Seguir o O MINHO

Região

Câmara de Braga paga 200 mil euros a Arquidiocese por terrenos do Bairro do Picoto

Câmara e Arquidiocese chegaram “a acordo”

em

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO (Arquivo)

A Câmara de Braga vai pagar à Arquidiocese 200 mil euros para ter “posse em pleno” do Bairro do Picoto, construído em terrenos que pertenciam à igreja e nos quais foi edificado aquele aglomerado populacional pela autarquia.

Na conferência de imprensa no final da reunião do executivo de hoje, o presidente da autarquia, Ricardo Rio, anunciou que a câmara e a Arquidiocese tinham “chegado a acordo” sobre o Bairro do Picoto, passando os terrenos nos quais foi edificado o Bairro do Picoto para a autarquia, possibilitando a requalificação do local com recursos a fundos comunitários.

O Bairro do Picoto foi construído em 1998, em terrenos pertencentes à Arquidiocese de Braga, representando um investimento camarário de 1,9 milhões de euros para 50 fogos habitacionais.

“A câmara tinha construído, há vários anos, um bairro social em terrenos que não lhe pertenciam. Esse projeto deu origem a uma proposta de permuta com a arquidiocese, proprietária dos terrenos, que passaria por a câmara receber o terreno onde está implementado o bairro e entregar o terreno onde existia um antigo campo de futebol”, explicou o autarca.

“Estranhamente, depois a própria câmara construiu uns acessos rodoviários no terreno que tinha ficado de entregar nessa mesma permuta”, considerou Ricardo Rio.

O autarca anunciou, assim, ter “uma feliz novidade para poder dar” aos bracarenses: “Devo hoje dizer que graças ao empenho do senhor arcebispos Jorge Ortiga e do advogado da arquidiocese foi possível, finalmente, chegar a um acordo pelos valores propostos recentemente pela câmara municipal, que rondam os 200 mil euros e que serão liquidados à arquidiocese muito brevemente para podermos tomar posse do bairro em pleno e assim avançarmos com a desejável requalificação desse mesmo bairro”, anunciou.

Rio explicou ainda que as negociações com a arquidiocese decorriam desde o ano em que foi eleito a primeira vez como presidente da autarquia.

“Desde 2013 até à data tivemos vários contactos com a arquidiocese de Braga para deslindar esta situação e para podermos chegar a uma solução que nos permitisse ter propriedade plena do bairro do Picoto, assim viabilizando uma intervenção de requalificação e de candidatura a fundos comunitários”, disse.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Taxistas vão usar “roupa inteligente” made in Braga

Kit facultativo para taxistas faz parte do projeto Izzi Move, ‘app’ desenhada pela Antral para se modernizar e dar resposta a plataformas como a Uber

em

Foto: Facebook de Izzi Move

A Associação Nacional de Transporte Rodoviário em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) apresentou esta terça-feira, em Lisboa, uma aplicação (app) de mobilidade, em que os taxistas vão utilizar uma “roupa inteligente” produzida em Braga, pela empresa Latino, com sede no Parque Industrial de Adaúfe.

A app Izzi Move foi lançada para os taxistas concorrerem diretamente com plataformas como MyTaxi, Uber, Bolt ou Kapten, e vai ter âmbito nacional.

Além de utilidades como filtro de viaturas, locais de referência, diferentes meios de pagamento, estimativa de custo e tempo real, a aplicação sugere aos taxistas uma roupa facultativa, em que faz parte um fato, blusão, parka, camisa, colete, gravata e sapatos.

Foto: Divulgação

O kit, produzido pela Latino, de Braga, pode fornecer informações sobre a localização da pessoa e, por exemplo, o ritmo cardíaco, a temperatura exterior do corpo e até a transpiração.

Imagem: Google Maps

Fundada em 1986, a Latino Group é uma empresa têxtil portuguesa, originalmente especializada na produção de uniformes e equipamentos tácticos para as forças militarizadas, segundo se apresenta no seu site na Internet. Com a aquisição de conhecimentos técnicos avançados sobre a produção têxtil, a empresa, lê-se em latinogroup.net, depressa avançou para outras áreas como o vestuário técnico-profissional.

Continuar a ler

Região

Vila Galé pensa abrir novo hotel no Minho para tirar partido do crescimento do vinho verde

Grupo inaugurou nova unidade no Douro

em

Foto: Divulgação

Na sequência da inauguração do Vila Galé Vineyards, na centenária Quinta do Val Moreira, no coração do Douro (na imagem), o grupo hoteleiro estuda a possibilidade de ampliar os seus negócios no Minho.

Segundo o Jornal de Negócios, o grupo pretende tirar partido do potencial crescente do vinho verde, e pode replicar o modelo do hotel inaugurado no Douro, que terá produção do vinho típico daquela região.

O grupo criou a empresa X Vinus, em parceria com António Parente, dono da SP Televisão, a unidade de agroturismo com um investimento inicial de 8 milhões de euros para a primeira fase do Vila Galé Douro Vineyards, com sete quartos e adega. O projeto espera pelo licenciamento da segunda fase para a construção de mais 42 quartos e mais 5 milhões de euros de investimento.

Com mais de 30 unidades em Portugal e no Brasil, o grupo Vila Galé abriu o seu primeiro hotel no Minho no ano passado, em Braga, nas instalações do antigo hospital.

Continuar a ler

Região

A28 cortada pela segunda vez devido a acidente

Entre a Póvoa de Varzim e a Estela

em

Acidente de manhã (à esquerda), filas à tarde (à direita). Fotos: Facebook

Um acidente de viação ao final da tarde cortou pela segunda vez a A28 no sentido sul-norte, depois de o despiste de um camião ter interrompido o trânsito naquela autoestrada durante quase dez horas.

O segundo acidente ocorreu entre a Póvoa de Varzim e a Estela, no sentido Porto/Viana do Castelo, poucos quilómetros acima do local onde o camião se despistou, disse à Lusa fonte da GNR.

A colisão de três veículos, segundo a mesma fonte, ocorreu cerca das 18:00, tendo provocado três feridos ligeiros.

Segundo a fonte da Guarda, o facto de dois dos veículos sinistrados terem ficado atravessados na via causou “filas de vários quilómetros” entre a Póvoa de Varzim e a Estela.

A posterior libertação da faixa esquerda permitiu o escoamento do trânsito, sendo convicção da Guarda que a situação esteja “resolvido até às 20:00”, com a “reabertura das vias central e da direita” à circulação.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Patrocinado

Reportagens da Semana

Populares