Seguir o O MINHO
[the_ad id='438601']

Futebol

“Penso que este é o caminho”

César Peixoto

em

Declarações após o jogo Tondela-Moreirense (0-0), da 10.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado hoje no Estádio João Cardoso, em Tondela:

César Peixoto (treinador do Moreirense): “Fomos claramente melhores que o Tondela, hoje. Tivemos mais bola, mais oportunidades, mais iniciativa, conseguimos construir com qualidade e com muita personalidade.

A equipa do Tondela tem qualidade e tinha mostrado nos dois jogos anteriores, contra o FC Porto, que nos podia causar muitos problemas, mas a verdade que não causou.

A equipa manteve-se perfeita na defensiva, nunca permitiu grandes transições ao Tondela, sempre por cima, a ter iniciativa, entrámos, cruzámos, tivemos três quatro oportunidades para fazer golo, acabámos por não ser felizes.

Faltou-nos melhor tomada de decisão na zona de finalização, mas as coisas não aconteceram.

Penso que este é o caminho, a equipa está a crescer a olhos vistos, já se percebeu mais o que é que podemos fazer, voltámos a ter, sobretudo, personalidade e a equipa a identificar-se, cada vez mais, com a maioria do jogo.

Mesmo quando está ‘apertado’, tenta sair a jogar, arrisca, uma vez ou outra perde, é normal, mas é isto que eu quero e, fazendo o que quero, não lhes vou ‘dar na cabeça’, mas este é o caminho, acho que hoje acabámos por perder aqui dois pontos, porque fomos, claramente, superiores com onze e, depois, com 10 ainda mais.

Infelizmente, não levámos daqui os três pontos, mas levámos um grande jogo e a equipa a crescer a olhos vistos.

[Sobre as lesões] É um ano atípico, penso que não é só aqui no Moreirense, penso que é geral, e temos que saber lidar com isto, tentar resolver as coisas da melhor maneira e tentar arranjar soluções, que é para isso que cá estamos. Claro que se estivéssemos todos estaríamos mais fortes.

Se o Derik tivesse estado mais inspirado nas duas ou três situações que teve poderíamos ter feito golo. É por aí que temos de trabalhar, a equipa ganhar confiança e perceber que tanto individualmente, como coletivamente, que tem capacidade para fazer mais e melhor”.

Pako Ayestarán (treinador do Tondela): “O Tondela demonstrou capacidade de jogar com 10 jogadores, teve trabalho, intensidade, concentração e fomos capazes, num jogo muito difícil de ganhar, pelo menos, de empatar.

Nestes momentos não me lembro da classificação ou da manutenção ou da categoria. É sair e evoluir como equipa, tratar de jogar cada partida para ganhar e já tivemos a primeira contrariedade hoje, com a lesão de Mario González, um jogador muito importante para nós.

No final, tal como se passou o jogo, estou contente com o ponto que obtivemos e deixámos a baliza a zero, o que estava a ser difícil nos últimos jogos.

Ao princípio vi uma equipa que tratou de atacar em bloco e defender em bloco, mas, a partir da expulsão, foi uma equipa que, acima de tudo, teve de defender”.

Populares