Seguir o O MINHO

Alto Minho

Eurocidade Cerveira-Tomiño põe crianças dos dois lado da fronteira a brincar juntas

Orçamento Participativo Transfronteiriço.

em

Foto: DR/Arquivo

As populações de Vila Nova de Cerveira e Tomiño (Galiza) escolheram dois projetos infantis comuns para concretizar no âmbito do Orçamento Participativo Transfronteiriço (OPT) de 2019, no valor de 20 mil euros.

Em comunicado de hoje, o município português explicou que os projetos “Atividades Artísticas e Ambientais para a População Infantil” e “Atividades Lúdico-Educativas para umas Férias Ativas e Criativas” “arrecadaram a maioria dos 800 votos ‘online’ contabilizados na terceira edição do OPT”.

As propostas escolhidas, apresentadas pela Associação de Pais do Centro Escolar da Vila, Associação de Pais do Centro Escolar do Norte e Mesa de Anpas dos Centros Educativos de Tomiño pretendem “promover uma maior aproximação entre as crianças dos dois concelhos vizinhos”.

O projeto “Atividades artísticas e ambientais para a população infantil de Vila Nova de Cerveira e Tomiño” destina-se a 300 crianças, entre os 03 e os 12 anos, e prevê a dinamização de ações de acordo com a faixa etária.

As atividades serão realizadas “entre abril e junho, sensibilizando a população infantil para a ecologia através da vivência e do contacto com o meio natural e rural do território em causa”.

Já segunda proposta, “Atividades lúdico-educativas para umas férias ativas e criativas” tem prazo de execução “entre julho e agosto do próximo ano, envolvendo cerca de 100 crianças”.

“Um dos objetivos deste projeto consiste na oferta de alternativas de conciliação profissional para famílias e de atenção a crianças ao terminar o período escolar, através de iniciativas de lazer ao ar livre nas férias do verão”, especifica a nota.

Segundo o município, o número de votos (800) contabilizados na votação ‘online’ da terceira edição, “não pode ser medido de forma transversal às diferentes edições, uma vez que todos os anos a metodologia de envolvimento da população é diferente”.

“No OPT 2019 foram eliminadas as três áreas temáticas, permitindo um maior envolvimento e diálogo entre as associações e entidades, para além de se colocar o limite de dois votos obrigatórios por pessoa”, sustentou aquela autarquia.

O OPT, dotado de 20 mil euros, “é pioneiro na Eurorregião Galiza-Norte de Portugal e está incluído na Agenda Estratégica para a Cooperação Transfronteiriça Amizade Tomiño-Cerveira, projeto cofinanciado por fundos comunitários, que pretende potenciar a participação pública e o poder de decisão da cidadania de ambas margens do rio Minho”.

Em outubro, os dois municípios vizinhos constituíram, formalmente, uma eurocidade, a terceira entre municípios do distrito de Viana do Castelo e da Galiza, depois de Valença e Tui, em 2012, e Monção e Salvaterra do Minho, em 2017.

A nova eurocidade tem como objetivo “consolidar a atual cooperação transfronteiriça e gestão partilhada de equipamentos e serviços”, depois de, em junho de 2014, as autarquias vizinhas terem assinado a “Carta da Amizade”, no sentido de “preparar um futuro em comum através da concretização de projetos que proporcionem uma maior cooperação cultural, desportiva, urbanístico-ambiental entre os dois concelhos vizinhos”.

Aquela cooperação resultou em várias ações, entre elas o Orçamento Participativo Tranfronteiriço, a criação da Provedoria de Cidadania Transfronteiriça, a oferta de serviços partilhados e a realização de uma programação anual conjunta de atividades culturais e desportivas, resultado de um projeto cofinanciado em 75% pelo Programa INTERREG, com fundos FEDER da União Europeia.

Anúncio

Alto Minho

Jovem motociclista de 17 anos em estado grave após acidente em Monção

em

Um jovem motociclista de 17 anos ficou com ferimentos graves na sequência de uma colisão entre a mota que conduzia e um automóvel, esta manhã de quarta-feira, na vila de Monção.

Para o local foi acionada uma ambulância dos Bombeiros de Monção e a ambulância SIV de Valença.

De acordo com a rádio Vale do Minho, a colisão deu-se na Avenida da Boavista.

O alerta foi dado às 08:24.

A vítima foi transportada para o hospital de Viana do Castelo.

A GNR registou a ocorrência.

 

Continuar a ler

Viana do Castelo

Testes de “flutuação” do parque eólico em Viana concluídos com sucesso

Exploração do potencial eólico no mar

em

Foto: O Instalador

A ASM Industries efetuou, “com sucesso”, as operações de teste e flutuação da primeira das duas plataformas contratadas para o novo parque eólico offshore em Viana do Castelo, no âmbito do projeto WindFloat, foi esta terça-feira anunciado.

“Os testes decorreram com enorme sucesso e em total segurança e foram o culminar de vários meses de trabalho árduo e contínuo. Este é um projeto que coloca Portugal no centro das atenções no que toca a soluções flutuantes para a indústria da energia eólica offshore”, afirmou, em comunicado, o presidente executivo da ASM Industries, Adelino Costa Matos.

O projeto WindFloat Atlântico, que é detido pela empresa Windplus, tem como objetivo o aproveitamento da energia eólica offshore, através de uma tecnologia da Principle Power, que permite a exploração do potencial eólico no mar, em profundidades superiores a 40 metros.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Movimento de mercadoria no porto de Viana do Castelo aumenta 19%

Movimentou, até setembro, 308 mil toneladas de mercadoria

em

Porto de Viana do Castelo. Foto: Divulgação

O porto de Viana do Castelo movimentou, até setembro, 308 mil toneladas de mercadoria, um aumento de 19% face a 2018, sendo que “a média mensal superou as expetativas” ao registar um acréscimo de 26% no mesmo período.

Em comunicado enviado à Lusa, a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) adiantou que “os granéis sólidos registaram um aumento considerável, com 124 mil toneladas, que corresponderam a um crescimento de 112% face ao período homólogo”.

Segundo a APDL, “entre as principais mercadorias movimentadas no porto de Viana do Castelo destacam-se os agroalimentares que registaram um aumento de 51 mil toneladas (+537%), tornando-se na principal mercadoria importada através infraestrutura portuária”.

“Desde o início do ano, o Porto de Viana do Castelo tem assistido a um crescimento sucessivo da movimentação de mercadorias. Entramos agora no último trimestre do ano com grande expectativa para o fecho de 2019. Esta infraestrutura portuária tem conseguido criar um dinamismo muito interessante para a economia da região e do país”, destacou a administração da APDL.

Segundo a APDL, o porto situado na capital do Alto Minho “tem um papel preponderante no desenvolvimento socioeconómico da região”.

Continuar a ler

Populares