Seguir o O MINHO

Desporto

Famalicão perde em casa frente ao Paços de Ferreira com golo aos 90 minutos

II Liga

em

Um golo de Júnior Pius, aos 90 minutos, deu hoje ao líder Paços de Ferreira a vitória na visita ao seu perseguidor direto, o Famalicão, em jogo da 20.ª jornada da II Liga em futebol.

Júnior Pius fez no último minuto do tempo regulamentar o único tento da partida, conquistando três pontos que isolam ainda mais a equipa pacense, líder agora com 46 pontos, mais cinco do que o Famalicão, que segue em segundo com 41.

Num jogo entre candidatos à subida e que valia a liderança da tabela – à entrada para a jornada Paços de Ferreira e Famalicão estavam separados por dois pontos -, houve muita luta, mas poucas reais oportunidades de golo.

Os pacenses começaram melhor com um remate para fora, mas muito junto ao poste, de Luiz Carlos, aos 13 minutos, mas só na segunda parte se voltou a ver mais perigo junto à baliza de Defendi.

Já o Famalicão pecou ainda mais na abordagem à baliza contrária já que o primeiro verdadeiro remate da equipa da casa só aconteceu aos 75 minutos, com Feliz a rematar forte, mas para fora.

As duas equipas praticaram um futebol pouco prático e muito cauteloso e só intensificaram a aproximação ao último terço do terreno a pouco mais de dez minutos do final do encontro.

E mesmo em cima do final do tempo regulamentar, aos 90, Júnior Pius provocou uma explosão de euforia na bancada que recebeu os adeptos do Paços de Ferreira, ao completar de cabeça um livre de Bruno Teles, fazendo o golo da vitória, numa bola que ainda bateu no poste antes de entrar.

O Famalicão instalou-se no meio campo adversário durante os descontos, mas Ricardo Ribeiro negou qualquer possibilidade de empate.

Anúncio

Futebol

Benfica vence Paços de Ferreira e vai em 18 vitórias seguidas fora

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O Benfica venceu hoje por 2-0 na deslocação ao Paços de Ferreira, em jogo da 18.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, e aumentou para 18 o número de triunfos consecutivos fora de casa na competição.

A equipa lisboeta, líder do campeonato, adiantou-se no marcador por intermédio de Rafa, aos 39 minutos, e o avançado brasileiro Carlos Vinicius aumentou a vantagem aos 47, com o Benfica a somar agora 51 pontos, mais 10 que o FC Porto, que apenas joga na terça-feira com o Gil Vicente.

Com o triunfo de hoje, o Benfica aumentou para 18 o número de vitórias seguidas fora de casa para o campeonato, enquanto o Paços de Ferreira, que não perdia desde a 13.ª jornada, mantém os mesmos 16 pontos, no 16.º lugar da I Liga.

Continuar a ler

Futebol

Um milhão e seiscentos mil viram a final da Taça da Liga na RTP

Dados da Liga Portugal

em

Foto: Divulgação

O jogo da final da Taça da Liga, disputado entre SC Braga e FC Porto, e que coroou o conjunto bracarense como o Campeão de Inverno, é, para já, o programa mais visto na televisão portuguesa desde o início do ano civil, anunciou hoje a Liga Portugal.

Com 33% de share e uma audiência média de 16,1, o encontro disputado este sábado, 25 de janeiro, liderou as audiências durante o tempo integral da transmissão da RTP 1, que foi o canal mais visto do dia. O jogo somou uma média de cerca de um milhão e 600 mil espetadores.

Esta liderança de audiências não é uma novidade na prova. Já a final de 2018-19, jogada entre FC Porto e Sporting CP, e que terminou com um triunfo leonino, no desempate por grandes penalidades, foi o jogo mais visto entre clubes na televisão nacional, durante o ano de 2019.

Continuar a ler

Futebol

“Tudo correu mal”

Famalicão-Santa Clara (0-1)

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações dos treinadores após o jogo Famalicão – Santa Clara (0-1), da 18.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado em Vila Nova de Famalicão.

João Pedro Sousa (treinador do Famalicão): “Foi um mau jogo nosso, claramente, por responsabilidade nossa, com muitas faltas. Não conseguimos fazer o nosso jogo e colocar a nossa ideia em campo. Isso desconcentrou-nos e não conseguimos dominar os momentos do jogo. Foi uma primeira parte muito má, mais pelo que não conseguimos fazer, do que pelo que o Santa Clara produziu.

