Seguir o O MINHO

Desporto

Eleições do Vianense envoltas em polémica

em

Lista única vai a votos esta sexta-feira. Carta aberta ao presidente da mesa da AG do clube, citada na íntegra, elenca processo e fundamentos para irregularidades estatutárias do processo eleitoral.

As eleições do Sport Clube Vianense, que decorrem esta sexta-feira, têm a lista encabeçada por José Durães, sócio n.º 537, como única candidata.

“O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sport Clube Vianense, Aristides Sousa, fez saber que, dentro do prazo definido nos termos do regulamento geral interno, foi apresentada uma única lista candidata à Direcção do clube minhoto para completar o mandato do triénio 2014/2017, a qual é liderada pelo sócio José Durães da Silva, com o número de associado 537”, segundo cita o jornal Record.

Contudo, em carta aberta a que O Minho teve acesso, esse não é o entendimento do sócio César Boaventura.

 

— início de citação —

CARTA ABERTA AO EXMO. SR. PRESIDENTE DA MESA DA ASSEMBLEIA-GERAL DO SPORT CLUBE VIANENSE

CÉSAR AUGUSTO VIEIRA BOAVENTURA, sócio nº 1093 do Sport Clube Vianense inscrito em Abril de 2011 e com a cotização em dia, vem expor a V. Exa. nos termos e com os fundamentos seguintes:

1. Realizam-se amanhã, dia 28 de Agosto de 2015, eleições no clube conforme deliberação tomada em assembleia-geral e convocatória anunciada no jornal local “A Aurora do Lima”.

2. Sabem os vianenses em geral pela comunicação social local que foi apresentada uma lista de candidatura às eleições e será a única que vai a sufrágio.

3. Tomei, porém, conhecimento de que se verificam diversas irregularidades e ilegalidades relativamente aos Estatutos e Regulamento Geral Interno do clube e ao regime jurídico vigente em Portugal.

4. As situações que se enumeram deveriam ter sido apreciadas e sopesadas convenientemente pelo Presidente da Assembleia-Geral no restrito respeito pela lei instituída, que deve ser cumprida, e pelos sócios do Sport Clube Vianense, mas lamentavelmente não foram.

5. Desde logo, a única candidatura conhecida e validada por V. Exa. foi apresentada fora do prazo estipulado no nº 8 do artigo 103º do Regulamento Geral Interno/RGI do clube que estabelece expressamente que “a apresentação das listas de candidatura deverá ser feita até cinco dias antes do acto eleitoral”.

6. Não poderia V. Exa., por acto unilateral ao arrepio das citadas disposições estatutárias e das normas vigentes, fazer lei e vir posteriormente mediante “Esclarecimento” datado de 04/08/2015 mandar, como o fez, que o prazo de apresentação das listas de candidatura se transferisse para o primeiro dia útil seguinte ao prazo fixado no nº 8 do artigo 102º do Regulamento Geral Interno.

7. O seu acto de “Esclarecimento” fez com que apenas tenham decorrido 3 dias completos entre o prazo de apresentação das candidaturas e o dia do acto eleitoral, uma vez que as eleições têm início às 16h00 do dia 28 de Agosto de 2015, não se podendo contar o dia (a segunda-feira, dia 24 de Agosto de 2015) a partir do qual o prazo começa a correr nos termos do disposto no artigo 279º do Código Civil, nem se poderia contar o dia do acto pelas mesmas razões.

8. Por outro lado, as candidaturas devem ser acompanhadas do programa de acção a que se refere o disposto no número 1 do artigo 103º do Regulamento Geral Interno, de forma que os associados possam conhecer suficientemente e com alguma antecedência os objectivos a que se propõe a candidatura.

9. Porém, os associados do Sport Clube Vianense, entre os quais me incluo, não têm conhecimento da existência de tal programa, e ainda que este exista, não foi dado a conhecer aos eleitores com a antecedência reclamada pelos estatutos e pelos associados.

10. Rege o disposto no artigo 103º nº 6 do RGI que as listas de candidatura só serão consideradas desde que se apresentem completas e para todos os órgãos dos corpos directivos.

11. Apesar disso, verifica-se que na candidatura apresentada (lista A) a lista de associados apenas é composta por uma Direcção, faltando a indicação da composição dos demais órgãos directivos previstos nos artigos 3º dos Estatutos e 17º do RGI, designadamente, a Assembleia Geral, o Conselho Fiscal e o Conselho Jurisdicional.

