Seguir o O MINHO

Alto Minho

É “urgente” resolver problema da sinistralidade rodoviária em Ponte de Lima

em

Fotografia: Inauguração de parque infantil junto à Via Foral Dona Teresa.

Mais um atropelamento na Via Foral Dona Teresa.

A Via Foral Dona Teresa, em Ponte de Lima, voltou a ser palco de mais um aparatoso acidente, esta semana, desta vez o atropelamento de uma mulher de 61 anos que sofreu ferimentos graves.

O acidente ocorreu pouco depois das 16:30 horas da passada segunda-feira, quando a mulher estava a atravessar uma passadeira naquela via. A vítima foi abalroada por um veículo ligeiro que seguia no sentido Ponte de Lima – Feitosa, tendo sofrido ferimentos graves na cabeça.

Foram muitos os populares que tentaram socorrer a vítima até à chegada dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima. Ao local foi chamada também a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Viana do Castelo e a estabilização a vítima no local do acidente demorou cerca de uma hora. A mulher foi transportada para o hospital de Braga em estado grave, sendo acompanhado no percurso pelo médico da VMER.

Os acidentes e atropelamentos têm sido frequentes nesta via. Só no mês de outubro, duas pessoas foram atropeladas, em pontos diferentes. Uma mulher foi atropelada por um camião na passadeira junto ao jardim, tendo sido projetada cerca de seis metros para debaixo do reboque de outro pesado que se encontrava estacionado. Sofreu ferimentos ligeiros. Também uma mulher foi atropelada noutra passadeira da via, num acidente que envolveu a colisão de dois veículos e provocou três feridos.

Via Foral Dona Teresa (EN 203) - Google Streetview (2014)

O vice­-presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima diz ser “urgente” resolver o problema da sinistralidade na Via Foral Dona Teresa e também em S. Gonçalo e lamenta que mais uma pessoa tenha sido atropelada.

Gaspar Martins “lamenta” mais “este acidente” e considera que “as passadeira são exatamente um contributo muito grande para que haja cada vez mais acidentes”.

“Tenho isso para mim. As passadeiras só terão segurança quando forem acompanhadas pela semaforização para chamar mais a atenção do condutor”, comentou, acrescentando que, no entanto”, “há sempre duas situações que as pessoas não prevêem”.

“O peão tem, de facto, todo o direito de passar na passadeira e fazer parar todo o movimento, porém verifica­-se também que as pessoas não têm muito cuidado ao fazer a travessia nas passadeiras. Por outro lado, acontece que muitas vezes os condutores vêm distraídos e os acidentes acontecem”, apontou o vereador com o pelouro do trânsito.

Para Gaspar Martins é possível melhorar a situação “através do sistema de semaforização” e defende ainda a colocação de cilindros fluorescentes “a balizar todas as passadeiras” para alertar os condutores.

O vice-­presidente sublinha que todas estes acidentes e atropelamentos que têm acontecido “preocupam” e, de cada vez que acontecem, a autarquia dá nota à Estradas de Portugal, “dando como uma situação que urge reparar”.

“A que mais nos preocupa até e por que mais nos temos batido não tem sido a da Via Foral, tem sido a de S. Gonçalo e veja que até agora nada foi feito. Há urgência em resolver estes problemas”, declara.

Com o novo parque do Jardim Foral Dona Teresa junto a um dos pontos críticos da via, Gaspar Martins assegura que o Município “teve o cuidado de vedar todo o espaço e deixou uma abertura no meio bastante apertada para que não se consiga sequer sair a correr”.

“E ainda temos possibilidade de reforçar, na parte de fora, uma barra para evitar que cheguem à estrada. Para já não há necessidade, se houver colocaremos”, registou.

O vice-­presidente garante que o local “está seguro” e que “os pais podem estar sossegados”, pois o parque “tem toda a segurança”.

Populares