Seguir o O MINHO

Região

Maioria dos rails nas autoestradas “são facas” que matam motards

em

Dois peritos judiciais em reconstituição de acidentes rodoviários referiram a O MINHO que a maioria dos rails instalados nas autoestradas são “facas” que em muitos casos tiram a vida a motards e que a colocação de proteções “seria a diferença entre a vida e a morte”.

Segundo afirmam os dois peritos, Jorge Martins e Lúcio Machado, ambos professores de engenharia mecânica da Universidade do Minho, “das duas uma, ou se colocam em todas as estradas as adequadas proteções ou então proíbe-se os motociclistas de ali circularem”.

Jorge Martins defende que “além das proteções nos rails que deviam existir em todas as estradas onde circulam motos, os pilares que os sustentam teriam de estar não para fora, mas sim para dentro, de forma a não permitir a colisão direta para com os motociclistas”.

Aquele docente universitário defende “não só as proteções baixas nos rails”, para que os motociclistas não se enfaixem por baixa dessas estruturas, mas ainda “que os postes não estejam colocados para fora, porque o que se tem constatado é que os rails, para além de não proteger, matam, isto é, os pilares que suportam os rails. são como se fossem facas”.

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Jorge Martins e Lúcio Machado, peritos e professores da Universidade do Minho. Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

“Esses pilares de aço, se por um lado protegem os automobilistas, ao permitirem que os motociclistas passem por baixo ao não estarem tapados, faz com que estes sejam cortados, retalhados, é mesmo como se fossem facas”, disse a O MINHO o professor Jorge Martins.

Uma dessas estradas sem proteções é a via rápida entre Fafe e Guimarães, segundo disse o professor Lúcio Machado, explicando que “quando há aí acidentes com motociclistas, geralmente eles morrem, porque não há ali essas proteções, que faz logo toda a diferença, pois aí como em muitas outras autoestradas o espaçamento entre os pilares é tão curto que é muito difícil ou quase impossível um motociclista que se despiste e vá contra os ralis, não apanhar um desses postes, o que é determinante para as consequências dos acidentes”.

Lúcio Machado diz “não perceber como é que as associações de motociclistas não fazem mais veementes quanto à exigência de as estradas usadas pelos motociclistas terem essas proteções, pois é um incremento de custo que não é significativo para as concessionárias, sendo essa a diferença entre a vida e a morte, já que a vida de uma pessoa não tem preço”.

De acordo com os dois docentes, do Departamento de Engenharia Mecânica, no Pólo de Azurém, em Guimarães, da Universidade do Minho, têm vindo a constatar ultimamente situações nas várias zonas do país em que as proteções teriam salvo a vida a motociclistas, isto numa época em que tem havido pelo menos um motociclista um morto diariamente.

Por outro lado, continuam a não ser obrigatórias as inspeções periódicas às motos, o que é genericamente interpretado como uma situação que potencia a falta de controlo sobre o estado de manutenção e de capacidade de reação a adversidades desses mesmos veículos.

Anúncio

Braga

Motociclista ferido após acidente em Braga

Em Crespos

em

Foto: O MINHO

Um homem, de 64 anos, sofreu ferimentos na sequência de uma colisão com um automóvel, a meio da tarde deste domingo, em Crespos, concelho de Braga.

A vítima seguia na EN 205 quando se deu a colisão, por circunstâncias ainda não apuradas.

No local estiveram os Bombeiros Sapadores e a equipa médica da VMER de Braga.

O acidentado foi transportado para o hospital local com ferimentos num braço, sendo considerado “ferido ligeiro”, disse fonte do CDOS.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Região

Pandemia pode ‘disparar’ número de turistas no Parque Nacional Peneda-Gerês

Turismo

em

Foto: Gonçalo Barros

A diretora regional do Norte do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) afirmou hoje esperar um “maior número de visitantes” nas áreas protegidas e no Parque Nacional da Peneda-Gerês durante a época de verão.

“Temos a consciência de que vamos ter um maior número de visitantes, porque se percebe que este ano não haverá tantas saídas para o estrangeiro, portanto, é natural que as nossas áreas protegidas sejam alvo de maior procura”, afirmou Sandra Sarmento.

Em declarações à agência Lusa, no seguimento de uma visita promovida pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), por vários locais de interesse da região, a diretora regional do Norte do ICNF salientou que, face ao “aumento significativo” de visitantes, foi reforçado o acompanhamento da visitação.

“Hoje, temos três equipas neste trajeto que é o mais visitado e uma zona muito sensível do nosso parque que é a mata de Albergaria, sendo que no parque todo temos 19 vigilantes”, esclareceu.

Além do Parque Nacional da Peneda-Gerês, o Parque Natural do Montesinho, o Parque Natural do Litoral Norte, o Parque Natural do Alvão e o Parque Natural do Douro Internacional integram a Rede Nacional de Áreas Protegidas.

Segundo Sandra Sarmento, no último ano, foram contabilizadas perto de 100 mil visitantes no Parque Nacional da Peneda-Gerês, sendo que este número é apenas representativo daqueles que se dirigem aos “centros interpretativos do parque e portas de entrada das áreas protegidas”.

O controlo das entradas das áreas protegidas, que impede a paragem no troço da mata da Albergaria e tem um custo de 1,5 euros, começa esta segunda-feira e vai decorrer até ao dia 30 de setembro.

No âmbito desta iniciativa, os vigilantes da natureza, além de acautelarem os visitantes para a proteção dos ‘habitats’, vão distribuir “panfletos sobre os cuidados de higiene e segurança a ter na visitação do parque” relativamente à covid-19.

“Estamos obviamente empenhados para que as coisas corram bem e tudo faremos para que isso aconteça no que estiver dentro do nosso alcance e, naturalmente, das nossas responsabilidades”, garantiu.

Também o presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, salientou a necessidade de se continuar a “preservar” o Parque Nacional da Peneda-Gerês, um património que considerou ser “de todos”.

No âmbito desta visita à região, o presidente do TPNP, Luís Pedro Martins já tinha defendido que esta fase de desconfinamento é a “grande oportunidade” para os quatro “subdestinos” da região mostrarem aquilo que têm de melhor aos turistas nacionais.

Em Portugal, morreram 1.410 pessoas das 32.500 confirmadas como infetadas, e há 19.409 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Colisão com dois feridos graves corta estrada Barcelos-Viana

Acidente

em

Foto: DR

Uma colisão rodoviária provocou o corte total da EN 103, entre Alvarães e São Romão do Neiva, concelho de Viana do Castelo.

Há registo de dois homens com ferimentos graves, com idades compreendidas entre os 66 e os 70 anos.

No local estiveram os Bombeiros Sapadores de Viana, a Cruz Vermelha de Neiva, a VMER de Barcelos e a GNR.

O alerta foi dado cerca das 17:30.

Continuar a ler

Populares