Seguir o O MINHO

Braga

Hugo Soares crítico no Conselho Nacional do PSD

Líder da concelhia do PSD Braga, deputado e ex-lider da bancada parlamentar na Assembleia da República.

em

Foto: Facebook de Partido Social Democrata

O ex-líder parlamentar do PSD, deputado e presidente da concelhia de Braga, Hugo Soares, foi o rosto mais conhecido das intervenções críticas no arranque do Conselho Nacional, com o presidente deste órgão a saudar o debate e a rejeitar a ideia de um partido dividido.


“O PSD é um partido plural, houve intervenções mais críticas, outras de alerta, outras de defesa, outras que manifestaram agrado por essas intervenções terem tido lugar no Conselho Nacional. Mal estaríamos se fosse só fora”, afirmou Paulo Mota Pinto, em declarações aos jornalistas no final da reunião que se estendeu ao longo de quatro horas, nas Caldas da Rainha, no distrito de Leiria.

Paulo Mota Pinto considerou que “o tema principal” da reunião, que se iniciou na quarta-feira perto das 22:00, foi a apresentação do documento do Conselho Nacional Estratégico (CEN) sobre saúde, que acabou por acontecer já depois da meia-noite.

No entanto, o texto não foi distribuído nem aos conselheiros nem à comunicação social e só será divulgado numa conferência de imprensa pelas 15:30, na sede nacional do partido, em Lisboa.

“A minha expetativa foi planamente satisfeita com a apresentação de um documento excelente sobre saúde e amanhã [hoje] o PSD apresentará propostas substantivas que preocupam os portugueses”, afirmou.

“Num partido da dimensão do PSD há sempre posições diversas e isso é saudável. Não penso que o PSD saia dividido, muito menos mais dividido deste Conselho Nacional”, acrescentou.

Apesar de a análise da situação política não constar da ordem de trabalhos do Conselho Nacional, ao contrário do que é habitual, Paulo Mota Pinto abriu uma espécie de período “antes da ordem do dia”, que se estendeu por cerca de hora e meia.

Hugo Soares. Foto: DR/Arquivo

Segundo relatos de conselheiros presentes na reunião, Hugo Soares, que fez a primeira intervenção em conselhos nacionais da ‘era’ Rui Rio, reiterou críticas à “aproximação do PSD ao PS”, considerando que tal faz dos socialistas um partido moderado, e contestou a posição de Rui Rio de não rejeitar de imediato a chamada ‘taxa Robles’, lamentando que sejam os sociais-democratas a “dar a mão” ao Bloco de Esquerda.

“Não levo lições de militância de ninguém”, afirmou ainda Hugo Soares na reunião, depois de Rui Rio ter afirmado na sexta-feira à TSF que os militantes que discordassem “estruturalmente” deviam seguir o exemplo de Pedro Santana Lopes e sair do PSD.

Foto: Facebook de Partido Social Democrata

Questionado sobre a resposta do Rio a esta crítica em particular, Paulo Mota Pinto precisou que o tema não foi alvo da intervenção do presidente do partido de resposta aos críticos, e deixou a sua “interpretação política”.

“Se uma certa intervenção se baseia numa evidente distorção de palavras ou afirmações que presidente do partido não disse, talvez seja por isso que não respondeu”, apontou o presidente do Conselho Nacional.

O ex-líder parlamentar do PSD – que não quis falar aos jornalistas no final – criticou ainda a estratégia quanto aos candidatos autárquicos que tenham ultrapassado orçamentos, questionando que tenha sido o secretário-geral adjunto, Hugo Carneiro, a dar a cara por esta medida, depois de nas autárquicas de 2013 ter apoiado o candidato independente Rui Moreira no Porto, contra o do partido, Luís Filipe Menezes.

A histórica militante social-democrata Virgínia Estorninho já tinha dado o tom na primeira intervenção, na qual também criticou esta via judicial – um caso já seguiu para tribunal -, e assegurou que não vai sair do partido, mesmo discordando.

O antigo secretário-geral Matos Rosa defendeu o trabalho feito pelas anteriores direções de Passos Coelho em termos de contas do partido, dizendo não admitir que questionem a sua seriedade.

