção mobiliza 183 operacionais, 56 viaturas e três meios aéreos

Domingo, 15:45: Valença

“Fogo em Valença toma proporções alarmantes”, diz presidente da Câmara

Domingo, 15:45: Melgaço

Fogo obriga à evacuação de aldeia de Melgaço, diz Proteção Civil Municipal

Domingo, 16:14: Monção

Lar de idosos evacuado em aldeia de Monção por causa dos incêndios

Domingo, 17:01: Valença

Bombeiros e população “salvam” mais de uma dúzia de casas em Valença

Domingo, 17:55: Braga

Bombeiro de Braga e outro de Vizela feridos em incêndio florestal na Serra do Carvalho

Domingo, 18:29: Ponte de Situação

“Este domingo foi o pior dia do ano em incêndios”, diz autoridade da Proteção Civil

Domingo, 20:16: Previsão para o dia seguinte

Chuva regressa nesta segunda-feira e deve prolongar-se durante a semana

Domingo, 22:21: Caos em Braga

Incêndios estão a rodear a cidade de Braga de um mar de chamas

Domingo, 22:28: Viana do Castelo

Bombeiros defendem “casa a casa” em Viana do Castelo

Domingo, 23:20: Distrito de Braga

Incêndios. Mais de 20 estradas cortadas no país, entre as quais a A11 e a EN202

Domingo, 23:31: Monção

Incêndios. Mais um lar evacuado em Monção onde quase metade do território está a arder

Domingo, 23:51: Braga

Braga TV mostra “inferno de chamas” que se vive em Braga

Segunda, 0:07: Braga

Incêndios. Pessoas oferecem ajuda em Braga pelo Facebook

Segunda, 0:09: Braga

Incêndios. Fogo propaga-se para zonas onde há habitações em Braga

Segunda, 0:22: Região

Incêndios. Portugal Telecom com 600 técnicos no terreno para restabelecer comunicações

Segunda, 0:28: País

Incêndios. Presidente da República manifesta “solidariedade” com populações e autarcas

Segunda, 0:32: Braga

Incêndios. Uma casa ardeu em Braga e um hotel foi evacuado

Segunda, 0:53: País

Incêndios. Proteção Civil ativa linha telefónica 800 246 246 para prestar informações

Segunda, 1:08: Monção

Incêndios. Segurança Social disponibiliza apoio psicossocial de emergência em Monção

Segunda, 1:37: Braga

Incêndios. Chuva chega a Braga por volta das 4 da manhã, diz “Windguru”

Segunda, 2:10: Região

Incêndios. Duas pessoas morrem na Galiza e presidente da Junta culpa descontrolo de Portugal

Segunda, 2:52: Braga

Incêndios. Arcebispo de Braga diz ser “imperioso apurar responsabilidades e agir”

Segunda, 4:10:

Incêndios. Plano Municipal de Emergência ativado em Braga

Segunda, 6:33: Gerês

Animais carbonizados e aldeias em risco no Soajo em pleno Parque Nacional da Peneda Gerês

Segunda, 7:19: Viana do Castelo

Viana do Castelo. Até nem a praia escapa aos incêndios florestais

Segunda, 8:05: Atualização meteorológica

Incêndios. Chuva regressa ao continente, mas só ao final do dia nos distritos afetados

Segunda, 8:14: Braga

Milhares de pessoas evacuadas em três horas de “inferno” na cidade dos Arcebispos

Segunda, 9:14: Braga

Incêndio de Braga levou à explosão de uma casa e faz dois desalojados

Segunda, 9:18: Monção

Incêndios. Situação controlada em Monção

Segunda, 9:14: Braga

Incêndios. Situação em Braga a “evoluir favoravelmente”

Segunda, 9:58: Braga

Incêndios. Proteção Civil de Braga lança aviso à população

Segunda, 10:44: Melgaço

Incêndios. Extinto fogo em Melgaço

Segunda, 2:53: Braga

Incêndios. Braga teve um domingo “mau de mais para ser verdade”

Segunda, 11:07: País

Incêndios. Ordem apela a médicos que apoiem populações

Segunda, 16:32: Gerês

Incêndios. Chamas controladas em áreas do Parque Parque Nacional da Peneda-Gerês

Segunda, 16:45: Braga (Rescaldo)

Incêndios. “Inferno ao vivo” fere de morte pulmão de Braga

Segunda, 18:17: Braga (Balanço)

Incêndios. Chamas consumiram 1.200 hectares de floresta em Braga

Segunda, 18:29: País 

Incêndios. Luto nacional e combate a fogos adiam cerimónias do Dia do Exército em Guimarães