12. Por outro lado ainda, verifica-se que na candidatura da lista A estão indicados o Sr. Nuno Miguel Mendes Ferros e o Sr. António Pereira de Brito Martins com o mesmo número de associado (o nº 1227) e na qualidade de associados-empresa, e sem identificação da empresa.

13. Esta situação é ilegal atendendo a que ofende, entre outras normas, o princípio fundamental da livre adesão consagrado no artigo 5º do RGI que estabelece expressamente que “o Sport Clube Vianense é de livre adesão para todos os cidadãos e orienta a sua acção segundo os princípios da democracia e da representatividade, com total independência …”.

14. As referidas pessoas, nas qualidades em que intervêm, não podem integrar uma lista de candidatura aos órgãos porque não preenchem os requisitos previstos nos Estatutos e no RGI do clube.

15. Nos termos do disposto no artigo 21º do RGI só podem ser eleitos para os corpos directivos os associados efectivos que reúnam cumulativamente os requisitos da maioridade, da falta de antecedentes reveladores de manifesta falta de espírito desportivo, da falta de antecedentes de desrespeito dos Estatutos e do RGI, e de não terem sido demitidos em mandatos anteriores.

16. Em nenhuma parte dos Estatutos e do RGI se permite que possam ser eleitos sócios em representação de empresas que sejam sócios do clube, nem se definem os requisitos para poderem integrar os corpos directivos.

17. Nem os Estatutos nem o RGI do clube contemplam a figura do sócio-empresa para fins eleitorais, o clube apenas disponibiliza os cartões-empresa por razões comerciais e cada empresa pode ter vários cartões consoante o número de lugares no Estádio.

18. Verifica-se ainda que a convocatória aos associados para o acto eleitoral não foi afixada na sede do clube, o que contraria flagrantemente o disposto no artigo 102º do RGI que obriga à sua afixação na sede e cumulativamente à publicação num jornal da localidade, ambos com a antecedência mínima de vinte dias relativamente à data do acto eleitoral.

19. Por conseguinte, verifica-se que a lista de candidatura que vai ser apresentada a sufrágio no acto eleitoral agendado para o dia 28 de Agosto de 2015 está afectada por diversas irregularidades insanáveis que a liquidam e ferem de morte o acto eleitoral, que presta a tornar-se ilegal.

20. Todos estes factos, entre outros que podem coexistir e não são ainda do meu conhecimento, são susceptíveis de conduzir à ilegalidade do acto eleitoral sujeito à sindicância judicial.

21. Aliás, o acto eleitoral será impugnado judicialmente por um grupo de associados na instância competente com pedidos de declaração de nulidade/anulabilidade no caso de V. Exa. persistir na realização das eleições no dia 28 de Agosto de 2015.

22. E será apresentada providência cautelar para impedir a tomada de posse dos eleitos.

23. Assim como se equaciona seriamente a apresentação de uma queixa criminal no Ministério Público para apreciação de conduta criminosa pela eventual prática de crimes públicos na actuação do Presidente da Assembleia-Geral durante o processo eleitoral.

24. O Sr. Presidente da Assembleia-Geral não tem vindo a agir em conformidade com os Estatutos e o Regulamento Geral Interno e não deu cabal cumprimento ao disposto no nº 2 do artigo 105º do RGI, uma vez que não rejeitou no prazo legal a candidatura apresentada nem supriu as irregularidades que aquela manifestamente evidencia.

25. Por último, saliento que não tenho qualquer interesse em apresentar candidatura aos corpos directivos do clube, apenas pretendo que os actos da vida do clube, como o acto eleitoral em causa seja sério, rigoroso e transparente, que dignifique o emblema, o bom-nome desta instituição de utilidade pública e defenda a honra dos associados do Sport Clube Vianense, que devem acordar para uma realidade que pode comprometer o futuro imediato da colectividade.

26. Consequentemente, apelo a V. Exa. para levar em conta e ponderar os fundamentos legais que podem comprometer o acto eleitoral designado para o dia 28 de Agosto de 2015, e reconsiderar a sua realização, de modo a possibilitar que as eleições se realizem na legalidade e com a oportunidade que reclamam, sugerindo a V. Exa. a aplicação do disposto no artigo 26º do RGI que estabelece que os corpos sociais cessantes se mantenham em funções por um período de 30 dias, durante o qual se convocará nova assembleia-geral extraordinária e se dinamizará o processo eleitoral.

