Seguir o O MINHO

Futebol

Câmara de Guimarães considera que a Liga das Nações “correu muito bem”

Cidade berço recebeu dois jogos

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, afirmou hoje que a organização da Liga das Nações de futebol na cidade foi um sucesso, apesar dos constrangimentos na rotina diária da população.

“A Liga das Nações correu muito bem. Todos os vimaranenses estão de parabéns, bem como o Vitória [de Guimarães] e a Câmara. A UEFA aceitou este acordo para que tivéssemos a Liga das Nações. É um evento de notoriedade mundial e que obviamente afirma a cidade”, disse, após a reunião quinzenal do executivo municipal.

Anfitriã do torneio em conjunto com o Porto, a cidade minhota recebeu a meia-final em que a seleção da Holanda derrotou a Inglaterra (3-1, após prolongamento), no dia 06 de junho, e o jogo em que os ingleses alcançaram o terceiro lugar, frente à Suíça (6-5, após penáltis), com um total de 41.453 espetadores no Estádio D. Afonso Henriques.

Foto: Divulgação / CM Guimarães (Arquivo)

O autarca do PS frisou ainda que o acolhimento de adeptos estrangeiros, apesar dos condicionalismos impostos ao quotidiano da população, e a presença televisiva a nível mundial em Guimarães podem impulsionar o turismo na cidade “a médio e longo prazo”.

Questionado ainda sobre os relatos de adeptos ingleses a queixarem-se do transporte ferroviário entre o Porto e Guimarães, Domingos Bragança observou que, em deslocações de milhares de adeptos, há sempre “quem não respeite os momentos de espera”, apesar de ter reconhecido que “há sempre fatores que podem não correr tão bem”.

Um dos vereadores da oposição, André Coelho Lima, elogiou a Câmara pelo trabalho realizado, mas, sobretudo o Vitória, pela “pujança” que tem na cidade, e a sua direção, ainda presidida por Júlio Mendes, pelo esforço desenvolvido junto da FPF para acolher a primeira edição da fase final da Liga das Nações, vencida por Portugal.

Anúncio

Futebol

Vitória vende Tyler Boyd aos turcos do Besiktas por 2,4 milhões

Valor pode aumentar, dependendo de certos objetivos, e clube fica com 20% do passe

em

Foto: Divulgação

O extremo Tyler Boyd deixou o Vitória SC, da I Liga portuguesa de futebol, e reforçou o Besiktas, da Turquia, num negócio realizado por 2,4 milhões de euros, confirmou hoje o emblema vimaranense no sítio oficial.

O clube minhoto acrescentou, na mesma nota, que a transferência pode ainda incluir “verbas dependentes do cumprimento de objetivos individuais e coletivos” e que 20% dos direitos económicos do jogador de 24 anos estão ainda na sua posse.

Transferido numa fase em que só tinha contrato com os vitorianos por mais um ano, Tyler Boyd assinou pelo terceiro classificado da mais recente edição da Liga turca e vai prosseguir a carreira num país que já conhece – esteve emprestado ao Ankaragucu, na segunda metade da época passada, e marcou seis golos em 14 jogos.

O extremo nem sequer integrou a pré-época vitoriana, depois de ter ajudado a sua seleção, os Estados Unidos, a chegar à final da Gold Cup da CONCACAF – marcou dois golos em quatro jogos na prova, que decorreu entre 16 de junho e 08 de julho, conquistada pelo México.

Tyler Boyd chegou a Guimarães no início da época 2015/16, oriundo do Wellington Pheonix, da Nova Zelândia (o seu país de origem), e estreou-se na I Liga nessa primeira temporada, mas, até ao final da temporada 2016/17, jogou sobretudo pela equipa B, do segundo escalão – marcou 13 golos em 73 jogos.

Após ter sobressaído no Tondela, versão 2017/18, com cinco golos em 29 jogos, o ala regressou ao Vitória na época seguinte e até a começou como titular, mas perdeu espaço e acabou cedido ao Ankaragucu em janeiro de 2019, depois de ter apontado um golo em 13 jogos.

