Seguir o O MINHO

Braga

Distrito de Braga vai ser o mais quente do país. Aviso do IPMA passa a nível ‘laranja’

Estado do tempo

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O distrito de Braga vai ser o mais quente do país durante este sábado, de acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). É, para já, o único dos 18 distritos do continente acima do nível amarelo.

Para hoje são esperadas temperaturas máximas de 39 graus para as cidades de Braga e de Famalicão, que serão as mais quentes no distrito de Braga (No Alentejo são esperadas máximas que variam entre os 35 e os 37). No Minho, seguem-se Guimarães e Vizela – com máximas de 38 -, Barcelos (37) e Fafe (36).

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

No distrito de Viana do Castelo, – sob aviso amarelo – o concelho com a máxima mais elevada é Cerveira – 38 graus -, seguindo-se Ponte de Lima, Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, com 37. As zonas litorais devem atingir máximas de 34.

De acordo com os meteorologistas Patrícia Gomes e Ricardo Tavares, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, é esperado para hoje persistência do tempo quente com céu pouco nublado ou limpo acompanhado de vento por vezes forte nas terras altas.

A temperatura da água do mar na Costa Ocidental variará entre os 15 e os 18 graus, com as ondas a virem de noroeste com um metro.

Face ao alerta amarelo e às temperaturas elevadas esperadas até final do fim de semana, o delegado de saúde dos agrupamentos de saúde Cávado I (Braga) João Manuel Cruz elaborou alguma informação, à qual O MINHO se associa, de forma a divulgar os riscos a evitar durante este período.

Grupos de risco

•Crianças nos primeiros anos de vida;

•Pessoas idosas;

•Portadores de doenças crónicas;

•Pessoas obesas;

•Pessoas acamadas;

•Pessoas com problemas de saúde mental;

•Trabalhadores expostos ao sol e/ou ao calor;

•Pessoas com más condições de habitabilidade. 

Efeitos graves do calor:

•Desidratação

•Agravamento de doenças crónicas

•Esgotamento por calor:

Alteração do metabolismo que contribui para perda excessiva de água.

Sintomas: sede intensa; grande sudação; palidez; cãibras musculares; cansaço e fraqueza; dor de cabeça, náuseas, vómitos e desmaio.

O que fazer: Ligar para o 112, seguindo os procedimentos até sua chegada. Dar de beber sumos de fruta natural, sem açúcar, se estiver consciente.

•Golpes de calor:

Situação grave que pode levar a deficiências cerebrais irreversíveis ou até mesmo morte. Sintomas: febre alta; pele vermelha, quente seca e sem produção de suor; pulso rápido e forte; dor de cabeça; náuseas, tonturas, confusão e perda parcial ou total de consciência.

O que fazer: Ligar para o 112, seguindo os procedimentos até sua chegada. Arejar o indivíduo agitando o ar vigorosamente. Não dar líquidos, se o indivíduo não estiver consciente.

•Cãibras por calor:

Pode resultar de períodos de exercício físico intenso expostos ao calor extremo. São especialmente perigosas em pessoas com problemas cardíacos ou dietas pobres em sal. Sintomas: Espasmos musculares dolorosos do abdómen e nas pernas e braços.

O que fazer: Parar o exercício, se for o caso, e descansar num local fresco e calmo. Beber sumos de fruta natural, sem adição de açúcar. Ligar para a Linha Saúde 24: 808 24 24 24, se cãibras persistirem.

Medidas Recomendadas

– Proteja-se do sol e do calor:

– Evite a exposição directa ao sol, especialmente entre as 11 e as 16horas.

– Sempre que se expuser ao sol use protector solar de índice de protecção elevado (igual ou superior a 30), renovando-o com frequência.

– Sempre que andar ao ar livre, use roupas que evitem a exposição directa da pele ao sol, particularmente nas horas de maior incidência solar.

– Use chapéu, com abas largas e óculos que ofereçam protecção contra radiação UVA e UVB.

– A roupa deve ser larga, leve e fresca, de preferência de algodão.

–Sempre que possível, diminua os esforços físicos e repouse frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados.

• Beba e faça uma alimentação equilibrada:

– Aumentar a ingestão de água, sumos de fruta natural sem açúcar adicionado, mesmo sem ter sede, principalmente em recém-nascidos, crianças, idosos ou doentes crónicos.

– Evitar bebidas alcoólicas e bebidas com elevados teores de açúcar.

– Faça refeições leves e frescas.

– Indivíduos com doenças crónicas, dietas com pouco sal ou com restrição de líquidos, devem aconselhar-se no seu médico, ou contactar a Linha Saúde 24: 808 24 24 24.

• Refresque-se:

–Permaneça 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco, ou com ar condicionado. Se não for possível em sua casa visite centros comerciais, cinemas, museus ou outros locais com ar condicionado.

–No período de maior calor, tome um duche com água tépida ou fria. No entanto, evite mudanças bruscas de temperatura.

• Em casa:

– Evite que o calor entre, corra as persianas, ou portadas e mantenha o ar circulante dentro de casa.

– Abra as janelas durante a noite.

– Use menos roupa na cama, sobretudo, nos bebés e doentes acamados.

• Em viagem:

– Se o carro não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas.

– Leve água e sumos de fruta naturais sem adição de açúcar.

– Sempre que possível viaje de noite.

– Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas.

Populares