Seguir o O MINHO

País

CDS exige que Governo suspenda imediatamente recolha dos manuais escolares

Política

em

Francisco Rodrigues dos Santos. Foto: bomdia.eu / DR

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, exigiu hoje que o Governo suspenda imediatamente a recolha dos manuais escolares e aguarde a votação final da proposta aprovada na terça-feira no parlamento e que suspendeu essa mesma devolução.


“O que agora verificamos, pese embora esta proposta tenha sido aprovada em especialidade, (…) é uma circular interna a dizer que as famílias continuam a ser obrigadas à devolução desses mesmos materiais escolares”, apontou Francisco Rodrigues dos Santos.

O dirigente do CDS-PP falava à margem da visita a uma pedreira em Vila Pouca de Aguiar, no distrito de Vila Real, e exigiu ao ministro da Educação [Tiago Brandão Rodrigues] que suspenda “imediatamente” essa mesma instrução.

O parlamento aprovou na terça-feira a proposta do CDS-PP que suspende a devolução dos manuais escolares entregues aos alunos para o ano letivo de 2019-2020, numa votação que apenas teve os votos contra do PS.

“Fica suspensa a obrigatoriedade de devolução dos manuais escolares gratuitos entregues no ano letivo de 2019-2020, a fim de serem garantidas as condições para a recuperação das aprendizagens dos alunos, a ter lugar no início do ano letivo de 2020-2021”, refere a proposta.

A votação final do diploma no Parlamento irá decorrer na sexta-feira.

Para Francisco Rodrigues dos Santos, o Governo deve “aguardar por sexta-feira onde será votado o diploma em votação final global para saber qual será a decisão do Parlamento e depois acatá-la de acordo com as elementares regras da democracia que existem em Portugal”.

“Porque queremos apressar e driblar a vontade dos deputados e que garantias são dadas às famílias que esses manuais lhes são devolvidos?”, questionou.

O líder do CDS-PP apelidou a situação de “uma trapalhada” que “prova que o Governo PS é muito mais competente a tirar às famílias do que a dar”.

“Parece-me que o Governo PS e a administração do Estado controlada pelo PS lidam mal com as decisões do Parlamento quando não concordam com elas e querem fintar a soberania dos representantes do povo, que são os deputados”, sublinhou.

Francisco Rodrigues dos Santos lembrou ainda que “foi o próprio ministro da Educação que disse que no próximo ano letivo era necessário recuperar as aprendizagens perdidas no final deste ano escolar”.

E acrescentou que “ao contrário do que o CDS defendeu não foi atribuído um vale tecnológico a muitas famílias carenciadas que precisavam de ter os equipamentos necessários para ter um ensino em casa”.

Anúncio

País

Alfa/Acidente: Feridos mais graves mantêm prognóstico reservado

Em Soure

em

Foto: DR / Arquivo

O estado de saúde de dois dos três feridos do acidente de comboio em Soure que continuam internados nos Hospitais da Universidade de Coimbra mantém-se com prognóstico reservado, disse à agência Lusa fonte hospitalar.

Segundo o gabinete de relações públicas do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), o maquinista do Alfa Pendular que, na sexta-feira, chocou com uma máquina que circulava na Linha do Norte é o ferido mais grave, encontrando-se internado na Unidade de Medicina Intensiva.

Embora não corra risco de vida, a vítima “mantém-se estável, do ponto de vista hemodinâmico ventilatório, e mantém prognóstico reservado”.

Os outros feridos, duas mulheres, estão internados na Unidade de Cuidados Cirúrgicos Intermédios (UCCI), de acordo com o gabinete de relações públicas do CHUC.

“Uma das pessoas mantém-se estável do ponto de vista analítico e hemodinâmico, mas com necessidade de repetir exames de imagem para orientar os tratamentos a seguir. Também tem prognóstico reservado”, disse.

A outra doente “mantém-se estável em vigilância e com bom prognóstico”.

