Seguir o O MINHO

Região

Melgaço, Monção, Ponte da Barca e Terras de Bouro entram na lista de “risco elevado”

Estado de emergência

em

Foto: DR

Os concelhos de Melgaço, Monção, Ponte da Barca e Terras de Bouro, até agora de fora da lista sujeita a medidas adicionais restritivas para mitigar o número de contágios de covid-19, passam a integrar essa mesma lista, acima dos 240 casos a cada 100 mil habitantes.


Estes quatro concelhos juntam-se a Paredes de Coura, Viana do Castelo e Cerveira, integrando a chamada lista de “risco elevado”.

Para estes concelhos, para além das medidas que vigoram em todo o país, ficam ainda obrigados à manutenção da proibição da circulação na via pública entre as 23:00 e as 05:00 até 08 de dezembro.

Vão decorrer ainda ações de fiscalização do cumprimento do teletrabalho obrigatório, medida nacional.

Passa a ser obrigatória a utilização de máscaras nos locais de trabalho, medida nacional, assim como a proibição de deslocação entre concelhos entre as 23:00 de 27 de novembro e as 05:00 de 02 de dezembro entre as 23:00 de 04 de dezembro e as 05:00 de 09 de dezembro.

Mantém-se o horário de encerramento obrigatório dos estabelecimentos (22:00, salvo restaurantes e equipamentos culturais às 22::30).

Os restantes 17 concelhos do Minho integram as listas de “risco muito elevado” e “risco extremamente elevado”.

Anúncio

Braga

Condutor abandona carro despistado na cidade de Braga

Acidente

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Uma viatura entrou em despiste ao início da madrugada deste sábado na Avenida João Paulo II, em Braga, acabando imobilizada no sentido contrário daquela movimentada via rápida da cidade.

De acordo com testemunhas no local, a viatura seguia no sentido Póvoa de Lanhoso-Braga quando terá embatido no viaduto da Rodovia e acabou por “girar às piruetas” até se imobilizar debaixo de uma passagem pedonal aérea, no sentido inverso.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Ao que apurou O MINHO, o condutor abandonou o local a pé antes da chegada de socorro ou das autoridades. Ao que tudo indica, trata-se de um carro alugado.

O alerta foi dado às 00:46 mobilizando os Bombeiros Sapadores de Braga.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Braga

Tribunal adiou sentença de mulher que deu uma facada nas costas do marido em Esposende

Justiça

em

Foto: DR

O Tribunal de Braga adiou hoje, para 09 de dezembro, a leitura da sentença do julgamento de uma mulher, de origem colombiana, mas já naturalizada portuguesa, que, em abril de 2018, nas Marinhas, Esposende, deu uma facada nas costas do marido, quando ele dormia, com a intenção de o matar. A faca partiu-se pelo cabo, ficando a lâmina, de oito centímetros, enterrada no corpo da vítima.

Na audiência, a juíza-presidente anunciou uma pequena alteração aos factos constantes da acusação, uma alteração não-substancial o que levou a advogada de defesa a pedir cinco dias para se pronunciar. O que lhe foi concedido.

A faca partiu-se pelo cabo, ficando a lâmina, de oito centímetros, enterrada no corpo da vítima.

Inocente?

Recorde-se que, na primeira sessão do julgamento a mulher declarou: “Não sei. Não fui eu que o esfaqueei, nem tentei matá-lo”. E, posteriormente, veio a acrescentar que se enrolou com o marido numa briga e que este caiu em cima da cama, tendo sido espetado pela faca que ali estaria.

Foi esta a versão dada ao Tribunal de Braga pela imigrante colombiana, Eliana Yurlev Henão, de 37 anos, já naturalizada portuguesa, a qual contou que, na noite do crime, em abril de 2018, discutiu com o marido, o português António Maria Ganas, após ter ido à cozinha beber água e comer uma maçã.

Diz ter pegado numa faca para cortar a fruta e ter ido dormir para o quarto em que estava com dois adolescentes, um filho seu e uma jovem de 16 anos, filha dele.

Afirmou que não sabe o que sucedeu depois, nem mesmo o destino da faca, só se lembrando de ter acordado os filhos e chamar o 112. Atribuiu as discussões do casal a ciúmes do marido.

Marido desmente

Esta versão é desmentida pela vítima que disse a O MINHO que ela o esfaqueou nas costas, enquanto dormia, deixando-lhe uma parte da lâmina, com nove centímetros, no corpo, o que lhe perfurou um pulmão e chegou ao coração.

E ainda tentou impedi-lo de respirar. “Mente. Quando foi detida disse à PJ de Braga e ao juiz que me tinha dado uma facada para me matar. Está no processo”, acrescentou.

Continuar a ler

Alto Minho

Alto Minho com mais quatro óbitos e 380 novos casos em 48 horas

Covid-19

em

Foto: DR

O Alto Minho tem, atualmente, 1.888 casos ativos de covid-19, mais 243 desde a passada quarta-feira, segundo dados recolhidos por O MINHO junto da Unidade Local de Saúde do Alto Minho, atualizados às 17:30 de hoje.

O distrito de Viana do Castelo soma, desde o início da pandemia, 4.466 casos, mais 380 desde o último balanço. Há a lamentar 98 óbitos, mais quatro. Contam-se ainda 2.480 recuperados, mais 133.

A maior subida verificou-se em Viana do Castelo, com aumento de 112 casos ativos, contando o município com 605 doentes com infecao ativa.

Segue-se Arcos de Valdevez com 145 casos ativos (+30), Ponte de Lima com 435 ativos (+27) e Caminha com 204 (+20).

Também Monção sofreu um aumento de 18 casos, registando agora 97 infeções ativas, assim como Ponte da Barca que, com mais 15, soma 63 casos ativos.

Valença tem mais nove casos ativos, contabilizando 210. Segue-se Melgaço 40 (+11) e Cerveira 57 (+1).

Só Paredes de Coura não sofreu qualquer oscilação no número de casos ativos, mantendo 32.

 

Continuar a ler

Populares