Na segunda parte, fomos conseguindo [criar desequilíbrios], mas sem a qualidade que nos permitisse chegar ao empate e depois à vitória. Não fomos competentes para conseguir outro resultado. Dou os parabéns ao Santa Clara pelo jogo que fez e pela vitória.

Claramente [que foram 45 minutos desperdiçados na primeira parte]. Já fizemos partes de jogos menos conseguidas, mas a ideia estava lá. Hoje, nem isso. Não tivemos paciência, nem conseguimos circular a bola. Tudo correu mal. Penso que acreditávamos que, com o tempo, iríamos criar oportunidades e marcar. Não fomos competitivos na primeira parte e depois não reagimos.

Até somos das equipas que marca mais golos a partir do banco. Temos jogadores que entram e conseguem criar desequilíbrios. Mas é uma tarefa difícil conseguir isso nos jogos todos. Quando as coisas começam mal, é difícil alterá-las a partir de determinado momento.

Não há pressão [por causa da classificação]. Temos a nossa pressão e a nossa exigência. Colocámos a fasquia alta. Temos adversários muito competentes e bem orientados, como o de hoje, com bons jogadores. É natural sentirmos mais dificuldades, mas compete-nos encontrar soluções.

Não falo do árbitro [sobre o alegado fora de jogo no lance do penálti que deu o golo ao Santa Clara], pois ele faz parte do jogo. Tem todo o direito de errar, como eu errei e os meus jogadores. Custa-me é que o videoárbitro erre. Ele foi criado para corrigir erros grosseiros”.

João Henriques (treinador do Santa Clara): “Estrategicamente, a interpretação dos jogadores foi muito bem conseguida. Na primeira parte, dificultámos o bom processo ofensivo do Famalicão e conseguimos com que não ligassem jogo nem por dentro, nem por fora. Além disso, recuperámos bolas e criámos perigo. Estávamos à espera que o Famalicão entrasse forte na segunda parte, mas depois de mudarmos o nosso posicionamento, voltámos a ficar confortáveis no jogo. O nosso processo ofensivo e as nossas transições foram bem conseguidas. A exibição deu continuidade à da jornada anterior, em que não conseguimos pontos por manifesta infelicidade [derrota com o Vitória de Guimarães, por 1-0, aos 90+1]. Provámos que o Santa Clara tem a equipa estabilizada para a segunda volta.

O Famalicão, apesar de extremamente confortável, começa a ambicionar outras coisas. Com 31 pontos na primeira volta, o Famalicão vai querer manter a posição para lutar por uma Liga Europa. Não éramos favoritos para o jogo. Ao retirarmos bola e não deixarmos construir o Famalicão, sabíamos que o nervosismo iria surgir. Mas sabíamos que essa ansiedade só aumentaria se conseguíssemos fazer golo. Soubemos esconder a bola, apesar do Famalicão ter uma boa reação à perda.

Começámos a época a perder em casa com o Famalicão [1-0]. Hoje, tínhamos de retificar esses três pontos perdidos injustamente em casa. Fomos superiores nesse jogo. Hoje, voltámos a ser superiores ao Famalicão. São três pontos num longo caminho rumo à manutenção.

A ‘estrelinha’ é sempre necessária [para vencer]. Fomos audazes e hoje a ‘estrelinha’ acompanhou. Houve jogos que perdemos na fase final. Mas hoje mantivemos a baliza a zeros e o Marco não teve de fazer uma defesa difícil. Tivemos ‘estrelinha’, mas fomos competentes.

Não vi ainda a repetição do penálti. Parece que a falta existe, mas há uma discussão sobre se é fora de jogo ou não. Deixo isso ao critério do videoárbitro.

[O Anderson Carvalho] É um dos nossos reforços deste mercado. Foi um jogador importante na época anterior, até ao momento da lesão. É um jogador importante dentro de campo e dentro do balneário. Com o conforto da vitória, há mais jogadores que vão crescer dentro do plantel. Acreditamos que a nossa segunda volta vai ser melhor do que a primeira”.

Continuar a ler

Populares