Seguir o O MINHO

Guimarães

DST constrói empreendimento em Guimarães com 71 apartamentos eco-eficientes

Salgueiral Residences.

em

Foto: Divulgação

O dstgroup está a construir o Salgueiral Residences, um empreendimento habitacional em Guimarães, um investimento de 13 milhões de euros. Fonte do grupo empresarial adiantou que “o projeto imobiliário, da dst realestate, reforça a oferta residencial na cidade com 71 habitações, num segmento de qualidade superior e ecologicamente sustentável”.

Constituído por seis prédios, cada um com sete pisos, a empreitada conta com a intervenção de mais quatro empresas do dstgroup na sua construção, nomeadamente a construtora dst sa, dstsolar, tagregados e tconcrete.

Localizado a cinco minutos do centro histórico e das principais zonas comerciais, de saúde e de lazer, o complexo residencial oferece apartamentos de estilo minimal e contemporâneo, com tipologias entre T0 a T3, concebidos de forma a garantir a privacidade, o conforto e a segurança dos seus moradores.

Com assinatura do arquiteto Manuel Graça Dias, “é um projeto acolhedor, integrado numa zona habitacional familiar, que beneficia de um extraordinário aproveitamento da exposição solar”. O empreendimento estará equipado com um sistema solar térmico centralizado, que terá como função o aquecimento de águas sanitárias, tendo como apoio caldeiras de condensação, a gás natural, que serão também responsáveis pelo aquecimento central.

Para além dos painéis solares, que garantem mais eficiente e uma maior poupança no consumo energético, estará dotado de climatização programável, isolamento térmico e acústico de excelência e garagens com pontos de carregamento para veículos elétricos.

Para além do corpo habitacional, integra seis espaços comerciais, uma zona de uso coletivo, para festas, reuniões e convívios, e uma área de lazer reservada. Situado às portas da cidade, beneficia ainda de um espaço verde de oito mil m2 a 100 metros de distância e de uma grande proximidade às acessibilidades rodoviárias e ferroviárias de Guimarães.

O projeto é comercializado em regime de exclusividade pela ‘dipe imobiliária’, uma empresa com 23 anos de experiência no mercado imobiliário da cidade.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Guimarães

Três jovens suspeitos de furto surpreendidos pela GNR em pedreira de Guimarães

Material roubado já foi devolvido à empresa

em

Foto: DR

Três jovens foram, ontem, surpreendidos pela GNR de Guimarães depois de terem assaltado uma pedreira, em Gonça, Guimarães. Os militares recuperam e devolveram à empresa diversos equipamentos que tinham sido furtados.

Os suspeitos, de 18, 21 e 25 anos, residentes em Guimarães, terão arrombado uma porta para entrarem nas instalações da pedreira, apoderando-se de sete rebarbadoras, dois berbequins, uma máquina de corte de pedra e um carrinho de mão.

Quando foram surpreendidos pelos militares da GNR, os jovens encontravam-se nas imediações da empresa.

Os indivíduos foram constituídos arguidos e notificados a comparecer hoje nos serviços do Ministério Público, do Tribunal de Guimarães para lhes serem determinadas as medidas de coação.

Continuar a ler

Guimarães

Urgência do Hospital de Guimarães entra, hoje, em obras

3,2 milhões para investir numa requalificação há muito exigida

em

Foto: DR

3,2 milhões de euros é quanto vai custar a intervenção no serviço de Urgência do Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães. As obras arrancam, hoje, têm duração de um ano e vão decorrer de forma faseada.

A empreitada vai ampliar e dotar o espaço com melhores condições, respondendo às exigências, há muito pedidas, pelos utentes e profissionais de saúde.

Por causa das obras, o acesso à Urgência e a circulação de pessoas e de viaturas vão sofrer alterações.

O projecto prevê uma intervenção em quase dois mil metros quatros da Urgência e zonas adjacentes e foi aprovado pelo Tribunal de Contas para “permitir o melhoramento da capacidade resolutiva dos casos de urgência e emergência e, necessariamente, uma melhor adequação às reais necessidades daqueles que recorrem ao serviço de Urgência”, escreve a administração do hospital, através de comunicado.

“A obra, aguardada há vários anos, irá beneficiar de forma significativa as atuais instalações, ampliando-as em mais de mil metros quadrados, oferecendo a utentes e profissionais um serviço de Urgência moderno, mais eficiente e adequado”, lê-se nesse mesmo documento.

As obras estão adjudicadas por 3,2 milhões de euros e foram autorizadas depois de a Câmara de Guimarães e o hospital se comprometerem a pagar, cada um, 1,2 milhões. Os restantes 900 mil euros são pagos por fundos comunitários.

O hospital serve cerca de 300 mil habitantes de oito concelhos.

Continuar a ler

Guimarães

Dominado incêndio que deflagrou em fábrica de papel de Guimarães

40 homens combateram as chamas

em

Foto: DR

O incêndio que hoje deflagrou cerca das 07:00 numa fábrica de papel, na Zona Industrial de Linhares, nas Taipas, concelho de Guimarães, já se encontra dominado, segundo fonte dos Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga.

A fonte do CDOS explicou que o fogo deflagrou nas traseiras da fábrica, o que “dificultou o acesso dos bombeiros”, mas foi dado como dominado cerca das 08:20.

Fonte dos Bombeiros Voluntários das Taipas disse à Lusa que o incêndio está a ser combatido por cerca de 40 homens, auxiliados por onze viaturas dos voluntários das Taipas, Guimarães e Póvoa de Lanhoso.

As fontes disseram desconhecer se haverá ou não condições para que a fábrica possa laborar.

Continuar a ler

Populares