Seguir o O MINHO

Ave

Germinal leva a Famalicão mais de 40 propostas para debater a criação artística

De 31 de agosto e 07 de setembro, no Parque da Devesa

em

Foto: Facebook de Parque da Devesa

O encontro Germinal volta a Vila Nova de Famalicão para “desafiar a comunidade e artistas”, e “despertar para o debate em torno da criação”, através da ocupação de espaços públicos com conferências, espetáculos, performances, instalações e criações originais.

Em declarações à Lusa, uma das responsáveis pela segunda edição do evento, que decorre entre os dias 31 de agosto e 07 de setembro, Sara Barbosa, salientou a “forte componente da formação” que a organização do evento, a companhia Cão Danado, em articulação com a autarquia, cunhou na programação.

Da programação fazem parte nomes como Edgar Massul, artista plástico, que vai apresentar diversas instalações desenhadas para o Parque da Devesa, Patricia Barbosa, Pedro Barbosa e Inês Castanheira, que unem em “Confessionário” fotografia, instalação e som.

Sara Barbosa salientou ainda na edição deste ano do projeto “Ponto de Encontro Germinal”, um espaço de “partilha e discussão aberta que servirá como ponto de contacto entre artistas, a cidade e o público da mostra”.

O evento propõe ainda atividades musicais que passarão por propostas de referências nacionais de free jazz, clássica, improvisação e música digital, com Rodrigo Amado num concerto improvisado com o guitarrista Flak, o contrabaixista Hernani Faustino e Jorge Queijo na bateria.

Estão também agendados concertos pelo compositor esloveno Gaspar Piano e a pianista Eliana Veríssimo e ainda ‘happenings musicais’ entre o compositor, a pianista e músicos que se queiram juntar ao desafio.

Pascal Luneau regressa a Famalicão para uma conversa sobre o projeto “Outside”, um programa de formação, orientação e promoção para estudantes e ex-estudante da Academia Contemporânea de Espetáculo de Famalicão. Será ainda projetado o filme “Assentos”, com realização de Luneau, resultado fílmico de uma oficina e um espetáculo realizados na primeira edição do Germinal, entre o realizador e 13 jovens atores de Famalicão, sobre o ato de estar sentado com ou diante de outras pessoas.

Outra proposta é a estreia de “It all comes out at night”, o “culminar” de uma residência artística de Davis Freeman e de mais de dez jovens atores que responderam à provocação através de uma ‘open call’ nacional.

Ao todo, são mais de 40 propostas artísticas que vão ocupar espaços públicos de Famalicão com conferências, espetáculos, performances, instalações e criações originais que, disse a responsável, “pretendem despertar o debate em torno da criação”.

A edição de 2019 do Germinal, “nome escolhido porque é um processo, ainda está a germinar, a dar frutos, a crescer e a renovar-se através da forte componente formativa que a programação incorpora”, explicou Sara Barbosa, engloba mais de 30 artistas nacionais e internacionais,

“O Germinal quer, reserva, pretende ser também um lugar especial para o desocultamento do processo da criação artística e a sua relação com a consciência cívica e ambiental”, acrescentou.

“Fomos buscar pessoas que já trabalharam connosco e que vão pensando durante o ano, com o Cão Danado, com a comunidade, o que vão apresentar no ano seguinte. Este tempo que estamos em residência é um espaço onde surgem e estão-se a trabalhar projetos que serão presentados no ano seguinte e estão a ser apresentados aqueles trabalhados na primeira edição”, disse.

Com arraiais assentados no Parque da Devesa, o Cão Danado “desenhou um programa de ações que visam a participação comunitária num cruzamento entre arte, meio ambiente, tecnologia e património”.

No último dia, o público é convidado a visitar as instalações do antigo complexo industrial A Reguladora, atual sede do Cão Danado, sendo que será lá que Iria Sobrado estreia a criação original “Estado Cru” – “uma proposta teatral numa cena que limita o movimento de Sobrado, onde palavra, expressão corporal e o silêncio estão em jogo”.

O acesso a toda a programação é gratuito.

Anúncio

Famalicão

Ministro anuncia segundo ‘supercomputador’ do país a ser instalado em Famalicão

Potencia nas áreas de cura e prevenção do cancro, mobilidade, sustentabilidade e previsão climáticas

em

Foto: DR

O ministro da Ciência anunciou esta sexta-feira um segundo supercomputador para Portugal “já em 2020”, que ficará instalado em Vila Nova de Famalicão, onde está o BOB, a primeira máquina do género em Portugal.