O descarrilamento do comboio Alfa Pendular, no concelho de Soure, distrito de Coimbra, com 212 passageiros, provocou na sexta-feira dois mortos, oito feridos graves e 36 feridos ligeiros.

Dos 44 feridos, quatro tiveram alta no local, 28 foram transportados para o CHUC, incluindo três crianças, e 12 foram assistidos no Hospital da Figueira da Foz.

Quase todos os feridos já tiveram alta hospitalar, à exceção dos três que permanecem internados em Coimbra.

O comboio seguia no sentido sul-norte com destino a Braga e o descarrilamento ocorreu após o embate entre o Alfa Pendular e uma máquina de trabalho, perto da vila de Soure, junto à localidade de Matas.

Segundo uma nota informativa do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF), a que a agência Lusa teve acesso, o veículo de conservação de catenária, no qual seguiam duas pessoas – as duas vítimas mortais -, passou um sinal vermelho e entrou na Linha do Norte, tendo sido abalroado pelo comboio Alfa Pendular.

Entretanto, a circulação ferroviária nas duas vias na Linha do Norte entre Pombal e Alfarelos, interrompida desde sexta-feira devido a um acidente, foi restabelecida hoje, com limitações de velocidade, anunciou a Infraestruturas de Portugal.

Continuar a ler

País

Quase metade dos alojamentos turísticos encerrados ou sem hóspedes em junho

Segundo o INE

em

Foto: DR / Arquivo

Quase metade (45,2%) dos estabelecimentos de alojamento turístico terão estado encerrados ou não registaram movimento de hóspedes em junho, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE).

“De acordo com os resultados de um questionário específico adicional que o INE promoveu durante os meses de junho e julho, 62,6% dos estabelecimentos de alojamento turístico respondentes (representando 78,6% da capacidade de oferta) assinalaram que a pandemia covid-19 motivou o cancelamento de reservas agendadas para os meses de junho a outubro de 2020, maioritariamente dos mercados nacional e espanhol”, salienta.

A maioria dos estabelecimentos que previam estar em atividade entre junho e outubro contavam registar “taxas de ocupação inferiores a 50% em cada um desses meses”.

De acordo com o INE, mais de metade (57%) dos estabelecimentos turísticos não prevê alterar os preços praticados face ao ano anterior, enquanto cerca de um terço (34,9%) admite vir a reduzir os preços, “encontrando-se maioritariamente localizados na Área Metropolitana de Lisboa e no Algarve (58,8% e 54,5% dos estabelecimentos, respetivamente)”.

O INE colocou aos estabelecimentos de alojamento turístico novas questões visando avaliar o impacto da atual pandemia covid-19 na sua atividade, nomeadamente quanto às reservas e cancelamentos no período de junho a outubro de 2020, por principais mercados, expetativas sobre qual a ocupação para estes meses, política de preços e quais as medidas adotadas com possível impacto na redução da capacidade oferecida pelos estabelecimentos, tendo obtido cerca de 3.900 respostas válidas.

Continuar a ler

País

Dívida pública desceu em junho para 259,8 mil milhões face ao mês anterior

Segundo o Banco de Portugal

em

Foto: DR / Arquivo

A dívida pública fixou-se em 259,8 mil milhões de euros em junho, menos 4,6 mil milhões de euros do que em maio e mais 8.317 milhões de euros face a junho de 2019, segundo o BdP.

De acordo com os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal (BdP), para a redução da dívida pública, na ótica de Maastricht (a que conta para Bruxelas), face a maio “contribuíram essencialmente as amortizações de títulos [de dívida pública] no valor de 4,4 mil milhões de euros”.

Já os ativos em depósitos das administrações públicas desceram 8,2 mil milhões de euros, pelo que a dívida pública líquida de depósitos aumentou 3,6 mil milhões de euros em junho, em relação ao mês anterior, para 242,8 mil milhões de euros.

Comparando com o mesmo mês de 2019, a dívida pública aumentou 8.317 milhões de euros.

Continuar a ler

Populares