Seguir o O MINHO

Actual

Plano Nacional de Gestão Integrada de Fogos Rurais em debate em Ponte de Lima

Na Escola Superior Agrária do IPVC

em

Mosteiro de Refóios do Lima e Escola Superior Agrária de Ponte de Lima. Foto: DR / Arquivo

A Escola Superior Agrária (ESA), do Instituto Politécnico de Viana do Castelo em comunicado (IPVC), organiza, na próxima terça-feira, um seminário para discussão e potencialização do Plano Nacional de Gestão Integrada de Fogos Rurais (PNGIFR), que engloba a iniciativa “Proteger Portugal”, e que prevê um investimento de 500 milhões de euros, de fundos públicos e privados, entre 2020 e 2030, para a prevenção dos incêndios em áreas rurais, anunciou hoje fonte do politécnico.


A iniciativa terá lugar às 16:00 horas, no Auditório Professor Eugénio Castro Caldas da ESA-IPVC, em Refóios do Lima.

O PNGIFR foi aprovado na Reunião de Conselho de Ministros de 05 de dezembro e colocado para discussão pública até 05 de fevereiro e identifica o contexto para a mudança, designando orientações e objetivos estratégicos para uma abordagem integrada ao problema.

O PNGIFR define um novo modelo de governação e gestão do risco, com articulação entre entidades do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais (SGIFR) e a implementação da Cadeia de Valor do SGIFR, assim como, processos que suportam a intervenção e responsabilidade das entidades, desde o planeamento até ao pós-evento.

O seminário contará ainda com a apresentação do estudo “As dinâmicas dos sistemas socio-ecológicos, uso do solo e paisagem no Alto Minho (NW Portugal) em contexto de mudanças climáticas”.

Anúncio

Actual

Itália regista 1.587 novos casos nas últimas 24 horas

Covid-19

em

A Itália registou 1.587 novos contágios com coronavírus nas últimas 24 horas, aumentando o total de casos para 298.156 desde o início da pandemia, informou hoje o Ministério da Saúde local.

Neste domingo registaram-se mais 15 mortos, aumentando o total de óbitos por covid-19 para 35.707, de acordo com a mesma fonte.

A região mais afetada pela pandemia continua a ser a Lombardia, seguindo-se Veneto, Campânia e Lácio, onde fica a capital, Roma.

Itália, que decretou o estado de emergência a 21 de fevereiro, é o segundo país europeu mais afetado pela pandemia de covid-19, depois do Reino Unido.

Segundo um balanço feito pela agência francesa AFP, a pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 957.948 mortos e mais de 30,8 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, desde que um novo coronavírus foi detetado no final de dezembro, na China.

Hoje e segunda-feira os italianos vão pela primeira vez às urnas desde o início da pandemia, para eleger os governos de sete das 20 regiões e votar em referendo a redução em um terço do número de deputados.

Inicialmente programadas para o final de março, estas duas eleições foram adiadas várias vezes devido à pandemia. O Governo italiano optou por distribuir a votação por dois dias para evitar multidões.

Todos os olhos estão voltados para três das regiões, onde uma vitória da direita pode abalar o Governo do primeiro-ministro, Giuseppe Conte, apoiado pela coligação entre o Movimento 5 Estrelas (M5S, antissistema) e o Partido Democrata (PD, centro-esquerda).

As três regiões em questão são Campânia, Apúlia e principalmente Toscânia, bastião da esquerda há mais de meio século e onde as urnas colocam candidatos da esquerda e da coligação de direita (que inclui partidos de extrema-direita) muito próximos.

Continuar a ler

Actual

França regista 10.569 novas infeções nas últimas 24 horas

Covid-19

em

França contabilizou 10.569 novas infeções pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, um número inferior aos registados nos dias anteriores, mas a redução poderá estar a ser influenciada pelo encerramento de vários laboratórios ao fim de semana.

De acordo com o boletim epidemiológico diário divulgado pela Agência Nacional de Saúde francesa, citado pela agência espanhola Efe, 12 pessoas morreram no último dia, número que eleva para 31.585 o número de mortes desde o início da pandemia de covid-19.

O número de novos casos é inferior em relação a sábado (13.498), mas o número poderá estar aquém da realidade, uma vez que vários laboratórios que fazem testes estão encerrados.

O número total de infetados desde o início da pandemia situa-se agora nos 453.763.

Segundo as autoridades sanitárias francesas há 40 novos focos de contágio no país, elevando o total para 1.045.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 957.948 mortos e mais de 30,8 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.912 pessoas dos 68.577 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Continuar a ler

Actual

Brasil chega a 4,5 milhões de casos e totaliza 136.532 mortos

Covid-19

em

Foto: DR

O Brasil ultrapassou este sábado os 4,5 milhões de casos confirmados de covid-19 (4.528.240) e totaliza 136.532 mortos desde o início da pandemia, informou o Ministério da Saúde do país.

Desse total, 739 óbitos e 33.057 novos casos de infeção foram contabilizados nas últimas 24 horas, momento em que as autoridades de saúde brasileiras investigam a possível relação de 2.316 mortes com o novo coronavírus.

De acordo com o último boletim divulgado pela tutela da Saúde, a taxa de letalidade da covid-19 no país mantém-se em 3,0%, sendo que a taxa de incidência é agora de 65,0 mortes e de 2.154,8 casos por cada 100 mil habitantes.

No Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia, 3.820.095 de pessoas diagnosticadas já recuperaram da doença e 571.613 infetados estão sob acompanhamento médico.

No panorama mundial, o Brasil, com cerca de 212 milhões de habitantes, ocupa a segunda posição na lista de país com o maior número total de mortos e a terceira em relação ao total de casos de infeção, assim como de pacientes recuperados.

Geograficamente, os estados brasileiros com maior número de pessoas diagnosticadas com a covid-19 são São Paulo (931.673), Bahia (294.210), Minas Gerais (268.009) e Rio de Janeiro (251.261).

Tendo em conta o número de vítimas mortais, as unidades federativas mais afetadas são São Paulo (33.927), Rio de Janeiro (17.634), Ceará (8.801) e Pernambuco (8.004).

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 953.025 mortos e mais de 30,5 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Continuar a ler

Populares