Mil bombeiros vão subir o Bom Jesus de Braga com 30 quilos às costas

No sábado
Foto: O MINHO / Arquivo

A prova Escadórios da Humanidade está de regresso a Braga e é já no próximo da 24 de setembro, um sábado que, desde manhã cedo, cerca de mil bombeiros subirão o Bom Jesus a correr equipados a rigor, com cerca de 30 quilos de material.

O evento é apoiado pela Câmara de Braga, Confraria do Bom Jesus do Monte e Liga dos Bombeiros.

Este ano as novidades serão a Bênção Nacional de Capacetes de Bombeiros e a participação de militares da Força Aérea, estando confirmadas 125 corporações nacionais e 14 internacionais, de 13 nacionalidades diferentes: Portugal, Espanha, Roménia, Austrália, Croácia, Polónia, Ucrânia, Brasil, Cabo Verde, Alemanha, Moçambique, Venezuela e Angola.

Na apresentação da prova internacional, que decorreu esta segunda-feira no Hotel do Elevador, do Bom Jesus do Monte, o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, e a vice-presidente e vereadora do Desporto, Sameiro Araújo, congratularam-se com o regresso do evento, na sua quarta edição, após dois anos parada por causa da pandemia.

No mesmo sentido se pronunciaram o presidente e o vice-presidente da Confraria do Bom Jesus do Monte, cónego Mário Martins e Varico Pereira, realçando em uníssono a superação, física e psicológica, que constitui participar numa prova a nível desportivo, que une história e natureza, num espaço peculiar e reconhecido como Património Mundial da UNESCO.

Ricardo Rio começou por salientar que “esta prova tem a capacidade de levar o Bom Jesus até outras geografias e outros contextos sociais, para continuarmos a atrair o máximo possível de pessoas a Braga e a este santuário, nos anos vindouros, porque é um local por excelência a preservar e a melhorar, como a Confraria tem vindo a fazer, cada vez mais e melhor”.

“O Bom Jesus será sempre aberto a todos, mas com um usufruto responsável e sustentável, o mais conservado possível, sempre com segurança, para o deixaremos melhor que o encontramos, evitando os riscos que se verificam em todo o país de incêndios florestais, pois só queremos bombeiros no Bom Jesus para subirem a correr o escadório”, afirmou o autarca.

“Esta não é uma competição desportiva qualquer, pois para estes quase mil participantes é um desafio físico e emocional enorme”, disse Ricardo Rio, elogiando “os tempos impressionantes como conseguem subir a correr e carregados com os seus equipamentos”, esperando que o evento “sirva também para homenagear o profissionalismo de todos os bombeiros”.

A vice-presidente da Câmara de Braga e vereadora do Desporto, Sameiro Araújo, disse “ter enorme satisfação em acolhermos esta prova e a ela nos associamos”, esperando que até ao dia limite se inscrevam mais bombeiros, para atingir a fasquia dos mil, se não for agora, nos anos seguintes, “pois é uma competição desportiva de grande superação”.

Foto: O MINHO

“A importância da atividade física e de uma vida saudável” foi referida pela também treinadora das algumas das maiores atletas portuguesas, bem como “a vontade de superação dos seus participantes , porque não está ao alcance de qualquer pessoa subir o escadório a correr carregado de equipamento, mas será também mais uma forma de mostrar o Bom Jesus”.

Para o presidente da Confraria do Bom Jesus do Monte, cónego Mário Martins, “esta prova tem como cenário um espaço único, que é Património da Humanidade, onde o sagrado, a história e a natureza, confluem de forma harmoniosa e surpreendente, sendo que os seus participantes, sabemos que vão ser muitos, cerca de mil, vão poder usufruir de uma experiência única, pondo à prova as suas capacidades físicas e psíquicas num local privilegiado pela arte e pela natureza, procurando superar o desafio que lhes é lançado, o de subir os 566 degraus desde o Pórtico até à Basílica do Bom Jesus”.

