Seguir o O MINHO

Região

Braga e Viana com aviso amarelo entre as 21:00 e as 03:00

IPMA

em

O Instituto Português de Mar a Atmosfera colocou os distritos de Braga e Viana do Castelo sob aviso amarelo entre as 21:00 e as 03:00 desta segunda-feira, dada a precisao de chuva persistente.

Este aviso, o menos grave, possibilita recomendar atitudes mais prudentes no que toca a atividades que dependem das condições meteorológicas.

Durante esta manhã e inicio de tarde de domingo, ambos os distritos estiveram também sob aviso amarelo devido às mesmas causas.

 

Anúncio

Braga

Braga: Antigos alunos e professora primária reencontram-se 30 anos depois

Uma iniciativa “rara”

em

Antigos alunos da turma primária 1985 a 1989 da Escola Primária de Maximinos, em Braga. Foto: DR

Uma turma de antigos alunos da Escola Primária de Maximinos, em Braga, e respetiva professora reencontraram-se este sábado, 30 anos depois de terem concluído a 4.ª classe. Uma iniciativa “rara ou possivelmente nunca vista em todo o país”, avaliaram.

Entre 1985 e 1989, com a professora Armanda, aprenderam a ler, a escrever e a fazer contas. Foram a turma do turno da manhã da Sala 1 daquela escola.

Volvidas três décadas, a docente não conseguiu conter por várias vezes a emoção durante o almoço perante os antigos alunos que um dia foram meninos, e hoje são homens e mulheres feitas.

“É uma sensação de alegria, de muita felicidade e de enorme gratidão a todos estes meus alunos. Fizeram-me muito mais feliz e ter realmente a certeza de que valeu a pena ser professora”, disse a professora Armanda, a poucos dias de completar 80 anos, a O MINHO. “É muito bom ver que para todos eles a escola primária foi muito importante”.

Liliana Oliveira, hoje engenheira civil, foi uma das organizadoras deste almoço convívio que se realizou num restaurante em pleno centro da cidade. “É muito emocionante, o reviver de bons momentos e de boa disposição. Aliás, sempre que penso na professora Armanda, salta-me à memória a boa disposição dela e a capacidade que teve de ensinar-nos brincando”, recordou a antiga aluna.

Antiga turma primária, 1985 a 1989, da escola de Maximinos, em Braga. Foto: DR

“Transmitiu-nos sempre a ideia de que aprender é bom. É crescer”, prosseguiu Liliana Oliveira realçando que, mesmo após terem concluído o ensino primário, a professora Armanda manteve-se sempre presente no percurso dos alunos. “Ela saiu de cena mas nunca saiu do espetáculo. Transmitiu-nos valores que ficaram para a vida”.

“Ainda temos dentro de nós a mesma criança que éramos”

Trocaram-se abraços, sorrisos e muitos beijinhos. Recordaram-se muitas histórias e foram imensas gargalhadas à mesa.

“A professora Armanda continua a ser um grande exemplo para todos nós. Todos temos usado no nosso dia a dia lições aprendidas com ela”, contou a O MINHO Luís Pedro Gomes, hoje programador informático, outro dos organizadores do convívio.

Em jeito de confissão, Luís Pedro Gomes admitiu que o processo mais difícil neste evento foi encontrar os antigos colegas de turma. Um processo que implicou ‘varrer’ o Facebook várias vezes e ligar a muita gente que poderia saber do paradeiro de cada um.

“Acho que não mudamos assim tanto”, disse com uma gargalhada. “Ainda temos todos dentro de nós a mesma criança que éramos há 30 anos”.

Médicos, engenheiros, psicólogos e… jornalista

Ontem eram pequeninos. Hoje há médicos, engenheiros, psicólogos e até treinadores desportivos. Mas desta turma saiu também um jornalista.

“Foi com a professora Armanda que aprendi as letras do alfabeto. A ler bem. A compor textos. Foi ela que me mostrou que a língua portuguesa é algo simplesmente maravilhoso”, disse Miguel Rocha, hoje jornalista na Rádio Vale do Minho.

“A professora Armanda foi sempre um autêntico Sol e todos nós continuamos a ser planetas a girar ao redor dela. Cada um na sua vida mas sempre a praticar os ensinamentos que nos foram dados por uma enorme profissional do ensino”, acrescentou.

Foi a turma do diretor-clínico do Sporting

Esta foi também a turma de João Pedro Araújo, diretor-clínico do Sporting CP, que não pôde estar presente devido a uma deslocação ao estrangeiro por motivos profissionais.

Mas as tecnologias de hoje resolveram o problema quase na totalidade. Através de videochamada, saudou a professora e todos os antigos colegas.

“O João Pedro era um aluno muito completo. Muito sensível e atento. Era muito cordial com todos os colegas”, recordou a professora Armanda. “Estava sempre disposto a dar o melhor de si. Era mesmo um amigo de verdade”.

Armanda Araújo iniciou-se como docente em 1957. Aposentou-se em meados dos anos 90. Foi na Escola Primária de Maximinos que fez a maior parte da sua carreira.

“Foi uma professora de excelência. Esteve, seguramente, entre os melhores profissionais do ensino do seu tempo”, garantiram os antigos estudantes em unanimidade.

Continuar a ler

Famalicão

Motard em estado grave após colisão em Famalicão

Gavião

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um motociclista, com cerca de 40 anos, sofreu ferimentos considerados “graves” na sequência de uma colisão entre a mota de cilindrada pesada que conduzia contra uma viatura ligeira, ao início da noite deste sábado, em Gavião, concelho de Famalicão, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

O alerta foi dado às 19:05 horas, para um acidente a envolver um motociclo pesado na Avenida Santiago de Gavião, naquela freguesia.

No local estiveram os Bombeiros Famalicenses, com uma viatura e três bombeiros, acompanhados pela VMER de Famalicão.

A vítima, que não corre perigo de vida, foi transportada para o Hospital de Braga.

A GNR registou a ocorrência.

(notícia atualizada às 21h13)

Continuar a ler

Famalicão

Centenas de bens doados a família que ficou sem nada após incêndio em Famalicão

Fradelos

em

Foto: Divulgação

Vários populares ouviram o apelo deixado por uma família residente em Fradelos, no concelho de Famalicão, e levaram até às instalações da junta de freguesia, este sábado, centenas de bens para que o casal e as duas filhas menores consigam suportar o inverno, depois de terem perdido todas as posses num incêndio urbano, na passada sexta-feira.

Juliana Alves explicou a O MINHO que “tudo ardeu” num incêndio habitacional que deflagrou na sexta-feira, na habitação onde residiam, na Rua dos Lusíadas. “O incêndio começou numa máquina de secar roupa”, conta, ainda bastante abalada com o acontecimento. “Felizmente ninguém ficou ferido”, acrescenta.

A jovem mãe de duas meninas, uma de três e outra de 13, deixa um “profundo agradecimento” a todas as pessoas, de vários cantos do Minho, que se organizaram para, este sábado, entregarem bens à família. “Estou muito comovida com toda esta solidariedade”, referiu.

Duas cidadãs, de Famalicão e de Guimarães, disponibilizaram-se, através de contacto efetuado por O MINHO, a doar mobília de quarto e fornecer uma habitação com renda acessível na região onde a família morava, estando já em contacto com a família.

A O MINHO, um dos membros do executivo da Junta de Fradelos, Rui Leite, adiantou que as pessoas compareceram e disponibilizaram bastante apoio para ajudar a família. Foi um dos elementos a coordenar a recolha de bens, durante esta tarde.

Através das redes sociais, a autarquia de Fradelos prestou “o mais profundo agradecimento” a todos que ajudaram com bens e vestuário durante este sábado, “apesar de ainda faltarem outros bens necessários”.

Informa ainda que, em relação à habitação, “está encaminhado, para que esta família continue a habitar na nossa freguesia”.

“São gestos como estes que revelam que somos um povo de uma profunda compaixão e entre ajuda para com o próximo, com sentido de dar esperança na reconstrução de um novo lar”, remata a publicação da Junta de Fradelos.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares