Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Ex-diretora nega perseguição a funcionária dos bombeiros voluntários de Viana

Processo de assédio moral alegadamente praticado pela associação humanitária dos Bombeiros Voluntários sobre uma funcionária da central de telecomunicações, entre 2015 e 2017.

em

Foto: Divulgação / BV Viana do Castelo

A ex-diretora de recursos humanos dos bombeiros voluntários de Viana do Castelo negou hoje ter perseguido uma funcionária da central de telecomunicações, mas admitiu que a operadora “não respeitava as ordens” e era conflituosa com colegas.

“Se fosse participar de tudo não tinha só um processo disciplinar. Não respeitava as ordens que se lhe davam”, afirmou Teresa Balinha no início do julgamento de um processo de assédio moral alegadamente praticado pela associação humanitária dos Bombeiros Voluntários sobre uma funcionária da central de telecomunicações, entre 2015 e 2017.

A engenheira de Higiene e Segurança no Trabalho, que durante seis anos exerceu as funções de diretora dos recursos humanos naquela corporação, entre 2011 e 2017, acusou ainda a operadora de comunicações, de 55 anos, de “recusar a presença, na central de telecomunicações, de um colega por ser preto” e de outra “por não dar banho”.

A responsável negou que não fosse cumprida a rotatividade dos turnos de oito horas que implementou quando chegou à corporação e garantiu que a decisão de prescindir das pausas de meia hora para as refeições, que revertiam para um banco de horas, foi “consensual”, sendo que a autora do processo que começou hoje a ser julgado no Tribunal de Trabalho de Viana do Castelo foi a única que se opôs a essa prática.

Além da ex-diretora de recursos humanos dos bombeiros voluntários, na sessão de hoje foi ainda ouvida uma operadora de telecomunicações, para quem a falta de pausa para descanso tornava o horário de trabalho “cansativo” e “a rotatividade de turnos era incerta”.

Esta operadora disse ainda existir um “absoluto descontrolo” da contagem do tempo acumulado no banco de horas.

O julgamento, que começou cerca das 10:10, terminou cerca das 13:30, apenas com a audição de duas das oitos testemunhas arroladas pela queixosa.

O juiz que presidiu aos trabalhos marcou novas sessões para 15 de janeiro e 12 de fevereiro de 2019.

Anteriormente, a advogada da queixosa, Isabel Guimarães, revelou à Lusa que “o assédio moral começou em 2015” e que a mulher “foi alvo de uma verdadeira perseguição, vivendo momentos de verdadeiro terror que motivaram a baixa médica durante mais de oito meses, com acompanhamento psicológico”.

“Há um relatório médico que atesta síndrome de Burnout, causado pelo stress excessivo, vivenciado no local de trabalho. Este assédio moral conduziu a que a trabalhadora vivesse verdadeiros momentos de pânico, medo, depressão psicológica e desgaste da sua imagem perante os colegas de trabalho. A trabalhadora perdeu qualidade de vida”, sustentou a advogada.

A trabalhadora em causa tem 55 anos de idade e trabalha naquela corporação há 19 anos.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da direção à data dos factos e atual vice-presidente, Luciano Moure, referiu desconhecer o caso, justificando “que quem geria as questões relacionadas com os recursos humanos era a secretária adjunta da direção”.

Já o atual presidente da direção, José Salgado, remeteu declarações sobre o assunto para o final do julgamento.

A advogada disse ainda que a funcionária exige “o pagamento de todas as horas que trabalhou além das oito horas diárias, uma indemnização pela violação dos seus direitos laborais e por assédio laboral, no valor superior a 60 mil euros”.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Viana do Castelo

Viana vai receber estágios de equipas de futebol de todo o mundo no Estádio Manuela Machado

Autarquia assinou protocolo com a CA Tourism & Events Limited.

em

Foto: Divulgação

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo assinou esta segunda-feira um protocolo de desenvolvimento de turismo desportivo no concelho vianense que visa trazer equipas de futebol de todo o mundo à cidade, para realização de estágios no Estádio Municipal Manuela Machado.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Segundo explica a autarquia numa nota partilha no seu site, o documento, assinado entre o autarca José Maria Costa e o representante da CA Tourism & Events Limited, com sede em Inglaterra, tem como objetivo o desenvolvimento turístico desportivo do concelho de Viana do Castelo e a cooperação entre as partes no âmbito específico do apoio logístico, vigorando pelo período de um ano, renovado automaticamente.