Continuar a ler

Futebol

As principais mudanças nas leis de jogo para a nova época

Substituições e cartões para o banco de suplentes entre as mudanças na arbitragem

em

Foto: Ilustrativa / Arquivo

O Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) explicou hoje quais as principais mudanças nas leis de jogo para a época 2019/2020, entre as quais estão também algumas clarificações sobre os lances de mão na bola.

Numa ação de formação promovida para jornalistas e comentadores desportivos dos órgãos de comunicação social, na Cidade do Futebol, em Oeiras, João Ferreira, vice-presidente do CA, acompanhado dos árbitros internacionais Tiago Martins e Hugo Miguel, deram conta das principais alterações às leis de jogo para a época que se inicia em 04 de agosto, com a realização da Supertaça Cândido de Oliveira, entre Benfica e Sporting, no Estádio Algarve.

As alterações definidas pelo International Board (IFAB) foram explicadas pelos responsáveis lusos, nomeadamente a da obrigatoriedade de os jogadores passarem a ter de sair de campo, aquando de uma substituição, pela linha mais próxima, ficando assim para trás a necessidade de se dirigirem até à linha de meio-campo, junto aos bancos de suplentes.

Uma alteração que, segundo João Ferreira, “procura aumentar o tempo útil de jogo” e evitar “perdas de tempo propositadas”.

Outra mudança para a época 2019/20 diz respeito às sanções disciplinares dos elementos presentes no banco de suplentes.

Se até esta data a única ‘ferramenta’ ao dispor do árbitro era a ordem de expulsão, a partir de agora o juiz pode identificar o elemento presente no banco de suplentes para o advertir, mostrar cartão amarelo ou vermelho, consoante a gravidade da infração. Refira-se que, em caso de não ser possível identificar o elemento que infringiu a lei, será o treinador principal a assumir a responsabilidade e será ele o alvo da correspondente ação disciplinar.

Por fim, entre as várias mudanças apresentadas, destaque para o esclarecimento nos lances de mão na bola.

Mantém-se na lei que há infração quando o jogar tocar “deliberadamente” na bola com a mão, mas que só é considerada uma ação deliberada quando a colocação do braço aumenta a volumetria do jogador ou a bola tocar no braço quando este está acima do nível dos ombros.

Segundo João Ferreira, lances em que o jogador tem os braços ao lado do corpo, “numa posição natural”, não devem ser sancionados, assim como não deve ser assinalada qualquer falta quando a intenção do jogador é jogar a bola com o pé e esta acaba por ressaltar para o braço.

A nova lei faz também uma distinção entre defesas e avançados no que a esta questão diz respeito, uma vez que num lance em que a bola toque no braço de um atacante e daí resulte um golo imediatamente a seguir, este deverá ser anulado, mesmo que o toque tenha sido involuntário, como no caso de um ressalto.

A mesma regra aplica-se no caso de o toque na mão, mesmo que involuntário por parte do atacante, crie de imediato um lance de golo ou situação de perigo, situação na qual o árbitro deverá também assinalar infração.

Já no caso de um defesa, caso esta toque no seu braço involuntariamente e se encaminhe para o fundo da baliza, o golo deverá ser validado.

Por último, a nova lei clarifica também a intervenção involuntária do próprio árbitro no jogo, que sempre que toque na bola e isso altere o sentido do jogo deve parar a partida e dar a bola à equipa que estava na sua posse, evitando assim situações em que a equipa adversária recupera a bola fruto de uma situação em que nada fez para que tal acontecesse.

Continuar a ler

Futebol

Portugal estreia-se com vitória sobre Itália no Europeu de sub-19

EURO2019

em

Foto: Facebook de Seleções de Portugal

Portugal, detentor do troféu, venceu, no domingo, a Itália, por 3-0, em jogo da primeira jornada do Grupo A do Europeu de sub-19 de futebol, que se está a disputar na Arménia.

Gonçalo Cardoso (28 minutos), Gonçalo Ramos (46) e Félix Correia (51) marcaram os golos da ‘equipa das quinas’ em Erevan.

Na quarta-feira, na segunda jornada do Grupo A, Portugal vai defrontar a Espanha, que hoje venceu a anfitriã Arménia, por 4-1.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares