Norte de Portugal e Galiza alargam intercâmbio à investigação em saúde

Saúde
Foto: O MINHO / Arquivo

O IACOBUS, programa de intercâmbio de recursos humanos de universidades e centros tecnológicos na eurorregião Galiza-Norte de Portugal, vai alargar o seu âmbito integrando fundações, academias e institutos de investigação em saúde, revelou hoje a organização.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o Agrupamento de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal (GNP-AECT), entidade gestora do programa, explicou que aquele alargamento pretende ser um contributo na resposta à pandemia de covid-19.

“O programa IACOBUS tinha decidido favorecer a investigação em saúde por causa da covid-19 e, tendo em conta também a atividade de investigação das fundações, centros académicos clínicos e institutos e a sua relação com as universidades da eurorregião, e GNP-AECT, a Junta de Galiza e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), resolveram aceitar a sua incorporação”, lê-se na nota de imprensa.

O ato de adesão daquelas entidades ao programa de cooperação transfronteiriça decorre na sexta-feira, na sede do AECT, em Vigo, na Galiza, e contará com a presença do presidente da CCDR-N, António Cunha, e do vice-presidente da Junta da Galiza, Alfonso Rueda Valenzuela.

Com a formalização daquele protocolo, passam a integram programa IACOBUS o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (UPorto), o Centro Académico Clínico ICBAS – CHP, também ligado à UPorto ou o Centro Clínico Académico de Braga, da Universidade do Minho.

Ao IACOBUS juntam-se, também, a Fundação Instituto de Investigação Sanitária, da Universidade de Santiago de Compostela, a Fundação Professor Nóvoa Santos, da Universidade da Corunha, e a Fundação Biomédica da Galiza, da Universidade de Vigo,.

“Deste modo, alarga-se e completa-se o ecossistema de investigação no âmbito da saúde da eurorregião, o que supõe também um contributo à luta contra a pandemia causada pela covid-19”, sustenta a entidade gestora do programa.

As novas entidades “juntam-se às 11 instituições do ensino superior e 22 centros tecnológicos que já fazem parte do Programa IACOBUS, contribuindo para o fomento da cooperação cultural, científica e pedagógica, através da mobilização dos recursos humanos das instituições da eurorregião Galiza – Norte de Portugal”.

O IACOBUS é financiado pelo programa INTERREG V-A Espanha-Portugal (POCTEP).

Foi criado em 2014 destinado a docentes, investigadores, técnicos e pessoal administrativo das instituições de ensino superior e centros tecnológicos da eurorregião Galiza-Norte de Portugal.

Desde que arrancou, em 2014, o programa recebeu mais de 1.755 candidatos nas 7 edições anteriores, entre os quais foram selecionados 964 projetos de investigação abrangendo múltiplas áreas do conhecimento, com um financiamento total de cerca de 1.080.600 euros.

O IACOBUS tem como objetivo “fomentar a cooperação e o intercâmbio entre os recursos humanos de instituições de ensino superior e de centros tecnológicos da eurorregião Galiza-Norte de Portugal.

O programa visa “o desenvolvimento conjunto de atividades formativas, de investigação e de divulgação, através de um sistema de intercâmbio transfronteiriço de professores, investigadores, pessoal administrativo e de serviços, gestores de inovação e técnicos de I+D+i, entre as entidades que o integram.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Eduardo Cabrita diz que só sai por decisão do primeiro-ministro

Próximo Artigo

Nem a mãe lhe valeu. Homem de Barcelos 'apanha' seis anos de prisão por assaltos

Artigos Relacionados
x