Em defesa da direção neste período saíram o antigo líder da concelhia de Lisboa Rodrigo Gonçalves e o atual presidente do PSD-Porto, Alberto Machado.

Rio não fez uma análise global sobre a situação política no início da reunião, apenas respondendo às questões que lhe foram colocadas no final deste período, fazendo questão de distinguir que o que propõe para combater a especulação imobiliária não é uma nova taxa, mas uma mudança num imposto que já existe, o IRS.

À entrada para a reunião, o líder social-democrata tinha anunciado aos jornalistas que o PSD poderá propor, em sede de discussão de Orçamento do Estado, uma diferenciação da taxa do IRS sobre mais valias em função do o número de anos que decorrem entre a compra e a venda de um imóvel.

Rui Rio falaria uma segunda vez na reunião, sobre o documento estratégico para a saúde, mas, uma vez que já se estava “no dia 13 e não 12”, data em que começou o Conselho Nacional, optou por uma intervenção curta, sobretudo para passar a palavra ao coordenador do CEN nesta área, Luís Filipe Pereira, que apresentou um ‘powerpoint’ sobre o tema.

Anúncio

Braga

Condutor escapa ileso após aparatoso capotamento de BMW em Braga

Acidente

em

Foto: DR

Um homem, com cerca de 40 anos, escapou praticamente ileso a um despiste seguido de capotamento, ao início da madrugada deste domingo, na circular cidade de Braga. O homem conduzia uma carrinha BMW que ficou com a frente totalmente destruída.

Ao que apurou O MINHO no local, o condutor terá entrado em despiste, subido a berma ajardinada e regressado à via, no encontro entre a Avenida António Macedo e a Avenida Padre Júlio Fragata, sentido Estação-Hospital, em São Vicente, a poucos metros da ponte aérea do Regimento de Cavalaria n.º 6.

Foto: DR

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foram acionados meios de socorro mas não houve necessidade de intervenção por parte dos bombeiros sapadores, uma vez que o homem saiu pelo próprio pé e não apresentava ferimentos de maior, não sendo necessário o seu transporte para o hospital, a pouco mais de 100 metros do local de despiste.

Uma patrulha da PSP de Braga, com dois agentes, esteve no teatro de operações enquanto chegou o semi-reboque para retirar a viatura da via. O próprio condutor deu a assistência necessária ao rebocador.

O trânsito esteve condicionado na faixa da direita entre as 23:45 e as 00:45.

Continuar a ler

Braga

IKEA de Braga está a recrutar

Emprego

em

Foto: Dr / Ilustrativa

A loja de Braga da IKEA, situada no centro comercial Nova Acarda, entre Dume e Pameira, está a recrutar para cinco postos distintos, anunciou a empresa.

A multinacional sueca necessita urgentemente de três colaboradores de vendas, um colaborador de ‘recovery’ e um colaborador para o restaurante.

No que toca à restauração, estão abertas candidaturas para uma vaga de 16 horas semanais, durante tarde/noite, no restaurante da loja.

Já nas vendas, estão abertas três vagas, duas de 20 horas semanais e uma de 12 horas, aos fins de semana, para áreas das atividades e do têxtil.

Há ainda uma vaga para colaborador de ‘recovery’, cujo horário será de 16 horas semanais, à tarde/noite, mas esta será temporária.

Pode consultar as candidaturas aqui.

Continuar a ler

Braga

Estrela da música brasileira nos anos 1990 escolhe Braga para exercer a nova carreira

Vinny fez sucesso com temas como “Heloísa, Mexe a Cadeira” ou “Uh Tiazinha” e agora é psicanalista

em

Fotos: Divulgação e arquivo pessoal

Figura incortonável da música pop brasileira no final da década de 1990, o cantor Vinny, responsável pelo tema “Heloísa, Mexe a Cadeira”, um dos maiores sucessos das rádios do país há cerca de 20 anos, ou “Uh Tiazinha”, que fez sucesso em Portugal, pode ser mais um dos milhares de integrantes da comunidade “zuca” em Braga. O artista não largou totalmente a música, mas agora dedica-se à psicanálise, escolheu a cidade para abrir um futuro consultório, e até já é adepto dos Gverreiros do Minho.