Segunda, 18:43: Braga

Incêndios. Descendente de bracarenses, Daniela Mercury presta solidariedade

Segunda, 18:49:

Vídeo mostra “rasto de destruição” em Braga

Segunda, 18:52: País

Período crítico de incêndio prorrogado até 31 de outubro

Segunda, 20:39:

Balanço. Mais de mil hectares arderam num só incêndio em Braga

Segunda, 22:49:

Incêndios. Chamas em Monção “completamente extintas”, Proteção civil

Terça, 0:39: Terras de Bouro

Incêndios. PJ deteve casal suspeito de atear fogo em Terras de Bouro

Segunda, 0:44: Monção (Balanço)

Incêndios. Mais de seis mil hectares de floresta consumidos pelo fogo em Monção

Terça, 16:08: Monção

Incêndios. Fogo em Monção só terminou 40 quilómetros dentro do solo espanhol

Terça, 16:32: Região

Incêndios. Braga, Viana do Castelo, Barcelos e Guimarães fazem manifestações silenciosas

Terça, 17:19: Braga

Incêndios. Em Braga o SIRESP teve falhas durante 16 horas e os meios aéreos não existiram

Terça, 17:37: País

Incêndios. Total de floresta ardida em Portugal este ano equivale ao tamanho do distrito de Viana

Terça, 22:31: País

Incêndios. Proteção Civil reduz estado de alerta para laranja nos 18 distritos

Terça, 23:37: Guimarães

Incêndios. Cerca de 200 pessoas manifestaram-se em Guimarães

Quarta, 20:32: Viana do Castelo

Incêndios. Eventos unem-se para uma grande manifestação em Viana

No dia 15 de outubro, Portugal viveu o pior dia de incêndios de 2017, em número de ignições, quatro meses após a tragédia de Pedrógão Grande, na qual 64 pessoas perderam a vida, entre as quais um bombeiro, e mais de 250 feridos ficaram feridas.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Aqui Perto

PR preocupado com pescadores desaparecidos após naufrágio de embarcação da Póvoa de Varzim

A embarcação “Mestre Silva”, com cerca de 12 metros, registada na Póvoa de Varzim, mas que operava normalmente a partir do porto de Matosinhos, naufragou esta manhã cerca de dez milhas (cerca de 19 quilómetros) ao largo de Espinho, distrito de Aveiro, com cinco tripulantes a bordo.

Publicado

 a

Foto: DR/Arquivo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, expressou hoje a sua “preocupação” pelos três pescadores, ainda dados como desaparecidos, após o naufrágio de uma embarcação ao largo de Espinho.

Numa nota publicada pelo site da presidência de República, Marcelo Rebelo de Sousa manifestou, também, “as mais sentidas condolências aos familiares e amigos” da vítima mortal do acidente e “o desejo de rápidas melhoras ao sobrevivente hospitalizado”.

O Presidente da República contactou José Festas, presidente da Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar, para se inteirar da situação e partilhar sua preocupação e dor pelo sucedido.

“Lamentavelmente, a dureza das condições meteorológicas sentidas nos últimos dias, que afetaram tantos Portugueses sobretudo na zona centro do país e, em particular hoje, a dureza da força do mar acabou por ceifar, precocemente, a vida de um dos elementos da ‘Mestre Silva’, expressando o Presidente da República as mais sentidas condolências aos seus familiares e amigos”, pode ler-se na nota.

A embarcação “Mestre Silva”, com cerca de 12 metros, registada na Póvoa de Varzim, mas que operava normalmente a partir do porto de Matosinhos, naufragou esta manhã cerca de dez milhas (cerca de 19 quilómetros) ao largo de Espinho, distrito de Aveiro, com cinco tripulantes a bordo.

Apenas um pescador foi, até agora, resgatado com vida, o mestre da embarcação, Rafael Silva, de 54 anos, natural de Vila do Conde, que teve de receber assistência no hospital de Santa Maria da Feira.

Há uma vítima mortal confirmada, um pescador da Póvoa de Varzim, de 54, enquanto três elementos estão dados como desaparecidos: um pescador de Vila do Conde, de 64 anos, e dois indonésios de 26 e 33 anos.

Durante o dia, as buscas pelos pescadores desaparecidos foram realizadas por embarcações e por um avião e um helicóptero da Força Aérea.

José Festas, presidente da Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar, revelou, depois de conversar com único sobrevivente, que o acidente aconteceu após uma onda atingir a embarcação.

“Disse-me que estavam todos a trabalhar, quando foram surpreendidos por uma ?volta de mar’, uma vaga forte, que virou embarcação. Depois disso já não tem mais consciência do que se passou”, partilhou José Festas, depois da conversa com o mestre, que está bem e ainda hoje deve regressar a casa.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares