Seguir o O MINHO

Futebol

Braga vence dérbi com três expulsões em Guimarães

I Liga

em

Um golo de Esgaio permitiu hoje ao SC Braga vencer o ‘clássico’ com o Vitória SC, por 1-0, num jogo ainda marcado por expulsões, relativo à quinta jornada da I Liga portuguesa de futebol.


O primeiro golo do lateral direito no campeonato, aos 28 minutos, materializou a clara superioridade dos pupilos de Carlos Carvalhal no primeiro tempo, antes de uma segunda metade mais equilibrada, com menos qualidade e com uma confusão entre jogadores que ditou as expulsões dos bracarenses David Carmo e Fransérgio e do vimaranense Jorge Fernandes.

Com o quinto triunfo nas últimas seis épocas em Guimarães e o terceiro seguido neste campeonato, o Braga ascendeu ao quarto lugar, com nove pontos, tendo ultrapassado a formação de Guimarães, sétima, com sete pontos.

Mais precisa no passe, a formação treinada por Carlos Carvalhal chegou regularmente à área vitoriana durante a primeira parte, mas nem sempre com perigo, aproximando-se do golo pela primeira vez ao minuto 15, quando Zié Ouattara impediu o cabeceamento de Paulinho para o fundo das redes, após cruzamento de Galeno.

O Vitória, que entrou em campo com o mesmo ‘onze’ que derrotou o Boavista (1-0), na jornada anterior, mostrou-se lento e pouco criativo na construção ofensiva e só a espaços chegou ao último terço bracarense, com Quaresma, pouco inspirado, a obrigar Matheus a estar atento, num livre lateral, aos 19 minutos.

O Braga continuou a impor muita velocidade no jogo, colocou o guardião Bruno Varela à prova, num remate de Paulinho, aos 24 minutos, e o golo, que se adivinhava, surgiu quatro minutos depois.

Após cruzamento de Galeno na esquerda, a bola sobrou para Esgaio, que, com tempo e espaço, atirou cruzado, com a bola a tabelar ainda em Mikel Agu, antes de tocar as redes.

Os anfitriões esboçaram uma reação e quase empataram num desvio de Bruno Duarte ao lado, ao minuto 34, mas a equipa ‘arsenalista’ também esteve perto do segundo golo antes do intervalo, aos 42, quando um remate de Galeno sobrevoou a trave por centímetros.

Incapaz de manter o ritmo apresentado nos 45 primeiros minutos, o conjunto bracarense só acelerou a espaços na segunda parte, mantendo a presença na área vitoriana quando o fazia e criando perigo em remates de Iuri Medeiros e de Galeno, este a milímetros do poste.

O Vitória aproveitou o maior espaço a meio-campo para progredir mais vezes em direção à área contrária, mas fê-lo várias vezes sem critério, com muitos erros no último passe ou na hora de decidir o remate e só ameaçou o golo por Quaresma, aos 64 minutos, num lance em que o extremo estava bem enquadrado com a baliza.

A qualidade da partida foi decaindo e as paragens aumentando até ao momento que ‘manchou’ o desafio: na sequência de uma entrada violenta de David Carmo sobre Marcus Edwards, que motivou o vermelho direto ao central bracarense, gerou-se uma confusão entre quase todos os jogadores de ambas as equipas.

Na sequência dos desacatados, o vitoriano Jorge Fernandes e o ‘arsenalista’ Fransérgio foram expulsos, por agressão.

Até ao apito final do árbitro Fábio Veríssimo, a partida desenrolou-se de forma atabalhoada, com os anfitriões a tentarem chegar ao golo com ‘balões’ para a área contrária e os bracarenses, seguros na retaguarda, a desperdiçarem a melhor ocasião dos descontos, quando Schettine, isolado, atirou para defesa de Bruno Varela.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória SC – SC Braga, 0-1.

Ao intervalo: 0-1.

Marcador:

0-1, Esgaio, 28 minutos.

Equipas:

– Vitória SC: Bruno Varela, Zié Ouattara, Jorge Fernandes, Suliman, Sílvio (Noah Holm, 86), Mikel Agu, André André (Dénis Poha, 72), Rochinha (Miguel Luís, 87), Marcus Edwards, Quaresma e Bruno Duarte.

(Suplentes: Matous Trmal, Jonas Carls, Pepelu, Dénis Poha, Miguel Luís, André Almeida, Jacob Maddox, Abou Ouattara e Noah Holm).

Treinador: João Henriques.

– SC Braga: Matheus, Esgaio, David Carmo, Bruno Viana, Sequeira, Castro (Al Musrati, 74), Fransérgio, Iuri Medeiros, Galeno (Tormena, 87), Ricardo Horta (João Novais, 88) e Paulinho (Schettine, 74).

(Suplentes: Tiago Sá, Tormena, Raúl Silva, Moura, Al Musrati, João Novais, André Horta, Gaitán, Abel Ruiz e Schettine).

Treinador: Carlos Carvalhal.

Árbitro: Fábio Veríssimo (Associação de Futebol de Lisboa).

Ação disciplinar: cartão amarelo para André André (26), Paulinho (56), Castro (67), Rochinha (73) e Suliman (83). Cartão vermelho direto para David Carmo (82), Jorge Fernandes (83) e Fransérgio (85).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 22h42)

Anúncio

Futebol

Taça de Portugal: FC Porto arranca defesa do troféu no Barreiro, Benfica joga em Paredes

Taça de Portugal

em

Foto: DR

O FC Porto inicia hoje a defesa da Taça de Portugal de futebol com uma deslocação ao Barreiro para defrontar o Fabril, do Campeonato de Portugal, num dia em que o Benfica, recordista da prova, também entra em campo.

O encontro dos ‘dragões’ está agendado para as 14:30 e é esperado que o técnico Sérgio Conceição aproveite o duelo da terceira eliminatória para rodar alguns dos jogadores menos utilizados, sendo certo de Pepe e Grujic não vão atuar, mas devido a problemas físicos.

Mais tarde, às 21:15, o Benfica, que já levantou o troféu da Taça de Portugal em 26 ocasiões, atua no campo do Paredes, emblema que milita também no terceiro escalão.

Durante a semana, o uruguaio Darwin Nuñez e o alemão Julian Weigl testaram positivo ao novo coronavírus e são baixas certas na formação de Jorge Jesus.

Destaque ainda para o SC Braga, que joga às 19:30 no terreno do Trofense, outro emblema que disputa o Campeonato de Portugal.

O Sporting joga na segunda-feira, com uma viagem muito curta para defrontar o Sacavenense, também do Campeonato de Portugal, no Estádio Nacional, em Oeiras.

A terceira eliminatória só fica encerrada em 03 de dezembro, com uma reedição da final de 1989/90, entre o Estrela da Amadora, agora no terceiro escalão, e o Farense, da I Liga, num jogo que terminou com a vitória dos amadorenses, no desempate por grandes penalidades.

Na sexta-feira, a ronda arrancou já com uma grande surpresa, com a União de Leiria, do Campeonato de *Portugal, a afastar o Portimonense, da I Liga, vencendo os algarvios por 1-0.

Além do afastamento do último classificado da I Liga, destaque para o Amora, igualmente do Campeonato de Portugal, que foi vencer a casa do Feirense, da II Liga, também por 1-0, enquanto o Gil Vicente, do primeiro escalão, seguiu em frente, mas só depois do desempate por penáltis (4-2), depois de igualdade a 0-0 com o Oleiros, outra formação do terceiro escalão

Continuar a ler

Futebol

Domingos Duarte diz que estreia pela seleção foi uma “sensação espetacular”

Seleção Nacional A

em

Foto: DR

O futebolista Domingos Duarte confessou hoje que a primeira internacionalização pela seleção principal de Portugal, no encontro com Andorra (7-0), de preparação para a Liga das Nações, foi uma “sensação espetacular que espera voltar a viver outra vez”.

O defesa-central dos espanhóis do Granada foi aposta, pela primeira vez, do selecionador Fernando Santos, assim como os avançados Pedro Neto (Wolverhampton) e Paulinho (Sporting de Braga), no particular realizado no Estádio da Luz, em 11 de novembro.

“É uma sensação espetacular. Sempre sonhei cantar o hino e é a melhor coisa que pode ter um jogador que sonha desde criança jogar pelo seu país. É uma sensação espetacular que espero viver outra vez”, declarou Domingos Duarte, de 25 anos, aos meios de comunicação do clube andaluz.

Jogar com o compatriota Cristiano Ronaldo na equipa das ‘quinas’ mereceu palavras elogiosas por parte do jogador, de 25 anos: “É a figura maior do meu país, é muito bom capitão, está sempre ali para ajudar e dar uma palavra amiga.”

Por fim, Domingos Duarte analisou o seu progresso enquanto jogador, acreditando que o “crescimento fez de si um jogador mais maduro” e permitiu que “melhorasse nas várias fases do jogo”, também graças “à ajuda do treinador e do clube”.

Continuar a ler

Futebol

Gil Vicente segue para os ’16avos’ da Taça de Portugal na estreia de Ricardo Soares

2-4 após grandes penalidades

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O Gil Vicente venceu hoje o ARC Oleiros, equipa do Campeonato de Portugal, apenas no desempate por grandes penalidades, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal em futebol.

O Oleiros, terceiro classificado na Série E do Campeonato de Portugal, ‘bateu o pé’ ao Gil Vicente e complicou a passagem do 17.º classificado da I Liga à próxima eliminatória da Taça de Portugal.

A equipa da casa entrou bem na partida e discutiu o jogo de igual para igual com o Gil Vicente, sendo que, aos 15 minutos, um corte de cabeça de Nogueira fez a bola embater com estrondo na barra da baliza do Gil Vicente e quase deu a vantagem no marcador ao Oleiros.

O jogo disputou-se sempre com muita luta no meio-campo e os jogadores do Oleiros mostraram-se sempre muito organizados e sem vacilar perante as investidas do Gil Vicente.

Ao minuto 35, o Gil Vicente desperdiçou a oportunidade de se colocar na frente do marcador. Os gilistas beneficiaram de uma grande penalidade, que Claude Gonçalves não conseguiu concretizar.

A partir daí, os jogadores do Oleiros tomaram conta do jogo e, até ao final da primeira parte, criaram as jogadas mais perigosas da partida.

Na segunda parte, o Gil Vicente mostrou querer resolver o jogo rapidamente e, logo no primeiro minuto, criou muito perigo junto da baliza do Oleiros.

Contudo, a equipa da casa conseguiu resistir à ofensiva dos gilistas e aos poucos voltou a equilibrar a partida, ao ponto de voltar a ter a melhor oportunidade de golo, com uma bola na trave num remate de Marcos.

No prolongamento, o Gil Vicente entrou com tudo e cedo criou perigo junto da baliza do Oleiros, contudo, as investidas dos gilistas não resultaram em golos e o jogo terminou empatado a zero, levando as duas equipas a decidir a eliminatória no desempate por grandes penalidades.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Campo Municipal de Oleiros.

ARC Oleiros – Gil Vicente, 0-0 (0-0 após prologamento, 2-4 no desempate por grandes penalidades).

Marcadores no desempate por grandes penalidades:

0-1, Rodrigo.

0-1, Iago Reis (defesa guarda-redes).

0-2, Kanya Fujimoto.

1-2, Ruben Silva.

1-3, Samuel Lino.

2-3, Marco.

2-4, Ruben Fernandes.

2-4, Vasco Gadelho (defesa guarda-redes).

Equipas:

– ARC Oleiros: Palha, Marco, Duvan Guerra, Pedro Graça (Alef, 91), Brian Miguel, Ricardo Almeida (Nuno Pereira, 75), Rayan Hiba (Rúben Silva, 72), Iago dos Reis, Marcelo Dias (Rafa González, 111), De Jesus e Vasco Gadelho.

(Suplentes: Caio, Facundo Otero, Alef, Nuno Pereira, Rúben Silva, Rodrigo Caetano, e Rafa Gonzaléz).

Treinador: Fábio Pereira.

– Gil Vicente FC: Denis, Joel Pereira, Rodrigo, Lourency (Boubacar, 82), Claude Gonçalves (João Afonso, 82), Miullen (Renan Oliveira, 66), Antoine Léautey (Kanya Fujitmoto, 105), Lucas Mineiro (Vítor Carvalho, 105), Rúben Fernandes, Nogueira e Mantuan (Samuel Lino, 46).

(Suplentes: Brian Araújo, João Afonso, Boubacar, Renan Oliveira, Kanya Fujimoto, Vítor Carvalho e Samuel Lino)

Treinador: Ricardo Soares

Árbitro: Hugo Silva (AF Santarém).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Ricardo Almeida (34), Miullen (48), De Jesus (67 e 117), Vasco Gadelho (69), Brian Miguel (87), Lucas Mineiro (87) e Rúben Fernandes (106). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, para De Jesus (117), e direto para Pedro Graça (no banco).

Assistência: Jogo disputado sem assistência devido à pandemia covid-19

(notícia atualizada às 19h03 com mais informação)

Continuar a ler

Populares