Vinny estudou Direito na sua juventude a apaixonou-se por filosofia. No entanto, optou pelo caminho artístico, e depois de cerca de uma década a dedicar-se e com mais de 30 anos, o sucesso veio com o Todomundo, de 1997, e Na Gandaia, de 1998, ambos certificados como “Discos de Ouro” pela Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD).

“Até que um dia percebi que os concertos estavam a diminuir, veio o declínio natural da carreira, e pensei que era o momento de retomar a minha antiga paixão. Tirei a graduação de Filosofia e nunca mais parei”, disse Vinny a O MINHO.

“Tirei o mestrado em Ciências Sociais em Buenos Aires, e estive por uns seis meses sem um destino muito claro do que fazer, e veio a ideia da formação em psicanálise, que é complementar a todos estes estudos. Eu recebo o meu diploma na semana que vem. É uma realização pessoal e também um investimento para o futuro”.

O cantor, nascido na cidade de Leme, no estado de São Paulo, mas radicado no Rio de Janeiro, é defensor dos atendimentos online, e já tem pacientes em Braga.

“Poder ajudar as pessoas e ouvi-las a dizer que estão a gostar dos encontros, que está a ser relevante, é o que esperamos como psicanalistas. Confesso que a minha formação é para os atendimentos online, o que há pouco tempo era visto com desconfiança por profissionais mais ortodoxos. Mas hoje, especialmente com a pandemia, todos, mesmo os profissionais que criticavam, tiveram que adoptar como prática por questões óbvias”, disse o cantor de outros temas como “Shake Boom”, “Uh Tiazinha” e “Te Encontrar De Novo”.

“A minha pesquisa de formação de término de curso foi justamente a respeito de que como hoje é diferente a visão do atendimento online, o que eu acredito muito, o método é o mesmo, é efetivo, tem a mesma validade, e os resultados são valiosos. No entanto, em alguns casos não é adequado, quando há violência, por exemplo, que precisa ser presencial. Quando é psicanálise, é perfeitamente viável fazer o atendimento online, é igual”.

Paixão por Braga, pelo Gerês e pelas praias de Esposende

Vinícius Bonotto Conrado, nome por trás do artista, conheceu Braga através de amigos que escolheram a cidade para viver a reforma. A paixão foi tão imediata que o cantor já comprou dois apartamentos no concelho e não quer adiar muito a sua chegada.

“Pretendo morar em Braga já no ano que vem. Uma cidade que tem uma estrutura que eu amei, tem tudo o que precisamos, é uma cidade segura, acolhedora, também com muitos brasileiros, e acabamos por partilhar a cultura, o que faltava mesmo era pensar na parte profissional. Eu também amo o Gerês, as praias de Esposende, mesmo com o vento e com a água gelada. A proximidade com cidades como Guimarães e Porto, para além do aeroporto, também é ótima”, avaliou Vinny, que tem um filho de 20 anos a viver em Lisboa e já adotou o SC Braga como o seu clube.

“Já fui assistir a um SC Braga-Vitória SC. No Rio de Janeiro, eu sou do Vasco da Gama, e transferi um pouco deste meu amor do Vasco para o SC Braga, e dei sorte, pois vencemos”.

O psicanalista Vinny no Gerês e no Dérbi do Minho. Fotos: Arquivo Pessoal

O que falta para Vinny fazer as malas e embarcar para Portugal é acertar-se com as questões legais.

“Para atender presencialmente, preciso fazer um ajuste por causa da legislação, preciso ver como é possível abrir um consultório em Portugal. Eu preciso, talvez, cursar alguma coisa aí durante algum tempo, e utilizar os conhecimentos da psicanálise como agregador. No modo online, eu posso atender qualquer brasileiro em qualquer parte do planeta. Já tenho pacientes que moram em Braga. Estou a ver estes ajustes para não cometer nenhuma irregularidade”, disse.

Até conseguir acertar todas estas questões, Vinny continua com a sua carreira musical no Brasil. Recentemente, o cantor entrou na banda LS Jack, que também fez muito sucesso no país com temas como “Carla” e “Amanhã Não Se Sabe”. Mas apenas de quarta-feira a sábado. Nos outros dias, a dedicação total é voltada à psicanálise.

Continuar a ler

Populares