Seguir o O MINHO

Guimarães

Governo apoia com 300 mil euros Plataforma das Artes e Criatividade

em

Foto: Divulgação

O Governo concedeu 300 mil euros ao Centro Internacional das Artes José de Guimarães – Plataforma das Artes e Criatividade, no primeiro apoio estatal em cinco anos ao “equipamento ícone” da Capital Europeia da Cultura Guimarães/2012, anunciou a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara Municipal de Guimarães explica que aquele financiamento será para o “reforço da comunicação, educação e mediação cultural e para a integração no projeto PARALLEL – European Photo Based Platform”, atividades já iniciadas durante o ano de 2017.

Segundo a autarquia, o apoio concedido pelo Governo “deveu-se ao esforço efetuado ao longo de 2017 entre a Câmara Municipal de Guimarães, a Oficina e o Ministério da Cultura”.

No texto, a câmara vimaranense salienta que “este é um apoio que a Câmara Municipal de Guimarães tem vindo a reclamar desde 2012, insistindo no tratamento proporcionalmente igualitário entre as três ex-capitais europeias da cultura portuguesas e os equipamentos delas resultantes”.

Assim, a autarquia “congratula-se por este primeiro passo, que se traduz no primeiro apoio recebido por um governo nos últimos cinco anos” e garante que “continuará a pugnar por uma solução de enquadramento mais definitivo, e proporcionalmente coerente com os apoios dados em sede de Orçamento de Estado ao Centro Cultural de Belém e Casa da Música do Porto”.

Anúncio

Guimarães

Comunidade Angolana diz que “foi sempre bem recebida” em Guimarães

Caso Marega

em

Foto: Facebook da Comunidade Angolana em Guimarães / DR

A Comunidade Angolana de Guimarães emitiu um comunicado, esta quinta-feira, onde expõe a sua opinião sobre o recente incidente que envolveu o futebolista Marega e alguns apoiantes do Vitória SC num episódio de racismo.

Esta comunidade começa desde logo por afirmar o seu repudio contra qualquer tipo de desigualdade ou atos racistas em qualquer tipo de contexto.

Depois destas afirmações o comunicado segue explicando que esta comunidade jamais se sentiu vitima de racismo na cidade vimaranense, antes pelo contrário, mostrando um sentimento geral de inclusão e gratidão pelo pelo apoio prestado não só à Comunidade Angolana como africana em geral.

Imagem: Facebook de Comunidade Angolana de Guimarães / Divulgação

No comunicado são referidas ainda a forte partilha cultural desta comunidade não só em Guimarães como na zona norte de Portugal.

Continuar a ler

Guimarães

Torre da Alfândega em Guimarães visitável em 2021 após obras de 900 mil euros

A muralha contará ainda com um elevador panorâmico

em

Foto: cm-guimaraes.pt / DR

As obras de requalificação da Torre de Alfândega, em Guimarães, que vão permitir aceder ao interior da muralha que outrora rodeou o Centro Histórico da cidade, já arrancaram e estarão prontas dentro um ano, anunciou, esta quinta-feira, o município.

Em comunicado, o município acrescenta que a intervenção na torre, conhecida pela inscrição “Aqui nasceu Portugal”, está orçada em cerca de 900 mil euros.

Atualmente, apenas através da Alameda de S. Dâmaso é possível ter visibilidade da Torre de Alfândega.

O projeto em execução promove a visualização e fruição interior dos seus muros em granito, garantindo a acessibilidade ao interior da torre até ao último piso (terraço), no qual se detém a vista sobre a Alameda, Toural, Rua do Anjo, Castelo, Paço dos Duques, Palácio Vila Flor e restante edificado envolvente.

“Nesse sentido, a torre terá uma utilização pública destinada a núcleo expositivo/interpretativo da muralha e suas torres defensivas”, acrescenta o comunicado.

Será colocado ainda um elevador panorâmico, que permitirá a acessibilidade a pessoas com mobilidade reduzida.

Das seis torres da muralha que outrora rodeou o centro histórico de Guimarães, a da Alfândega é a única que resiste.

Continuar a ler

Guimarães

VMER de Guimarães assiste jovem gravemente ferido em acidente de trabalho em Felgueiras

Acidentes

em

Foto: DR / Arquivo

Um trabalhador de uma empresa de Felgueiras do setor do calçado ficou hoje ferido “com alguma gravidade” numa mão quando trabalhava numa máquina de solas, segundo os bombeiros.

O comandante dos bombeiros de Felgueiras, Júlio Pereira, disse à Lusa que o acidente, considerado um “esmagamento da mão direita”, ocorreu na empresa Armipex, na rua de São João, freguesia de Revinhade.

A ocorrência foi registada às 09:44.

O ferido, de 19 anos, residente na localidade de Aparecida, Lousada, foi assistido no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Guimarães e pelos Bombeiros de Felgueiras, com seis elementos e duas viaturas.

A vítima foi transportada para o Hospital de Penafiel.

A GNR esteve no local.

Continuar a ler

Populares