Viana do Castelo, 27 de Agosto de 2015.
O ASSOCIADO Nº 1093 DO SPORT CLUBE VIANENSE,

— fim de citação —

O ato eleitoral decorre na sede do clube, sita na Rua Manuel Espregueira, entre as 16:00 horas e as 23:00 horas desta sexta-feira.

Anúncio

Desporto

Óquei de Barcelos e HC Braga apurados para os ‘quartos’ da Taça da Europa

Hóquei em Patins

em

Foto: Facebook de Óquei de Barcelos

O Óquei de Barcelos e o HC Braga conseguiram hoje o apuramento para os quartos de final da Taça da Europa em hóquei em patins, na segunda mão dos ‘oitavos’, em que o Juventude Viana foi eliminado.

Depois de uma vitória por 5-1 em casa, o Óquei foi a casa do Lleida, empatar a duas bolas, anulando a formação espanhola e passando aos ‘quartos’, onde vai jogar a primeira mão em casa frente ao Igualada.

O triunfo motiva a formação de Barcelos, uma vez que foi conseguido frente ao atual detentor do troféu, e mantém a equipa na busca de um quarto cetro desta Taça, anteriormente chamada Taça CERS.

Um quarto título, depois de 1995, 2016 e 2017, seria inédito na história da prova e permitiria desempatar dos italianos do Hockey Novara no topo do palmarés da competição.

Em busca de uma primeira vitória está o HC Braga, que foi finalista vencido em 2012, depois de vencer por 3-2 em Itália, em casa do Hockey Valdagno, superiorizando-se a uma equipa italiana que ‘arrancou’ um empate a cinco bolas na primeira mão, em Portugal.

Na próxima fase, vai defrontar o Follonica, outro adversário italiano, jogando a primeira mão em casa. Os jogos dos quartos de final estão marcados para 15 de fevereiro e 14 de março.

Após as passagens de dois dos três emblemas minhotos em prova, foi no desempate por grandes penalidades que o Juventude de Viana caiu em casa do Trissino, em Itália, e falhou a chance de passar à próxima fase.

Depois de uma vitória por 3-0 em Viana do Castelo, a formação do Alto Minho consentiu o mesmo resultado aos anfitriões no tempo regulamentar, com o prolongamento a não diferenciar as duas equipas.

No desempate por grandes penalidades, o Juventude marcou duas tentativas e chegou a estar próximo de avançar, mas o Trissino fez três golos e marcou encontro com o Dornbirn na próxima fase.

Continuar a ler

Futebol

“Veio ao de cima o grande grupo que tenho à frente”

Ricardo Soares, treinador do Moreirense

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações dos treinadores após o empate 1-1 entre Tondela e Moreirense, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Estádio João Cardoso, em Tondela:

– Ricardo Soares (treinador do Moreirense): “Temos de dividir o jogo em três fases. A primeira, que foi claramente do Tondela, tivemos a felicidade de ir para o intervalo zero a zero. O Tondela foi melhor.

Na segunda parte corrigimos os posicionamentos, melhorámos bastante, até estávamos em cima do jogo e depois surge o golo numa bola parada, não podíamos sofrer aquele golo e aí veio ao de cima o grande grupo que tenho à frente, a terceira parte.

A equipa reagiu, muito com o coração, com a vontade e a crença de conquistar o ponto. Levámos um ponto, penso que é merecido pela atitude, principalmente dos últimos 15, 20 minutos, pela atitude positiva com que fomos à procura do golo e, nesse sentido, o empate é justo.

Claramente é um ponto ganho, quer para o Tondela, quer para o Moreirense, e na I Liga é importante somar e, nesse caso, é claramente um ponto ganho e ainda por cima hoje que não fizemos um bom jogo, principalmente na primeira parte.

Queremos fazer as coisas diferentes, com um futebol de mais qualidade, e isso hoje não aconteceu, mesmo assim é um ponto positivo que nos traz confiança.

Hoje tivemos a felicidade que noutros jogos não tivemos”.

– Natxo González (treinador do Tondela): “Já não sei o que podemos fazer para ganhar. Fizemos muitas coisas bem, continua a faltar a eficácia na área rival. Outro penálti e isso acabou por nos penalizar muito e eles num único remate que fazem à baliza, marcam.

Cometemos poucos erros a nível defensivo e um erro de concentração que cometemos penalizou-nos.

