Seguir o O MINHO

Braga

Empresário de Braga detetado pela Interpol tinha 10 mil vídeos com pornografia infantil

Downloads foram detetados na Alemanha. Tribunal de Braga vai julgá-lo em novembro.

em

Foto: DR

Importava pornografia infantil na internet. Foi apanhado pela PJ com 500 fotografias e mais de dez mil vídeos com crianças forçadas a praticar atos sexuais. O Tribunal de Braga vai, agora, julgá-lo.


Foi a Interpol alemã quem detetou as descargas informáticas – downloads – que o homem, um empresário luso-brasileiro de 57 anos, de apelido Lima e que reside em Braga, fazia, desde 2007, a partir de sites de pornografia infantil.

O arguido foi, depois, investigado pela PJ/Braga que o procurou na empresa onde é sócio-gerente, tendo-lhe encontrado quatro DVD’s, com imagens de menores de 14 anos – “impúberes” – em poses sexuais com adultos, e uma folha A4 onde tinha escrito o nome de vários sites criminosos, que, por regra, começam, pela frase pré-teens, ou seja, pré-adolescentes, em português.

Foi-lhe, também, apreendido um aerossol de defesa pessoal, contendo gás pimenta, o que é ilegal.

Mais tarde, a Polícia foi a sua casa, com mandado de busca, e teve de esperar uma hora para entrar, supostamente porque o suspeito esteve a apagar os vestígios de crime que ainda tinha no computador, utilizando, para isso, um programa informático específico.

Apesar disso, a PJ encontrou, num disco externo, provas de que tinha mais de 10 mil ficheiros de vídeo com menores, e de que utilizava programas específicos para fazer as descargas, como o Utorrent.

“Falta de provas”

Face à acusação pelo Ministério Público, o advogado do arguido, António Santos Quintas pediu a instrução e nela invocou a sua nulidade dado ter havido “insuficiência da investigação e omissão de diligências necessárias para a descoberta da verdade”. Invocou, ainda, a prescrição do caso e pediu a suspensão provisória do processo, pelo facto de o arguido ser delinquente primário.

Considerou não haver provas nem registos de que o empresário tenha comprado imagens ou vídeos ou sequer que tenha visitado sites criminosos, dizendo, mesmo, que alguns dos que estavam na folha A4 eram inexistentes.

Argumentou que tinha apenas algumas fotos e alguns vídeos, estes de caráter naturista, e sem que se possa provar a idade das jovens.

O Tribunal não aceitou nenhuma das objeções e mandou o processo para o Tribunal Coletivo.

Anúncio

Braga

Covid-19: Mais um infetado e dez recuperados no concelho de Braga

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O número de pessoas infetadas com o covid-19 no concelho de Braga era, às 18:00 desta quarta-feira, de 1.394, mais um do que na passada sexta-feira, a última vez que revelamos dados locais.

Já o número de óbitos manteve-se nos 74, contabilizando um óbito durante os últimos trinta dias.

Fonte do setor local da saúde revelou a O MINHO que o número de pessoas recuperadas, as que lutaram, com êxito, contra a covid-19, continua a subir, sendo agora 1.296, mais dez do que na passada sexta-feira.

Covid-19: Mais 3 mortos, 313 infetados e 293 recuperados no país

Estes dados são apurados por O MINHO junto de fonte local do setor da saúde e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral de Saúde, no qual Braga regista há várias semanas os mesmos 1.256 casos.

Desde o dia 01 de janeiro, Portugal registou 373.293 casos suspeitos, refere o boletim, adiantando que há 26.633 pessoas dadas como recuperadas, mais 251 do que na quarta-feira.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 487 mil mortos e infetou mais de 9,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Continuar a ler

Braga

Termas do Gerês queriam abrir hoje mas não puderam porque falta vistoria estatal

Terras de Bouro

em

Foto: DR / Arquivo

A abertura das Termas do Gerês estava agendada para hoje, dia um de julho. Mas foi adiada porque “aguarda avaliação obrigatória da Direção-Geral de Energia e Geologia para poder funcionar em pleno”.

“Por razões de ordem administrativa, o Estabelecimento Termal do Gerês não se encontra ainda aberto ao público, ao contrário do que estava previsto”, adiantou, hoje, a empresa, em comunicado, no qual explica que a vistoria se deve a intervenções de qualificação de estruturas e equipamentos, tendo em conta as exigências da Direção-Geral de Saúde.

A administração – liderada por Rosário Van Zeller – manifesta, por isso, “a expectativa de que as autoridades competentes procedam no mais breve espaço de tempo à avaliação solicitada, tendo em conta as garantias da reconhecida excelência destas águas termais e do serviço e condições de operacionalidade desta estância”.

E a concluir, afirma: “Esperamos, assim, garantir o mais rapidamente possível o funcionamento das Termas do Gerês, de forma a satisfazer os reconhecidos interesses e expectativas de clientes, turistas, hoteleiros e toda a comunidade envolvente”.

Continuar a ler

Braga

PSP de Braga vai intensificar fiscalização de consumo de álcool na via pública

Covid-19

em

Foto: PSP

O comando distrital da PSP de Braga prepara-se para intensificar a fiscalização dos espaços públicos e locais habituais de encontros para consumo de álcool na via pública nas cidades de Braga, Guimarães, Famalicão e Barcelos, foi hoje anunciado.

Em comunicado, aquela entidade policial relembra a nova resolução de conselho de ministros onde foi aprovado um novo regime contra-ordenacional para várias situações de incumprimento das novas regras, cujo objetivo é conter e mitigar a covid-19.

As aglomerações com mais de 20 pessoas vão estar na mira da polícia, havendo multas para quem não cumprir, assim como para o consumo de álcool na via pública, situação que se tem verificado em alguns pontos do Minho.

Segundo a PSP, a fiscalização vai incidir também em locais abertos aos público, observando-se as regras de ocupação, permanência e distanciamento físico, assim como utilização de máscaras ou viseiras nesses locais e em outros edifícios públicos ou de prestação de serviços.

A polícia vai ainda verificar se as máscaras estão a ser utilizadas nos estabelecimentos de ensino e nas creches, em salas de espetáculo, de cinema ou similares, assim como nos transportes coletivos de passageiros.

A PSP vai verificar se os estabelecimentos de comércio e prestação de serviços está a cumprir os horários definidos para o Estado de Alerta em que atualmente vivemos.

 

Continuar a ler

Populares