Seguir o O MINHO

Alto Minho

Deputada de Arcos de Valdevez começa a ser julgada pelas “presenças-fantasma” no Parlamento

“Presenças-fantasma”

em

José Silvano e Emília Cerqueira. Foto: DR

A deputada social-democrata da Assembleia da República, Emília Cerqueira, natural de Arcos de Valdevez, vai começar a ser julgada no próximo dia 26 de novembro, em Lisboa, pelo crime de falsidade informática, no processo que envolve as presenças fantasmas de José Silvano, secretário-geral do PSD.

De acordo com a revista Sábado, ambos vão iniciar julgamento no Juízo 14 da Instância Local Criminal de Lisboa, um dia antes da eleições do PSD, que opõe Rui Rio e Paulo Rangel.

De acordo com a procuradora Andreia Marques, que lidera o processo, tanto Emília Cerqueira como José Silvano mostraram “desprezo” pelas funções de deputado ao alinharem neste suposto esquema, que ambos os arguidos desmentem.

O secretário-geral afirmou, em julho de 2020, que apenas pediu à colega para aceder ao cartão, mas nunca para marcar presença, uma vez que ele não se encontrava presente para aquele debate. Apesar disso, acabou acusado.

Segundo o Ministério Público, a deputada terá introduzido as credenciais de acesso se Silvano no sistema informático do Parlamento em dois dias do mês de outubro de 2018, sabendo que o mesmo não estava presente. O sistema contabilizou duas “presenças fantasma”, uma no dia 18 e outra no dia 24.

Populares