Para a empresa parceira, o benefício deste protocolo para o município será trazer turistas ligados ao desporto, que é uma área crescente em Portugal. Segundo a nota, os turistas desportivos pernoitam, em média, entre 5 a 7 noites, o que será uma mais-valia para os hotéis da região.

O responsável acredita que o clima ameno, a beleza da cidade e a envolvência da mesma, bem como as excelentes condições do Estádio Municipal Manuela Machado, serão fatores de atratividade para as equipas de futebol. Em 2019, poderão vir estagiar em Viana do Castelo já várias equipas, que deverão ser anunciadas no próximo mês de janeiro.

A Câmara Municipal de Viana do Castelo disponibiliza o Estádio Municipal Manuela Machado para realização de estágios de futebol e jogos de treino, cedendo outros apoios logísticos, dependendo das necessidades que se vierem a verificar. A autarquia fica ainda responsável por efetuar o tratamento e manutenção da relva natural do complexo, assim como tomar todas as iniciativas necessárias para que este esteja nas perfeitas condições para a realização dos estágios de futebol.

Já a empresa de promoção dos eventos desportivos terá de garantir que os clientes fiquem sempre instalados nas unidades hoteleiras do concelho de Viana do Castelo, utilizando fornecedores e entidades locais para os variados serviços necessários ao apoio e realização dos estágios, assumindo ainda o compromisso de divulgar Viana do Castelo junto dos clientes e parceiros.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana é uma das 10 cidades costeiras mais bonitas de Portugal, diz jornal inglês

Reconhecimento internacional.

em

Viana do Castelo foi considerada uma das dez cidades costeiras mais bonitas de Portugal, numa lista elaborada pelo prestigiado jornal inglês “The Telegraph”.

Na sua edição digital, o jornal de referência britânico afirma que, sendo “rica em mansões opulentas em estilo manuelino, renascentista e barroco, Viana do Castelo encontra-se num belo cenário no estuário de Lima”.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O “The Telegraph” acrescenta que Viana do Castelo “foi proeminente no século XVI, fornecendo navios e marítimos para as grandes descobertas marítimas de Portugal” e destaca “as ruas sinuosas do centro da cidade” que “levam à atraente praça principal, a Praça da República, dominada pelos Paços do Concelho, em arco gótico”. O jornal destaca ainda as “excelentes praias que ficam ao norte e ao sul da cidade”.

Jornal inglês apresenta o Minho como “o canto de Portugal que o vai convencer a emigrar”

Este ano, em abril, outro importante jornal britânico, incluía a cidade que é considerada pérola do Lima entre as 12 melhores cidades com praia no Sul da Europa, onde figurava em terceiro, sendo apenas superada por Sanremo e Sciacca, no sudoeste da Sicília, em Itália.

Foto: Divulgação

“Há praias selvagens em abundância: ao sul fica a Praia do Cabedelo, um trecho arenoso interminável apoiado por dunas e floresta de pinheiros, ótimo para surf e windsurf, além de ciclovias e trilhas para caminhada ao longo do rio e da costa”, escrevia o jornal.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Jovem esfaqueado em Viana terá sido morto por engano

Revelou o pai de um amigo à SIC.

em

Foto: Direitos Reservados

Imagens: SIC

Vítor Coimbra, jovem de 22 anos esfaqueado em Areosa, Viana do Castelo, esta segunda-feira, terá sido morto por engano.

Foto: Direitos Reservados

A revelação foi feita à SIC por Manuel Rodrigues, pai do homem que seria o alvo do ataque.

“Ele disse-me que o alvo era ele não o Vítor”, contou, acrescentando que o crime estará relacionado “com uma antiga namorada [do seu filho] que arranjou isto tudo”.

“O meu filho reconheceu um dos homens e percebeu que ele não estava ali com boas intenções e agarrou-o. O Vítor foi logo atacado por outro que estava do outro lado com uma faca”, contou Manuel Rodrigues na rubrica “Atualidade Criminal”, do programa “Queridas Manhãs”.

Segundo relatou, a agressão nas costas, com uma arma branca, ocorreu na altura em que a vítima mortal e o seu filho se despediam, ao portão.

Disse ainda que os suspeitos se colocaram em fuga num carro “que tinha duas raparigas à espera”.

De acordo com o segundo comandante da PSP de Viana do Castelo, Raul Curva, o jovem de 22 anos era residente na freguesia urbana onde ocorreu o crime.

A vítima foi transportada ao hospital de Santa Luzia, em estado crítico, cerca das 18:09, onde acabou por falecer. Vítor Coimbra era pai de duas meninas, de um e três anos.

O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária de Braga.

Continuar a ler

Populares