Manuel Heitor fez o anúncio durante uma intervenção em Braga, na Universidade do Minho (UMinho), na conferência “Create Knowledge. Foster Change: Towards a New Decade of Joint Achievements”, na qual explicou as vantagens dos supercomputadores, apontando o aproveitamento daquelas máquinas em áreas como cura e prevenção do cancro, mobilidade, sustentabilidade e previsão climáticas.

À margem da conferência, coube ao representante da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), Nuno Rodrigues, explicar o processo para instalar o novo supercomputador.

“Está-se a tratar do concurso público para o funcionamento da máquina, o Deucalion. O objetivo é termos a máquina instalada e a funcionar no final de 2020”, reafirmou.

Sobre a supercomputação, Manuel Heitor, apontou o BOB como um “exemplo da supercomputação verde”, explicando que o supercomputador pode ser útil para a busca da cura do cancro, identificação precoce de tumores, previsão do clima e alterações climáticas, ondas de calor ou de frio, entre outras funcionalidades.

O BOB, nomeado assim em honra do seu criador Robert A. Peterson, da Universidade do Texas em Austin (UT Austin), está instalado na freguesia de Riba de Ave, em fase de testes e vai “abrir ao público” em janeiro, adiantou ainda o governante.

A opção de instalar o BOB em Portugal serve ainda com “prova” da capacidade do país no uso de energias renováveis: “A supercomputação tem uma pegada ecológica muito grande, porque as máquinas têm que ser arrefecidas e por isso precisa de muita energia para o ar condicionado”, explicou Manuel Heitor.

“Portugal tem uma tradição importante na integração de energias renováveis e por isso mesmo é que este supercomputador foi instalado em Riba de Ave, num centro da REN, em colaboração com a EDP para novos sistemas e tecnologias para o que é chamado a supercomputação verde, ou seja a supercomputação alimentada a energias renováveis”, finalizou.

Continuar a ler

Guimarães

PSP fiscaliza sucata com irregularidades em Guimarães

Foram ainda fiscalizadas as condições de dois cavalos, 10 cães e um porco vietnamita

em

Foto: PSP

Uma sucata localizada em Azurém, cidade de Guimarães, foi alvo de uma ação de fiscalização ambiental, na passada quarta-feira, levada a cabo por elementos da Brigada de Fiscalização da Esquadra de Intervenção e Fiscalização Policial da Divisão Policial de Guimarães da PSP, onde foram detetadas várias irregularidades.

Em comunicado, o comando distrital de Braga da PSP indica que foi realizada “uma operação, na qual foi fiscalizada uma  propriedade com cerca de 6 mil metros quadrados, na cidade de Guimarães, cujo proprietário tinha 78 veículos depositados, alguns em fim de vida, em incumprimento do seu encaminhamento para operadores de desmantelamento licenciados e foram ainda detetadas outros resíduos depositados fora das condições legais”.

Na mesma ação, dá conta a PSP, foram também “apuradas as condições de alojamento de dois equídeos, 10 canídeos e um porco vietnamita”.

As infrações  detetadas foram encaminhadas para as entidades competentes.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães: Mulher que esfaqueou companheiro devido a uma SMS acusada de homicídio

Na sequência de uma discussão a propósito de uma mensagem de telemóvel recebida pelo companheiro

em

Foto: Imagens CMTV

O Ministério Público (MP) acusou de homicídio qualificado na forma tentada e de violência doméstica uma mulher que, em março, agrediu o companheiro à facada na cozinha do estabelecimento de restauração que exploravam em Urgezes, Guimarães.

Em nota hoje publicada na sua página, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto refere que o MP considerou indiciado que, ao longo de 15 anos de vida em comum, o casal teve várias discussões “motivadas por ciúmes” da mulher.

Segundo a acusação, a arguida, por várias vezes, atingiu o companheiro com murros e bofetadas.

Ainda de acordo com o MP, em 19 de março, na sequência de uma discussão a propósito de uma mensagem de telemóvel recebida pelo companheiro, a arguida “espetou uma faca de cozinha no abdómen do ofendido, com o propósito de o atingir em órgãos vitais e assim lhe causar a morte”.

Uma morte que “apenas não aconteceu por motivos alheios” à vontade da arguida.

O MP formulou igualmente um pedido de arbitramento de uma quantia, a título de reparação pelos prejuízos patrimoniais e não patrimoniais sofridos pela vítima, em caso de condenação.

Continuar a ler

Populares