Seguir o O MINHO

Ave

Fafe homenageia copilotos Hugo Magalhães e Mário Castro

Medalha de Mérito Concelhio

em

Foto: Ivo Borges / O MINHO

A Câmara de Fafe homenageou os copilotos Hugo Magalhães e Mário Castro, esta segunda-feira, nas comemorações do 110.º aniversário da Implantação da República.


Os copilotos fafenses Mário Castro, de 45 anos, e Hugo Magalhães, 36, com um vasto currículo no automobilismo receberam a Medalha de Mérito Concelhio.

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

O Município de Fafe assinalou o 5 de Outubro com uma sessão solene evocativa da efeméride que contou com a atribuição do Prémio de História Local a Maryse Teixeira e do prémio Dr. Maximino de Matos a Nuno Fernandes.

Além das intervenções dos presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal, a cerimónia contou com o discurso de Luís Marques Mendes, comentador político e conselheiro de Estado natural de Fafe.

Anúncio

Ave

Encapuzados sequestram idosa em Famalicão para roubar 500 euros

Dupla estava armada

em

Foto: DR

Uma idosa com cerca de 75 anos foi sequestrada em casa, em Famalicão, por dois encapuzados, um deles armado, para roubar cerca de 500 euros. Segundo o Correio da Manhã (CM), que avança a notícia, a dupla colocou-se em fuga, deixando a vítima trancada num quarto.

De acordo com aquele jornal, o roubo aconteceu na última sexta-feira, ao fim da tarde, num bairro habitacional de Calendário.

Os dois ladrões terão aproveitado o facto de a casa estar em obras para acederem ao interior, onde surpreenderam a moradora sozinha.

A Polícia Judiciária de Braga está a investigar.

Continuar a ler

Guimarães

Jovem que morreu em acidente de trabalho em Guimarães vai hoje a sepultar

Óbito

em

Foto: DR

O jovem de 19 anos que morreu na quinta-feira na sequência de um acidente de trabalho numa fábrica de cutelaria em Sande São Clemente, em Guimarães, vai esta segunda-feira a sepultar.

O funeral de Tiago André da Silva Oliveira realiza-se hoje, pelas 16:00. A cerimónia fúnebre vai decorrer na capela de São de Tomé, em Caldas das Taipas, e será sepultado no cemitério da freguesia de Caldelas.

Jovem de 19 anos morre em acidente de trabalho em Guimarães

Como O MINHO noticiou, Tiago André perdeu a vida quando sofreu um acidente de trabalho com uma máquina, naquela empresa, ao final da tarde de quinta-feira, deixando colaboradores, família e amigos em estado de choque.

Para além dos bombeiros, equipa médica da VMER e GNR, também uma equipa de psicólogos do INEM deslocou-se ao local da tragédia no dia fatídico, para prestar apoio a várias pessoas que estavam em estado de choque.

Corpo de jovem que morreu numa fábrica em Guimarães vai ser autopsiado

Depois de decretado o óbito ainda dentro da fábrica, o corpo do jovem foi transportado para o gabinete médico-legal de Guimarães.

A Autoridade para as Condições de Trabalho está a investigar a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

Está a nascer um novo museu militar em Guimarães

A cargo da Associação de Veteranos Lanceiros de Portugal

em

À direita o vice-presidente da AVLP, Cláudio Monteiro, à esquerda o presidente, Fernando Rego.

Está a nascer um novo museu militar em Guimarães, obra da Associação de Veteranos Lanceiros de Portugal (AVLP), que reúne ex-militares das especialidades de Polícia do Exército e Polícia Militar e tem sede na Cidade Berço. Vai ser instalado num conjunto de salas cedidas pela Misericórdia, nas instalações do antigo hospital de Guimarães.

O protocolo entre as duas instituições foi firmado entre o provedor da Misericórdia local, Eduardo Leite e o presidente da AVLP, Fernando Rego, no início de março. “Logo a seguir à assinatura do protocolo, entramos em confinamento e, desde essa altura, uma série de problemas relacionados com a situação sanitária, fizeram com que o processo estivesse suspenso. Tivemos, inclusivamente, membros da AVLP a cumprir isolamentos profiláticos”, informa Fernando Rego.

Neste momento, o museu está em fase final de instalação. “A Associação tem um acordo com a Câmara Municipal, que irá ajudar a custear a instalação”, afirma o presidente da AVLP. Com este museu a cidade de Guimarães vai atrair para si um acervo de mais de 30 mil peças de uma coleção que abrange todos os ramos do Exército, Marinha, Força Aérea, forças paramilitares, como a GNR e até organizações do antigo regime, como a Mocidade Portuguesa, Legião Portuguesa e PIDE, além de forças estrangeiras.

À direita o vice-presidente da AVLP, Cláudio Monteiro, à esquerda o presidente, Fernando Rego. Foto: Rui Dias / O MINHO

Trata-se de um conjunto de peças que Cláudio Monteiro, vice-presidente da AVLP, foi reunindo ao longo de muitos anos. “Comecei pelos brinquedos militares e estes terão uma parte importante neste museu. Mas depois fui evoluindo para outro tipo de objetos: coberturas, fardas, documentos, na verdade tenho um pouco de tudo na minha coleção, até viaturas. Há outros colecionadores que são especializados, que têm coleções mais completas em certas áreas. A coleção que vamos trazer para Guimarães é muito eclética”, explica Cláudio Monteiro.

“Há a possibilidade, depois de estarmos a funcionar, de trazer a Guimarães exposições temporárias, com peças de outras associações e museus com quem temos boas relações e a quem já temos emprestado algumas das nossas peças”, antecipa Cláudio Monteiro.

A coleção de Cláudio Monteiro tem peças tão distintas como uma viatura todo-o-terreno UMM, de Polícia do Exército, ou uma mota Sachs Hércules 125, passando por livros, obras de arte, fardamentos, condecorações, guiões, modelismo, equipamentos de comunicações, coberturas, soldadinhos de chumbo ou brinquedos.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO 

Um museu será constituído por uma área para a exposição permanente, mais ligada à arma de cavalaria, à especialidade de Polícia do Exército/Polícia Militar (Lanceiros) e outra reservada para exposições temporárias. Estão previstas exposições temáticas, evocativas de momentos históricos, ou mostras ligadas a diversas áreas de interesse militar. “Não é possível apresentar 30 mil peças de uma só vez. Teremos de fazer uma escolha criteriosa”, antevê o presidente da AVLP.

Claúdio Monteiro enfatiza a boa relação com a instituição militar e com outras associações, como a Associação Portuguesa de Veículos Militares, que irá contribuir para tornar este museu num organismo vivo. “Quem nos visitar duas vezes por ano, garantidamente não verá as mesmas peças”, afirma.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

As peças em exposição permitirão ao visitante recuar até às invasões francesas, passando pelas Guerras Liberais, pelo Corpo Expedicionário Português na Grande Guerra, pela II Guerra Mundial, até à Guerra Colonial.

Para João Vareta, coronel de cavalaria na reserva e presidente da Mesa da Assembleia da AVLP, “é muito importante para Guimarães, o berço da nacionalidade, atrair para a cidade uma coleção com este valor”. 

O presidente da AVLP não arrisca ainda uma previsão para a inauguração deste novo museu militar, “Casa do Lanceiro”, em virtude do momento de alguma incerteza que o país, e particularmente o concelho de Guimarães, atravessa. “Queremos, muito rapidamente, ultrapassar esta fase de instalação, para passarmos ao próximo objetivo, que será a integração com a comunidade, nomeadamente com as escolas”.

Continuar a ler

Populares