Este resultado deixa-nos um pouco triste, mas eu como treinador estou orgulhoso pelo que a equipa fez.

É uma coisa estranha [os penáltis falhados]. É verdade que tento encontrar uma explicação e não encontro. Não sei, têm sido jogadores diferentes. Nos treinos entram todas na baliza e nos jogos não entram. São coisas que se passam sem uma explicação.

O momento que estamos a viver é uma coisa muito estranha, os penáltis [falhados] são sempre em casa. Não sei se há algo mais, não sei.

Estamos dentro dos números que marquei como objetivo, mas neste momento podíamos ter mais, é uma lástima”.

Continuar a ler

Futebol

Moreirense dá a volta ao marcador e empata em Tondela

17.ª jornada da Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O Tondela e o Moreirense empataram hoje 1-1, em jogo da 17.ª jornada da I Liga de futebol, com os dois golos a serem marcados na segunda parte, numa partida em que os beirões falharam um penálti.

Bruno Wilson e Nenê foram os protagonistas do jogo, com o defesa da equipa da casa a inaugurar o marcador, ao cabecear aos 55 minutos para a baliza de Mateus Pasinato e o avançado do Moreirense a encostar para concretizar uma bola cruzada por Pedro Nuno.

A primeira grande oportunidade de golo surgiu aos oito minutos, para a equipa da casa e foi desperdiçada por Pité, numa grande penalidade provocada por uma falta de Fábio Pacheco sobre Tomislav e que o avançado ‘auriverde’ rematou ao poste direito da baliza de Mateus Pasinato.

Foi uma primeira parte jogada, maioritariamente, no meio campo do Moreirense, com a equipa beirã a pressionar mais e a rematar por diversas vezes, mas sem nunca conseguir inaugurar o marcador.

O Moreirense poucas vezes conseguiu chegar ao meio campo adversário, ainda assim aos 21 minutos fez um remate perigoso que não foi concretizado, porque Cláudio Ramos fez subir ligeiramente a bola por cima da barra.

Bruno Wilson acabou por inaugurar o marcador aos 55 minutos, com um cabeceamento a um cruzamento da lateral direita, num livre marcado por Pepelu, perto da grande área do Moreirense.

Na segunda parte o jogo saiu do meio campo do Moreirense, apesar de o Tondela dominar, mesmo depois do golo de Bruno Wilson.

Depois do golo sofrido, o Moreirense subiu no terreno e acabou por chegar ao amepate aos 79, com Nenê, acabado de entrar em campo, a encostar a bola, vinda de um cruzamento de Pedro Nuno,

O empate volta a ser o resultado do Tondela em casa que, esta época, regista uma só vitória no Estádio João Cardoso, frente ao Sporting, por 1-0, na 10.ª jornada, e repete o feito da 15.ª jornada, ao empatar com o Gil Vicente (1-) e a falhar um penálti.

O Tondela e o Moreirense somam assim um ponto cada um, com a equipa da casa a ficar com 20, subindo, provisoriamente, ao nono lugar, e os visitantes, com 18, na 13.º posição.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Tondela – Moreirense, 1-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcador:

1-0, Bruno Wilson, 55 minutos.

1-1, Nenê, 79.

Equipas:

– Tondela: Cláudio Ramos, Fahd Moufi (Richard Rodrigues, 80), Bruno Wilson, Yohan Tavares, Ricardo Alves, Filipe Ferreira, Jhon Murilo, Pepelu, Pité (João Pedro, 90), Tomislav e Xavier (Jonathan Toro, 64).

(Suplentes: Babacar Niasse, Jaquité, João Pedro, Ruben Fonseca, Jonathan Toro, Richard Rodrigues e Philipe Sampaio).

Treinador: Natxo González.

– Moreirense: Mateus Pasinato, D’ Alberto, Rosic, Steven Vitória, Abdu, Luís Machado (Pato, 62), Fábio Pacheco, Pedro Nuno, Filipe Soares, Fábio Abreu (Nenê, 69) e Alex Soares (Manê, 85).

(Suplentes: Trigueira, Iago, Manê, Nenê, Ibrahima, Bilel e Pato).

Treinador: Ricardo Soares.

Árbitro: Vítor Ferreira (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Fahd Moufi, (45+1 minutos), Alex Soares (47), Fábio Pacheco (68) e Nenê (87).

Assistência: 1.681 espetadores.

Continuar a ler

Populares