“Ao mesmo tempo que procuramos responder aos desafios, também devemos fazê-lo num espírito aberto, que nos interpela a um novo humanismo, humanismo esse do qual podem ser símbolo estes ‘Escadórios da Humanidade’, símbolo de uma maior qualidade de vida”, salientou o mesmo responsável, para quem “estes escadórios que todos os dias são percorridos por milhares de pessoas devem ser veículo de transmissão desses valores, desse novo humanismo, seja através de uma prática desportiva, de lazer, ou de algum momento de cariz social ou espiritual”, acrescentou o sacerdote.

“Se efetivamente no topo deste escadório se eleva a Humanidade até ‘às alturas’ do Bom Jesus, pleno de amor, essa é precisamente a missão constante dos bombeiros, afirmo, desde já, aqui a nossa homenagem, a todos os bombeiros pela entrega da vida, em socorro dos demais, pois diariamente, eles vivem o confronto com as misérias humanas, procuram fazer-se próximos, empáticos, de coração aberto, de sentidos alerta para salvar vidas e para deixar nas mesmas e em toda a sociedade a beleza e aconchego de uma marca de Deus, penhor de fé, garante de esperança e fonte inesgotável de amor”, acrescentou o presidente da Confraria do Bom Jesus do Monte, acompanhado do vice-presidente, Varico Pereira.

Foto: O MINHO

“Os bombeiros são aqueles que, esforçando-se na ‘subida’ da doação e do serviço ao próximo, elevam os outros e toda a Humanidade até ao abraço amoroso de Deus e na mesma linha de ideias, finalizo destacando que este ano a organização lembra a verdadeira essência deste lugar e comtempla a dimensão religiosa com a bênção dos capacetes dos bombeiros. Ficamos particularmente satisfeitos que, desta forma, todos os participantes possam ter uma experiência verdadeiramente integral, estando contempladas diferentes dimensões, desporto, natureza, arte e religião”, disse o cónego Mário Martins.

Entretanto, o mentor da prova Escadórios da Humanidade, Ricardo Fernandes, ele próprio bombeiro sapador de Braga, destacou “ser esta prova direcionada a todos os bombeiros do mundo, que queiram testar os seus limites, não só pela carga física, mas também psicológica, que é envergar equipamento completo de proteção individual de bombeiro (casaco de fogo, botas, calças, cogula, luvas, capacete e aparelho respiratório de circuito aberto “ARICA”, subindo os 566 degraus dos escadórios do Bom Jesus em contrarrelógio com uma distância de 615 metros e um desnível positivo de 116 metros”.

Foto: O MINHO

José Sousa, enquanto responsável da ADN Eventos Desportivos, que integra a organização da prova, a cargo da Família de Elite, explicou que a Bênção Nacional de Capacetes, nunca realizada antes a nível nacional, “será feita por um padre também ele bombeiro, Ricardo Fonseca, dos Bombeiros Voluntários de Pinhel, numa cerimónia a realizar após a última subida, enquanto serão apurados os resultados de todos os pódios, apelando à população de Braga para participar e apoiar estes heróis, que são os bombeiros, sempre disponíveis para todos nós, na salvaguarda de pessoas, de bens e de animais”.

Na apresentação estiveram representantes de uma parte dos patrocinadores, nomeadamente Paulo Barbosa e Rui Vieira (Tar Braga MAN), Fernando Fortuna e César Ribeiro (Gasin), Maurício Fernandes (Barca de Ouro), Raquel Sousa (dst) e Susete Pires (Sogevinus), tendo sido destacado o apoio da Liga dos Bombeiros Portugueses, da Câmara Municipal de Braga e da Confraria do Bom Jesus do Monte, bem como das empresas e dos colaboradores que tornam possível a prova.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

João Sousa avança para os ‘quartos’ do Open dos Estados Unidos em pares

Próximo Artigo

Primeira 'chicotada' na Liga. Vasco Seabra já não é treinador do Marítimo

Artigos Relacionados
x