Seguir o O MINHO

Barcelos

Quatro detidas por violarem confinamento obrigatório para trabalhar em Barcelos

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Quatro mulher, com idades entre os 24 e os 47 anos, foram detidas por estarem a trabalhar quando estavam obrigadas a confinamento determinado pela autoridade de saúde, na passada quarta-feira, na freguesia de Moure, em Barcelos, anunciou hoje a GNR.


“No decorrer de uma ação de policiamento para a verificação do dever de confinamento obrigatório, os militares detetaram quatro mulheres a laborar quando se encontravam em confinamento obrigatório determinado pela autoridade de saúde”, refere comunicado.

As mulheres foram detidas e acompanhadas até ao domicílio onde cumpriam o isolamento profilático.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Barcelos.

Anúncio

Barcelos

Lar em Barcelos que teve surto com 13 infetados já está livre da covid-19

Casa do Povo de Alvito

em

Foto: DR / Arquivo

O lar da Casa do Povo de Alvito, em Barcelos, que teve um surto com 13 infetados, está finalmente livre da covid-19, anunciou hoje a instituição.

“O surto na nossa instituição foi devidamente ultrapassado, sem qualquer baixa e com total recuperação de todos aqueles que foram infetados”, refere em comunicado o presidente da Casa do Povo de Alvito, José Silva.

A instituição sublinha que, após os primeiros casos positivos, “adotou de imediato as medidas emanadas pela DGS” e, para além disso, “toda a equipa de recursos humanos já tinha sido capacitada através de ações de formação para a aplicação rigorosa do Plano de Contingência nestas situações”.

“Durante o surto foram também acompanhadas pela equipa multidisciplinar da instituição que mutuamente se foram apoiando a nível psicológico e emocional.

A equipa uniu-se ainda mais e juntos conseguimos ultrapassar este episódio bastante desafiante ao nível físico, psicológico, emocional e social”, salienta José Silva.

Surto em lar de Barcelos com nove utentes e quatro funcionários infetados

O presidente da instituição agradece “a todos os recursos humanos que de dia e de noite, dias úteis e fim de semana, estiveram de alma e coração a cuidar dos nossos idosos para que nada lhes faltasse”, bem como ao ACES Cávado III.

“Neste momento os nossos utentes estão bem, apresentando-se estáveis fisicamente. A nível psicológico e emocional tiveram sempre, e continuam a receber, o apoio da Psicóloga da Instituição, tal como da Animadora Sociocultural e da Fisioterapeuta que assim que se reuniram as condições necessárias retomaram o desempenho das suas funções”, acrescenta o comunicado.

Como O MINHO noticiou em primeira mão, houve um surto no lar da Casa do Povo de Alvito, em Barcelos, com nove utentes e quatro colaboradores infetados.

O surto no lar, que tem 29 utentes, teve origem num colaborador externo. Logo que foi detetado o caso a Casa do Povo de Alvito realizou testes rápidos a todos os colaboradores e utentes, que revelaram três positivos.

Depois, foram realizados novos testes, cujos resultados foram conhecidos na quarta-feira: nove utentes testaram positivo, bem como dois colaboradores internos e dois externos.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos aprova maior orçamento de sempre com votos contra de PSD e CDS

BTF absteve-se

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

A Câmara de Barcelos, de maioria PS, aprovou para 2021 o seu maior Orçamento de sempre, no valor de 84,6 milhões de euros, mas com os votos contra de PSD e CDS, que falam em “mais do mesmo”.

Quanto aos eleitos do Barcelos, Terra de Futuro (BTF), um absteve-se e o outro, que entretanto abandonou aquele movimento independente e se “juntou” à maioria socialista, votou a favor.

O Orçamento agora aprovado representa um aumento de 14 milhões de euros face ao de 2020.

O aumento é justificado, sobretudo, pela transferência de verbas referente à delegação de competências no âmbito da Educação, ao aumento de transferência de verbas do Orçamento de Estado e às candidaturas a fundos comunitários.

“Apesar das transferências diretas do Estado para o município de Barcelos terem um aumento de cerca de oito% face a 2020, este pode não ser suficiente para aguentar a expectável perda de receitas próprias, motivada pela recessão da economia provocada pela pandemia de covid-19, em áreas tão importantes como a derrama o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) ou, ainda, a diminuição das receitas dos licenciamentos”, acrescenta a Câmara.

Para o PSD e CDS, a Câmara “podia e devia” descer a taxa de IMI e a derrama, além de devolver parte do IRS.

Os dois partidos consideram ainda que o Orçamento para 2021 representa o adiar de um “real plano de investimento” em obras estruturantes, como a aquisição do terreno para o novo hospital, o fecho da circular urbana e as variantes de Arcozelo e Tamel S. Veríssimo, a eliminação das passagens de nível, a ligação pedonal e rodoviária da central de camionagem ao centro da cidade, a recuperação de grande parte das estradas municipais ou uma “aposta séria” e determinada no rio e nas frentes ribeirinhas.

“As opções são as mesmas, não se registando, definitivamente, uma nova dinâmica, quando a cidade, o concelho e as pessoas mais dela precisavam”, lê-se na declaração de voto do PSD.

Visão diferente tem a maioria socialista, que destaca os investimentos em curso nas áreas da mobilidade, da regeneração urbana e das estruturas de âmbito educativo, cultural, social e da saúde, bem como “um vasto conjunto” de projetos a iniciar durante o ano de 2021 e que incluem “uma forte comparticipação de fundos comunitários”.

“De igual modo, mantêm-se os investimentos nas freguesias, através da transferência de verbas em montante igual ao que estaria previsto no contrato de cooperação para o ano de 2021, ou seja, mais de 5,9 milhões de euros”, acrescenta.

Diz ainda que serão mantidos e reforçados os apoios às pessoas em situação de maior carência económica e social (como a habitação e a ação social escolar), bem como às instituições públicas e privadas que estão na linha da frente do combate à pandemia.

“Ao mesmo tempo que está preparada para acudir a qualquer situação de emergência, a Câmara, com esta proposta de Orçamento, fica munida dos instrumentos financeiros necessários aos investimentos planeados (quer os que integram os programas comunitários, quer os que se mostram prioritários no território do concelho e em parceria com as freguesias), aos apoios sociais e culturais e aos investimentos ligados à descentralização de competências na área da Educação, mantendo, assim, os objetivos de desenvolvimento traçados e assumidos com os barcelenses para o mandato que termina em 2021”, remata.

Continuar a ler

Barcelos

Comércio em Barcelos autorizado a abrir às 09:00

Estado de emergência

em

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO

A Câmara de Barcelos autoriza que os estabelecimentos de comércio e serviços possam abrir às 09:00, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado, o município salienta que a medida obteve o parecer favorável da autoridade local de saúde e das forças de segurança, conforme previsto na lei, e tem subjacentes razões de saúde pública, procurando evitar a concentração de pessoas durante o reduzido período de funcionamento dos estabelecimentos, e as caraterísticas do tecido empresarial e comercial do concelho de Barcelos.

Os estabelecimentos devem manter todas as medidas de segurança destinadas a evitar a transmissão da covid-19, tendo em atenção a sua área de venda e a proteção dos funcionários e clientes.

Esta medida inscreve-se na regulamentação relativa à aplicação do estado de emergência, que confere ao Presidente da Câmara a competência para a fixação dos horários de funcionamento dos estabelecimentos da respetiva área territorial, e manter-se-á por tempo indeterminado, sem prejuízo da sua reavaliação caso se venha a justificar.

Continuar a ler

Populares