Seguir o O MINHO

Vila Verde

Freguesia exige rotunda para acabar com “risco de morte” em Vila Verde

em

Foto: O MINHO

A Junta de Loureira, no concelho de Vila Verde, criticou esta semana a demora na construção de uma rotunda num cruzamento da freguesia, na EN101, que diz significar “um risco de morte” para automobilistas e peões.

“O risco de morte é evidente e reconhecido por todas as entidades com responsabilidades na matéria, nomeadamente a Infraestruturas de Portugal, mas isso não é suficiente para alterar ou corrigir a situação de insegurança rodoviária, nomeadamente no fatidicamente conhecido ‘cruzamento da Loureira’ e zona envolvente, de bermas e passadeiras degradadas”, refere a junta, num comunicado enviado à Lusa.

Contactada pela Lusa, a Infraestruturas de Portugal referiu que a construção da rotunda foi posta em concurso em finais de julho e que adjudicação da empreitada deverá ocorrer no primeiro trimestre deste ano, tendo a empreitada um prazo de execução de três meses.

O comunicado da Junta de Loureira surgiu após mais uma morte no local, registada na semana passada, resultante do atropelamento de um antigo professor da freguesia, de 68 anos.

A Junta sublinha que, “pelo menos desde 2009”, tem procurado alertar a Infraestruturas de Portugal e o Governo, assim como tem mobilizado Município, deputados dos diferentes partidos e as mais diversas instituições.

“É inaceitável e revoltante que todos insistam numa atitude de absoluta irresponsabilidade”, refere o comunicado.

Diz ainda que, “hoje, muitos populares decidiram inundar as linhas telefónicas da Infraestruturas de Portugal, como forma de protesto e alerta”.

“Seguramente, estaremos na linha da frente a apoiar as medidas que a população da Loureira entender pertinentes para resolver de forma séria este problema, que é para nós um atentado a vidas humanas”, remata o comunicado.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Vila Verde disse que, em 2015, chegou a estar prevista a requalificação da EN101, mas a dotação financeira que estava inscrita para a obra, superior a um milhão de euros, “desapareceu” em 2016.

António Vilela classificou ainda como “manobra eleitoralista” o lançamento do concurso público para a construção da rotunda na Loureira, já que “até hoje nunca mais se ouviu falar da obra”.

“Basta olhar para o momento em que a obra foi lançada a concurso para perceber que não passou de uma manobra eleitoralista”, criticou.

A Infraestruturas de Portugal diz que estão a decorrer os procedimentos de concurso estipulados no Código dos Contratos Públicos.

Acrescenta que o investimento, de 150 mil euros, além da construção da rotunda contempla ainda a pavimentação, adequação do traçado à nova geometria da intersecção, melhoria e readaptação da sinalização vertical e horizontal, reabilitação do sistema de drenagem existente, através da execução de novos coletores, sumidouros e respetivas caixas de vista, implementação de passeios, ilhas e ilhéus direcionais e reformulação da rede elétrica e da iluminação pública existente.

“A empreitada irá assegurar um importante reforço ao nível da segurança rodoviária da EN101 em Vila Verde”, sublinha.

Populares