Seguir o O MINHO

Guimarães

PSP evitou “intervenção pela força” para dispersar aglomerado Nicolino em Guimarães

Festas Nicolinas

em

Imagem: Redes sociais

O comando distrital de Braga da PSP informou esta tarde que evitou recorrer a uma intervenção musculada durante uma concentração de cerca de uma centena de pessoas no centro histórico de Guimarães, que celebravam o arranque das Festas Nicolinas e o Dia do Pinheiro, tradição enraizada naquela cidade.

Em comunicado enviado às redações, a PSP diz ter verificado “uma concentração anormal de pessoas nas imediações do centro histórico de Guimarães, com os habituais bombos e trajes nicolinos”, sendo que essa concentração é habitual “à tarde e à noite”, pelo que, ao ocorrer de manhã, foi de forma “inopinada”, diz a polícia.

Ajuntamento no centro de Guimarães na manhã de arranque das Nicolinas

“Antes das 13:00, hora de proibição de circulação na via pública, por força do estado de emergência em vigor, foi possível dispersar os cidadãos, evitando-se uma intervenção pela força, com resultados sempre imprevisíveis|”, acrescenta a mesma nota de imprensa.

“A PSP adotará as medidas preventivas necessárias para que não se verifiquem ajuntamentos de dimensão e natureza similar ao verificado em Guimarães”, reforça o documento.

“Apelamos a todos os cidadãos que que adotem um comportamento cívico e responsável, e que de acordo com o aconselhado pela organização, este ano as festas Nicolinas sejam celebradas em casa”, escreve ainda o comando PSP do distrito de Braga.

“É a dimensão do cortejo do Pinheiro que dá grandeza às Festas Nicolinas”

Na noite de 29 para 30, tradicionalmente ‘enterra-se’ um pinheiro de grandes dimensões em Guimarães, sinal do arranque das Festas Nicolinas. Essa ação é similar ao erguer de mastro que se faz em vários pontos do Minho aquando das romarias nas paróquias.

Habitualmente, o pinheiro seria puxado durante o dia de hoje por juntas de bois, seguido por um cortejo liderado pelo Chefe dos Bombos com milhares de pessoas pelas ruas a acompanhar o espetáculo.

Este ano, face à pandemia, o ‘Pinheiro’ será enterrado em segredo, a uma hora não divulgada, para evitar ajuntamentos. Durante o dia, não existiu cortejo, mas os Nicolinos e muitos vimaranenses juntaram-se no centro histórico ao toque de bombos para assinalar o arranque das festas.

Anúncio

Guimarães

PSD critica atraso na classificação da Zona de Couros em Guimarães

Património Mundial da Humanidade

Foto: Rui Dias / O MINHO

Os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Braga criticaram hoje o atraso na classificação da Zona de Couros, no Centro Histórico de Guimarães, como Monumento Nacional, imprescindível para conseguir o “título” de Património Mundial da Humanidade.

Em comunicado, os deputados acrescentam que já questionaram a ministra da Cultura acerca das razões do atraso na avaliação e decisão de classificação.

“Não é admissível que um objetivo publicamente assumido em 2013, há mais de sete anos, não tenha ainda logrado sequer obter a imprescindível classificação nacional”, referem.

Os deputados sublinham que o atraso “inviabiliza a pretensão da autarquia” de submeter candidatura à Unesco para alargamento da área atualmente classificada como Património Mundial da Humanidade àquela zona do centro histórico de Guimarães.

Os social-democratas relembram que, em 2013, a Câmara de Guimarães aprovou e apresentou publicamente a intenção de submeter candidatura à Unesco para alargamento da zona atualmente classificada como Património Mundial da Humanidade (Centro Histórico) à Zona de Couros.

Esta área, correspondente à baixa da cidade, é composta por tanques e indústria de curtimenta centenários.

Para concretizar aquele propósito, a Câmara informou que iria solicitar previamente a classificação da referida zona como Monumento Nacional”.

Em recente reunião do executivo, o presidente da Câmara e um vereador disseram que o município “já fez o que lhe competia”, tendo enviado toda a documentação para a Direção-Regional de Cultura do Norte (DRCN), com vista à classificação como Monumento Nacional.

Acrescentaram que já em 2018 tinha sido solicitado um pedido de esclarecimento à DRCN, que terá respondido que “a situação estava em análise”.

Assim, o PSD quer saber, junto do Ministério da Cultura, o que se passa com o processo e qual é o motivo do atraso na sua avaliação e decisão.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães veda jardins e parques infantis

Estado de emergência

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Polícia Municipal de Guimarães vedou jardins e parques infantis, seguindo as instruções do governo no âmbito do reforço das medidas de confinamento.

Com as novas medidas, é proibida a permanência em jardins e espaços públicos de lazer, sendo que o Município de Guimarães mantém encerrados os parques infantis e desportivos.

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Recorde-se que António Costa pediu aos autarcas que, tal como fizeram em março e em abril do ano passado, “limitem o acesso a locais de grande concentração de pessoas, como o acesso a frentes marítimas”.

Pediu ainda que seja sinalizada a proibição de utilização de bancos de jardins, parques infantis ou equipamentos desportivos, “mesmo de desportos individuais como ténis ou padel”.

É também proibida a permanência em espaços públicos como jardins, “que podem ser frequentados, mas não como locais de permanência”.

O Conselho de Ministros, que teve como objetivo aprofundar normas que “têm sido objeto de abuso” e “alargar o quadro de restrições” aprovado na passada sexta-feira, decidiu ainda proibir a circulação entre concelhos ao fim de semana.

Continuar a ler

Guimarães

Apanhado com mais de 70 doses de cocaína e heroína em Guimarães

Tráfico de droga

Foto: GNR

A GNR deteve nas Caldas das Taipas, Guimarães, um homem de 36 anos por tráfico de estupefacientes, anunciou hoje aquela força.

Em comunicado, a GNR refere que o suspeito detinha 22 doses de cocaína e 51 doses de heroína, além de 305 euros.

O detido foi constituído arguido e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Continuar a ler

Populares