Seguir o O MINHO

Barcelos

Cinco estudantes de Barcelos distinguidos pela Sociedade Portuguesa de Física

Inês Oliveira, Eva Rosmaninho, Diogo Ferreira da Cruz, Luana Brito e Joana Cardoso

em

Foto: Divulgação

Cinco alunos do Colégio La Salle, em Barcelos, receberam ontem formalmente a menção honrosa na décima edição do Projeto MEDEA, uma iniciativa promovida pela Sociedade Portuguesa de Física e pela REN – Redes Energéticas Nacionais, destinada a promover o conhecimento da Física junto dos jovens portugueses e da sociedade em geral. Os premiados tiveram a oportunidade de apresentar o trabalho à comunidade escolar, às suas famílias e amigos presentes.

A cerimónia decorreu no Colégio La Salle e contou com a presença da vice-presidente do Município de Barcelos, Armandina Saleiro, do presidente da Junta de Freguesia de Barcelinhos, José Peixoto e de representantes da Sociedade Portuguesa de Física e da REN.

Com a coordenação do professor José Roque, os alunos Inês Oliveira, Eva Rosmaninho, Diogo Ferreira da Cruz, Luana Brito e Joana Cardoso, a frequentar o 10.º ano no Colégio La Salle, realizaram um trabalho científico com o objetivo de medir as radiações eletromagnéticas emitidas por aparelhos utilizados no quotidiano e as suas implicações para a saúde.

Durante a pesquisa da equipa, denominada de Magnels, foram efetuadas medições em aparelhos do dia a dia, como computadores portáteis e máquinas de lavar, e junto a linhas de transporte de energia. Segundo o portal online desta equipa de alunos o trabalho permitiu concluir que os campos eletromagnéticos estão no intervalo permitido por lei, isto é, não ultrapassam os limites definidos pelas ICNIRP – Comissão Internacional para a Proteção das Radiações Não Ionizantes.

Na décima edição do MEDEA, foi atribuído o primeiro prémio à equipa Novelãos Team, da Escola Básica e Secundária da Povoação, nos Açores, e uma outra menção honrosa à equipa do Agrupamento de Escolas de Póvoa de Santa Iria.

Sobre o MEDEA

Instituído em 2008, o MEDEA é dirigido aos alunos do 10º ao 12º ano dos ensinos secundário e profissional. Permite a aplicação prática da formação ministrada nas instituições de ensino, aliando o conhecimento científico à vida quotidiana dos alunos através de experiências realizadas pelos próprios, dentro e fora das salas de aula.

Os participantes elaboram um projeto científico baseado em medições de campos elétricos e magnéticos de muito baixa frequência, 0-300 Hz, no meio ambiente, em particular, na sua escola, em casa e na vizinhança de linhas de transporte de energia elétrica; e a procurar informação cientificamente credível sobre os eventuais efeitos destes campos na saúde humana. As escolas participantes recebem um medidor de campo elétrico e magnético que utilizam no decorrer do projeto. Cada equipa cria então uma página internet dedicada em exclusivo ao MEDEA, na qual apresenta todos os resultados obtidos, pesquisas efetuadas e outras informações relevantes ao projeto. As equipas com os melhores trabalhos são premiadas.

Populares