Seguir o O MINHO

Futebol

“Pelas oportunidades criadas o resultado poderia ter sido outro”

Rui Pedro Silva

em

Imagem: Arquivo

Declarações do treinador do Famalicão e do treinador-adjunto do Boavista no final do encontro da 28.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que se realizou em Vila Nova de Famalicão:

Rui Pedro Silva (treinador do Famalicão): “Duas partes distintas. Na primeira parte foi um jogo não tão bem conseguido da nossa parte apesar de achar que houve equilíbrio. Não houve propriamente uma superioridade tão clara para chegar ao intervalo a perder por 2-0.

Obviamente que nos aconteceram estas situações anómalas que nos têm vindo a acontecer. Mas temos de ser fortes para voltarmos a sair delas e rapidamente entrar no nosso caminho.

Na segunda parte corrigimos. Soubemos arriscar. Soubemos focarmos no jogo, estar concentrados. Produzimos bastante jogo, mas devíamos ter concretizado. E penso que pelas oportunidades criadas o resultado poderia ter sido outro.

A minha sensação no banco foi que foi penálti. Olhando para a imagem, e é a minha opinião enquanto treinador, porque nunca fui árbitro, voltou a parecer-me penálti claro”.

Nuno Pereira (treinador-adjunto do Boavista): “Numa primeira parte em que fomos melhores. Tivemos o domínio do jogo. Fomos uma equipa organizada que mostrou qualidade. O resultado na primeira parte ajusta-se para o que fizemos.

Na segunda parte podíamos ter iniciado com o 3-0. No entanto, passado um minuto sofremos golo. Tivemos que sofrer um bocadinho na segunda parte, mas mostrámos que nesse sofrimento a nossa organização e capacidade para a equipa ser solidária.

Creio que demos uma boa capacidade de resposta e anulámos algumas situações que nos podiam ter criado algumas dificuldades.

A vitória é muito importante porque chegámos aos 30 pontos, porque aumentámos a distância, porque estamos mais perto do nosso objetivo e porque também mostrámos o que é o Boavista. E há uma situação muito importante. Hoje tivemos muitas dificuldades no nosso onze. E também tivemos muitos miúdos na convocatória, no jogo e no banco. Isto mostra a capacidade que o Boavista tem, nessas adversidades, de se tornar mais forte”.

EM FOCO

Populares