Seguir o O MINHO

Braga

Grupo de cidadãos de Braga envia queixa à UNESCO contra venda da Confiança

Ontem, cerca de 100 pessoas manifestaram-se junto da antiga fábrica.

em

Foto: Facebook de Paula Nogueira

Um grupo de cidadãos de Braga dirigiu uma queixa à UNESCO contra a venda da antiga Fábrica Confiança, argumentando que aquela alienação “põe em causa a ambição” da cidade de ser Capital Europeia da Cultura” em 2027.

Em comunicado enviado hoje, o grupo, que formou ainda uma plataforma denominada “Salvar a Confiança”, refere que o complexo da antiga saboaria, “expropriado em 2012, representa “o principal edifício industrial e de valor histórico do concelho” de Braga, lembrando que a cidade “integra o grupo de cidades criativas da UNESCO, ostentando o título de cidade criativa nas Media Arts” pelo que assumiu “o compromisso de valorizar as indústrias criativas e o acesso democrático à cultura”.

Segundo aquele grupo “a Saboaria e Perfumaria Confiança é um dos últimos exemplares da arquitetura industrial do concelho” salientando que o processo de venda, aprovado em reunião do executivo de 19 de setembro pela maioria PSD/CDS-PP/PPM, “é pouco transparente, feito à pressa e sem diálogo com os cidadãos”.

O grupo alerta que, “com esta decisão, a autarquia está a pôr em causa a ambição de ostentar o título de Capital Europeia da Cultura, a par da prevista candidatura a Capital da Cultura do Eixo Atlântico”.

“A venda significa a total destruição do valioso património industrial ainda existente no concelho de Braga. (…) Além disso, a venda a privados não acautela qualquer salvaguarda do património industrial. Os promotores da queixa apelam à UNESCO que sensibilize a câmara para que suspenda o processo”, lê-se.

A plataforma “Salvar a Confiança” defende ainda que a venda do equipamento “vai privar o concelho de um novo equipamento cultural que estava previsto” e que “a possibilidade de criar um novo polo cultural na zona urbana de S. Victor (32 mil habitantes) é um grande argumento para fortalecer a candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura em 2027”.

Aqueles cidadãos informam ainda que vão enviar a mesma queixa agora dirigida à UNESCO ao Ministério da Cultura e ao Eixo Atlântico.

A alienação da Fábrica Confiança é um dos pontos da agenda da Assembleia Municipal de Braga marcada para quinta-feira, estando já marcada uma manifestação para o início da reunião para apelar que a alienação não seja aprovada.

Anúncio

Braga

Gabriela Monteiro vai a sepultar este sábado em Braga

Funeral realiza-se em Real, Braga

em

Foto: DR

Gabriela Monteiro, mulher que perdeu a vida às mãos do companheiro na passada quarta-feira, na via pública, em Braga, vai a sepultar este sábado, em Real, concelho de Braga, pelas 17:00 horas.

A quarta mulher vítima mortal de violência doméstica deixa dois filhos e uma grande onda de consternação na cidade de Braga que se alastrou um pouco por todo o país, face ao cenário de horror em que perdeu a vida.

Em nota da agência responsável pelos serviços funerários, é indicado que o corpo da falecida ficará em câmara ardente a partir das 10:00 de sábado, a Igreja Paroquial de Real, com a missa de corpo presente a realizar-se pelas 17:00.

Gabriela foi a quarta mulher a perder a vida no distrito de Braga durante o ano de 2019, e a vigésima primeira a nível nacional.

Paulo Fernandes, autor das facadas que vitimaram Gabriela, está em prisão preventiva enquanto aguarda julgamento, depois de se ter apresentado no posto da PSP de Santa Tecla poucos minutos após ter cometido o bárbaro crime.

A morte de Gabriela, de 46 anos, e funcionária no Theatro Circo, em Braga, causou uma grande onde de pesar na cidade, que lhe prestou homenagem na noite desta quinta-feira, com mais de 500 pessoas em vigília silenciosa às portas do local onde trabalhava, em pleno centro histórico da cidade.

Continuar a ler

Braga

M1lhão saiu no distrito de Braga

Jogos Santa Casa

em

Foto: DR / Arquivo

O código vencedor do concurso 038/2019 do M1lhão, sorteado hoje, é DXS 18908, informou o Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O prémio, no valor de um milhão de euros, saiu a uma aposta registada no distrito de Braga.

Continuar a ler

Braga

Ministra anuncia 35 horas semanais para todo o SNS, menos no Hospital de Braga

Os profissionais de saúde do Hospital de Braga não serão ainda abrangidos por este alargamento enquanto estiverem em análise as diferentes situações contratuais

em

Foto: DR

A passagem do horário normal de trabalho das 40 para as 35 horas semanais para todas as classes profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) foi hoje concluída pelo Ministério da Saúde.

A medida deixa, no entanto, de fora os profissionais do Hospital de Braga.

Em comunicado, o Ministério da Saúde (MS) adianta que o período normal de trabalho de 35 horas semanais já tinha sido atribuído à generalidade dos profissionais, com exceção dos que ainda não dispunham de um acordo específico – técnicos superiores de saúde, informáticos, docentes, administradores hospitalares e capelães.

“Para cumprir este objetivo, foi apresentada uma proposta de acordo que foi hoje assinada por duas estruturas sindicais – Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) e Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), que abrange cerca de 2200 profissionais – mas não pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, que considerou imperativo incluir os profissionais do Hospital de Braga”.

Assim, esclarece o MS, os profissionais de saúde do Hospital de Braga não serão ainda abrangidos por este alargamento enquanto estiverem em análise as diferentes situações contratuais.

A gestão do Hospital de Braga transitou da esfera privada para a esfera pública em 01 de setembro.

Continuar a ler

Populares