Seguir o O MINHO

Braga

Braga abre concurso público para reabilitação do Centro Cultural Dr. Francisco Sanches

Obras públicas

em

Foto: Divulgação / CM Braga

A Câmara de Braga vai abrir o concurso público para a reabilitação da antiga escola Francisco Sanches, onde será criado um centro cívico de matriz cultural, foi hoje divulgado. A abertura de procedimento concursal é submetida à próxima reunião do executivo municipal, agendada para segunda-feira, 26 de julho.

Com um preço-base de 1,7 milhões de euros, o projeto vai “transformar a antiga escola Francisco Sanches num equipamento de referência, alinhado com a estratégia cultural da cidade para 2030 e com a candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura em 2027”, refere a autarquia, em comunicado.

O projeto propõe a reabilitação geral de todo o edifício, dotando as suas divisões com conforto e renovação necessárias para albergar as funções culturais no âmbito das actividades das artes visuais e performativas.

De acordo com a Câmara, o objetivo passa por maximizar o enorme potencial do edifício, que conta com uma área global de 6.415m2, e “aproveitar a sua centralidade”.

Recorde-se que o edifício da antiga escola Francisco Sanches fica situado no coração da freguesia de S. Victor, estabelecendo a ligação entre o Centro Histórico e a Universidade do Minho.

Após a reabilitação, o edifício irá receber o Arquivo Municipal, incluindo o arquivo histórico, serão criadas salas de consulta e uma biblioteca, uma zona de tratamento e higienização de documentos.

A ideia é que o público se aproprie progressivamente da utilização do edifício, colocando à disposição as zonas que forem ficando disponíveis.

A autarquia vai também garantir a continuidade da utilização de algumas das estruturas que já se encontram sediadas no edifício e incorporar novas dinâmicas que possam resultar o debate em torno da estratégia cultural 2030.

Autarquia adjudica requalificação da Escola de Figueiredo

Na próxima reunião, o executivo municipal aprecia ainda a adjudicação da empreitada de requalificação da Escola Básica de Figueiredo, à empresa ARLO, S.A., pelo valor-base de 1,7 milhões de euros.

A intervenção prevê a remodelação do edifício existente, bem como a sua ampliação com vista a albergar também o Jardim de Infância da Freguesia, formando um Centro Escolar.

“A obra vai conferir melhores e maiores condições de segurança, funcionalidade, conforto térmico e acústico e de luminosidade”, aponta a mesma nota enviada à imprensa.

A Escola Básica terá quatro salas de aula com capacidade para 24 alunos/sala, perfazendo um total de 96 alunos, prevendo-se ainda um espaço reservado às artes plásticas.

O Jardim de Infância funcionará no rés-do-chão e contará com duas salas de aula com capacidade para 24 alunos/sala, perfazendo um total de 48 alunos.

No geral, entre outros espaços a criar, destacam-se: instalações sanitárias; biblioteca; refeitório polivalente; recreio coberto; gabinete de atendimento; sala de professores/educadores; sala de estudo individualizado; sala de isolamento; área técnica de pessoal; área de arrumos; cozinha equipada.

Populares