Redes Sociais

Braga

Operação de cirurgiões espanhóis transmitida em direto no Hospital de Braga

Remoção total de estômago através de laparoscopia, técnica cirúrgica minimamente invasiva.

 a

Foto: Divulgação / Hospital de Braga

Três especialistas em Cirurgia Geral do Centro Hospitalar Geral de La Mancha, em Espanha, realizaram esta manhã no Hospital de Braga, uma cirurgia de remoção total de estômago através de laparoscopia, uma técnica cirúrgica minimamente invasiva. A cirurgia ao vivo, transmitida em direto para os auditórios do Hospital, foi o ponto central do Workshop de Gastrectomia Laparoscópica, organizado pela Unidade Funcional Gastro-Esofágica do Serviço de Cirurgia Geral do Hospital de Braga.

A equipa, liderada pelo cirurgião espanhol Carlos Moreno-Sanz, uma referência internacional na área da cirurgia laparoscópica, Diretor do Serviço de Cirurgia Geral do Centro Hospitalar Geral de La Mancha e Presidente do Capítulo de Cirurgia Endoscópica da Sociedade Espanhola de Cirurgiões, foi convidada pelo Serviço de Cirurgia Geral do Hospital de Braga, pela sua vasta e reconhecida experiência na cirurgia minimamente invasiva.

Foto: Divulgação / Hospital de Braga

De acordo com o cirurgião António Gomes, responsável pela Unidade Funcional Gastro-Esofágica do Hospital de Braga “o objetivo da realização deste Workshop, que traz a Portugal uma equipa com muita experiência laparoscópica gástrica, é a partilha de conhecimento que permite aos cirurgiões evoluírem na técnica laparoscópica” e acrescentou “esta técnica é gold standard no tratamento de certas patologias e no caso do cancro gástrico, tendencialmente, vai sendo uma opção, embora ainda não se possa afirmar como a única técnica a utilizar.”

Como procedimento minimamente invasivo, a laparoscopia traz inúmeras vantagens para o paciente “menor dor no pós-operatório, reduzido tempo de internamento e mais rápida recuperação” rematou o cirurgião.

A primeira edição do Workshop de Gastrectomia Laparoscópica teve o Patrocínio Científico da Sociedade Portuguesa de Cirurgia e contou com a presença de cerca de uma centena de médicos internos e especialistas de Cirurgia Geral provenientes de todo o país.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Despiste e colisão com quatro feridos ligeiros em Braga

Publicado

 a

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO (Arquivo)

Um despiste e uma colisão ocorreram esta segunda-feira, em Figueiredo e Adaúfe, Braga, ambos sem consequências graves para os ocupantes dos automóveis.

O primeiro acidente rodoviário verificou-se na Variante de acesso às Portagens da A3 e da A11, em Figueiredo, com a conduta de automóvel, de 20 anos, que se despistou, tendo valido a pronta intervenção dos Bombeiros Sapadores de Braga, do INEM e da GNR, que a conduziram para o Hospital de Braga, pouco depois da meia-noite desta segunda-feira.

Ao princípio desta manhã, por volta das 07:00, na EN205, em Adaúfe, Braga, ocorreu uma colisão entre dois automóveis, da qual resultaram três feridos, que tal como no caso da jovem, em Figueiredo, não inspiram cuidados especiais de saúde.

Ainda durante esta madrugada, os Bombeiros Sapadores de Braga foram chamados para apagar o incêndio de um poste de eletricidade pública, instalado na Avenida do Covedelo, em Celeirós, Braga, cerca das 02:45, segundo referiu a O MINHO a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Braga

Dinâmica de Braga “impressionou” no Congresso Internacional de Cidades Educadoras

O evento foi realizado, pela primeira vez, numa cidade portuguesa.

Publicado

 a

Foto: Divulgação / CM Braga

O Município de Braga marcou presença no XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras, no centro de Congressos do Estoril, que terminou no passada sexta-feira, 16 de novembro. Durante quatro dias um grupo da autarquia esteve naquele que foi o palco de debates relacionados com as questões da educação, ambiente, cidadania participativa e espaço público entre cidadãos de 118 cidades, de 24 países diferentes.

Segundo uma nota divulgada pela autarquia da capital do Minho, Braga impressionou pelo seu grande dinamismo, sendo um dos Municípios que mais experiências viu apresentadas e debatidas nas sessões de trabalho do respectivo Congresso. Boas práticas como o “Executivo Júnior”, “Transcrever”, “(Com) Viver o Bairro”, “Tu Decides”, “Desporto, Saúde e Braga”, “Quem tem Medo” e “+ Cidadania” fizeram de Braga uma das cidades mais enaltecida no respectivo Congresso.

Com a presença de Mónica Fein, Intendenta do Rosário, cidade Argentina que organizou a edição anterior do Congresso, de Catarina Marques Vieira, Comissária para a Capital Europeia da Juventude, e de Carlos Carreiras, Presidente da Câmara Municipal de Cascais, os momentos altos foram as mesas temáticas onde Braga se fez representar para debater a convivência e o sentimento de pertença, eixos orientadores do Congresso mencionado.

A tarefa de finalizar o Congresso coube aos jovens, marco especial no ano em que Cascais é também Capital Europeia da Juventude. Foram apresentadas as conclusões dos trabalhos e debates paralelos do Congresso Jovem que decorreu a par do XV Congresso Internacional de Cidades Educadoras e onde Braga se fez patentear por dois jovens do Conselho Municipal de Juventude.

Foram quatro dias pautados por um profundo debate, reflexão e partilha daquilo que são os princípios e os valores da declaração das Cidades Educadoras e que se prendem com a educação, a coesão social e a cidadania participativa. Temas disseminados pela rede com o escopo de criar uma “onda educadora” cada vez maior.

Lídia Dias, Vereadora da Educação, salienta a ´brilhante e proveitosa´ participação do Município no referido Congresso, assumindo, como prioridade, o desenvolvimento de políticas transversais dirigidas à qualidade de vida das pessoas.

“Um dos desafios da Carta das Cidades Educadoras respeita a procura de harmonia entre identidade e diversidade culturais protegendo o direito de todos aqueles que habitam a cidade e os contributos das comunidades que a integram. É com base nesta máxima que a nossa intervenção local vai de encontro à cidadania democrática, na partilha e equidade social alicerçadas em valores éticos e cívicos, enobrecendo a construção colectiva de um sentimento de pertença à cidade que se constrói com as pessoas”, refere.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Braga

Criada frente antifascista em Braga

Publicado

 a

Foto: DR/Arquivo

Um grupo de associações criou, este domingo, em Braga, uma “Frente Unitária Antifascista”, que tem como objetivo “alcançar uma abrangência nacional”. Entre estes, encontram-se pessoas do Movimento de Alternativo Socialista (MAS) e de organizações como o SOS Racismo, a UMAR e o movimento Braga Para Todos, membros do Núcleo Antifascista do Porto e igualmente diversos outros que vieram a Braga a título individual.

Vasco Santos, candidato do (MAS) à Câmara de Barcelos, nas últimos eleições autárquicas, falou ao jornal i sobre a iniciativa.

“Em traços gerais criamos hoje [domingo] uma frente que pretende agregar a partir de agora o maior número possível de pessoas, de associações e partidos, que apoiem de facto a luta pela democracia, contra a xenofobia, o racismo e o machismo, lutando contra o ascenso da extrema-direita, porque representa tudo quanto de mau existe na sociedade, com cada vez mais gente nesta luta antifascista”, disse, em nome do grupo, acrescentando que “apesar de ter nascido aqui, em Braga, a ideia é esta onda crescer em Portugal e não só, até porque queremos agir de uma forma profilática e antes que em Portugal o fascismo tenha as dimensões que em outros países”.

A frente antifascista nasceu no espaço “TOCA – Trabalho de uma Oficina Cultural e Associativa”, onde o Núcleo Antifascista de Braga, vontade expressa pelas pessoas presentes na primeira reunião, onde debateu o fenómeno.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares