Liga Europa: Vitória empata em Bucareste (0-0) e mantém apuramento em aberto

1.ª mão do playoff de acesso à Liga Europa

O Vitória Sport Clube (SC) vai decidir o acesso à fase de grupos da Liga Europa de futebol em casa, após o 0-0 desta quinta-feira na Roménia, perante o FCSB, num jogo pouco conseguido, quase sem oportunidades de golo.

Incapaz de se soltar no mau relvado do Estádio Marin Anastasovici, casa ’emprestada’ do FCSB, em Giurgiu (cidade 60 quilómetros a sul da capital Bucareste), a equipa lusa raramente chegou à área adversária, mas conteve a supremacia adversária com uma defesa concentrada, que raramente ameaçou a baliza de Douglas.

Os dois conjuntos vão assim decidir a eliminatória na próxima semana, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, numa partida agendada para as 20:00 de quinta-feira.

Para este jogo, o treinador Ivo Vieira substituiu três habituais titulares neste início de época – o guarda-redes Miguel Silva, o central Pedro Henrique e o avançado Alexandre Guedes – por Douglas, Bondarenko e Bruno Duarte, em estreia absoluta pelos vitorianos, mas a equipa portuguesa foi hoje uma versão inferior da dos seis jogos anteriores.

Durante a primeira parte, os jogadores vimaranenses encontraram um adversário muito pressionante em todas as zonas de um relvado em mau estado, falhou muitos passes e perdeu a maioria dos duelos no meio-campo.

A equipa lusa revelou-se incapaz de chegar à área romena de forma consistente, tendo somente ameaçado as redes à guarda de Cristian Balgradean num remate de Davidson ao lado, ao minuto 10.

Apesar de ser 11.º num campeonato romeno com 14 equipas, decorridas seis jornadas, a equipa descendente do Steaua de Bucareste foi superior graças à maior intensidade empregue na manobra ofensiva, mas criou poucas ocasiões para chegar à vantagem – o único lance claro foi o remate de Florin Coman ao poste, no minuto 24.

A toada dos primeiros 45 minutos estendeu-se ao início da segunda, com a equipa interinamente treinada por Vergil Andronache a beneficiar da incapacidade do meio-campo vimaranense para continuar avançando no terreno e ameaçar novamente, num ‘disparo’ do recém-entrado Adrian Popa, aos 54 minutos.

Com as entradas de Dénis Poha, aos 62 minutos, e Rafa Soares, aos 66, o Vitória melhorou, aproximando-se da baliza do FCSB, mas sem protagonizar reais ocasiões de golo.

Nos minutos finais, a formação do leste da Europa esboçou ainda uma reação a este ascendente vitoriano, mas sem qualquer lance digno de relevo.

Declarações dos treinadores:

Ivo Vieira (treinador do Vitória SC): “Sabíamos que íamos encontrar um adversário que nos ia criar imensas dificuldades, jogando em sua casa, procurando o resultado. Na primeira parte, concordo que houve mais domínio do Steaua, mas, na segunda, corrigimos algumas situações em termos táticos e só permitimos alguns cruzamentos ao adversário.

O relvado não foi [o problema do nosso jogo menos bom], porque estava igual para os dois. Na primeira fase de construção, tivemos dificuldade em sair da pressão colocada pelo adversário. Na primeira parte, podíamos ter sido mais eficazes no ataque à baliza do adversário.

Na segunda, fomos mais vezes [à frente]. Estamos numa fase ainda prematura da época. Precisamos ainda de trabalhar muito para melhorar os vários aspetos do jogo. O adversário tem intervenientes com valia, com capacidade para resolver o jogo. Vamos levar o jogo para nossa casa, diante do nosso público. Os nossos adeptos podem puxar-nos para cima e serem decisivos.

O nosso adversário tem um historial muito rico, com uma Taça dos Campeões (em 1986) e muitos anos de competições europeias. Esperava um adversário forte, competitivo, que faz uma gestão em termos daquilo que são os jogos do campeonato e os jogos da Liga Europa, trocando muitos jogadores.

Quando uma equipa faz seis jogos sempre com golos e depois não faz no sétimo, isso [finalização] não é necessariamente uma preocupação. Não conseguimos conquistar tudo aquilo que se deseja. O Bruno [Duarte] deu sinais de poder acrescentar algo à equipa. Tento meter sempre os melhores para cada jogo.

Acrescentámos o [Dénis] Poha para dar mais consistência ao meio-campo. É um jogador com rotatividade boa, porque os outros já estavam um pouco desgastados. Há trabalho feito e há ainda muito trabalho a fazer para perceber as questões táticas. Estes jogadores têm de ter um espaço de crescimento para perceberem o que o jogo pede.”

Ficha de jogo

Jogo no Estádio Marin Anastasovici, em Giurgiu.

FCSB – Vitória de Guimarães, 0-0.

Equipas:

– FCSB: Cristian Balgradean, Valentin Cretu, Bogdan Planic, Aristidis Soleidis, Ionut Pantiru, Mihai Pintilii (Razvan Oaida, 67), Ovidiu Popescu, Ionut Vina (Harlem Gnohéré, 60), Mihai Roman (Adrian Popa, 46), Florin Coman e Florin Tanase.

(Suplentes: Andrei Vlad, Claudiu Belu, Andrei Marc, Razvan Oaida, Adrian Popa, Harlem Gnohéré e Thierry Moutinho).

Treinador: Vergil Andronache.

– Vitória de Guimarães: Douglas, Sacko, Tapsoba, Bondarenko, Florent, Al Musrati, Pepê, André Almeida (Dénis Poha, 62), Rochinha (Rafa Soares, 66), Davidson e Bruno Duarte (Alexandre Guedes, 76).

(Suplentes: Miguel Silva, Lucas Soares, Pedro Henrique, Rafa Soares, Dénis Poha, João Carlos Teixeira e Alexandre Guedes).

Treinador: Ivo Vieira.

Árbitro: Matej Jug (Eslovénia).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Al Musrati (15), Valentin Cretu (17), Florin Tanase (53), Mihai Pintilii (57) e Ovidiu Popescu (88).

Assistência: cerca de 3.000 espetadores.

(Notícia atualizada às 00h11 com declarações dos treinadores)

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Liga Europa: Braga vence 'armada russa' (1-0)

Próximo Artigo

Hospital de Braga garante que segurança dos doentes está salvaguardada

Artigos Relacionados
x