Seguir o O MINHO

Região

Bombeiro ferido e 12 pessoas desalojadas na sequência de incêndio em Guimarães

em

Foto: DR/Arquivo

Um incêndio em Guimarães, na madrugada desta quinta-feira, deixou 12 pessoas desalojadas e um bombeiro ferido com queimaduras. No total, quatro apartamentos sofreram danos.


Os moradores pernoitaram em casa de parentes. O caso foi entregue aos serviços sociais da Câmara de Guimarães.

Durante a operação de combate, um bombeiro sofreu uma queda no interior de um dos apartamentos, o capacete saiu, e ficou exposto às queimaduras.

O bombeiro está sob cuidados intensivos no Hospital de Guimarães.

No local esteve a PSP de Guimarães, que tomou conta da ocorrência, e a Polícia Municipal.

Anúncio

Braga

Temperatura máxima desce 7 graus em Braga esta quarta-feira (mas volta a subir na quinta)

Estado do tempo

em

Foto: DR

A temperatura máxima para a região de Braga vai descer sete graus entre terça e quarta-feira, segundo as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Nesta terça-feira, os termómetros registaram a temperatura máxima de 34 graus no concelho de Braga, descendo para 27 graus já amanhã.

Contudo, as temperaturas voltam a subir na quinta-feira, com uma subida de 10 graus, esperando-se 37 no concelho de Braga.

Já o distrito de Viana também regista uma descida da temperatura máxima na quarta para voltar a subir na quinta-feira.

Continuar a ler

Região

Retoma do comboio Celta entre Porto e Vigo aguarda decisão da CP e da Renfe

Covid-19

em

Foto: DR

A retoma da circulação do comboio Celta, que faz a ligação entre Porto e Vigo, aguarda decisão da CP e da espanhola Renfe, cujas propostas apresentadas estão em fase de apreciação, revelou hoje a operadora portuguesa.

As ligações ferroviárias entre Portugal e Espanha estão suspensas desde 17 de março, altura em que encerraram as fronteiras terrestres.

Apesar de terem sido reabertas as fronteiras terrestres no dia 01 de julho, o serviço ainda não foi reposto, estando dependente de decisão das duas operadoras.

“Ambas as operadoras apresentaram as suas propostas que estão em fase de apreciação. A CP – Comboios de Portugal, em articulação com a tutela, está a analisar as propostas e, oportunamente, dará mais informação relativamente a esta questão”, esclareceu a CP, em resposta à Lusa.

Já a operadora espanhol adiantava, numa resposta à associação do Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular, enviada a 01 de julho, que para os próximos dias está agendada uma reunião, para discutir, entre outros temas, a retoma do serviço do comboio ‘Celta’, pelo que, no momento, não era possível facilitar mais informação.

Nessa missiva, a que a Lusa teve acesso, a RENFE sublinha, contudo, que sendo este um serviço operado conjuntamente com a CP, as decisões sobre esta ligação serão “adotadas conjuntamente”.

Com partidas diárias, o comboio Celta, que é operado pela CP em conjunto com a Renfe, iniciou a sua atividade em julho de 2013, assegurando uma ligação rápida entre Vigo e Porto, com paragens em Valença, Viana do Castelo e Nine.

Esta ligação veio permitir percorrer os 175 quilómetros que separam as cidades em duas horas e 15 minutos, quando anteriormente a ligação demorava mais de três horas.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 538 mil mortos e infetou mais de 11,64 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.629 pessoas das 44.416 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães assinala Festas Gualterianas com programa simbólico

Covid-19

em

Imagem de Arquivo

Guimarães vai assinalar, de forma simbólica, as Festas da Cidade e Gualterianas, de 31 de julho a 03 de agosto, com iluminação ornamental em monumentos icónicos da cidade, exposições no espaço público e alguma animação itinerante, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a câmara sublinha que, devido à pandemia de covid-19, não haverá espaço de diversões nem a habitual Marcha Gualteriana, para evitar aglomeração de pessoas.

“Tudo será feito de acordo com as indicações das autoridades de saúde e da proteção civil”, referiu o presidente da câmara.

Domingos Bragança adiantou ainda que está a ser equacionada a retirada do trânsito da zona classificada do Centro Histórico, Alameda de S. Dâmaso Norte (norte), Toural (norte) e Rua de Santo António, no sentido de permitir maior dispersão de pessoas e um maior usufruto da cidade.

A medida facilitará ainda a visita à exposição da Casa da Marcha (Jardim do Alameda) ou à exposição “A Muralha” (Largo do Toural).

A retirada do trânsito será concertada com a Associação do Comércio Tradicional de Guimarães (ACTG) e a Associação Vimaranense de Hotelaria (AVH).

“Este é um ano singular devido à situação de pandemia que estamos a viver, mas não quisemos uma rutura com as Festas da Cidade e Gualterianas. Teremos um programa para marcar a celebração, muito na dimensão simbólica. Pretendemos ainda a envolvência dos nossos artistas culturais, mas apelamos à compreensão de todos os vimaranenses do estado de alerta da pandemia”, salientou Domingos Bragança, citado no comunicado.

O autarca ressalvou que o programa definido pode sofrer alterações a qualquer momento, no âmbito da evolução da situação epidemiológica da covid-19.

A Casa da Marcha está a preparar uma exposição, que poderá ser apreciada no Jardim da Alameda, com algumas das peças trabalhadas pelos obreiros, ao longo dos últimos anos.

Entre 31 de julho e 03 de agosto, está previsto ainda a passagem do carro alegórico alusivo ao centenário de Amália e ao Fado, por algumas artérias da cidade.

Numa parceria com a Associação “A Muralha”, estará patente no Largo do Toural uma exposição de fotografias com os cartazes da história das Festas Gualterianas.

“Este programa foi pensado no sentido de trazer maior expressão ao espaço público e valorizar a memória destas festas através de momentos de reflexão”, explicou a vereadora da Cultura, Adelina Pinto.

Está confirmada a iluminação ornamental em vários monumentos como a Igreja de S. Francisco, Igreja de S. Gualter, Castelo de Guimarães ou a muralha da Torre da Alfândega, além da artéria da Alameda e do Toural.

A Câmara, entretanto, está a recolher propostas culturais para ajustar ao modelo das Festas Gualterianas que se adequem à situação atual, “promovendo uma reaproximação segura e confiante entre criadores, público e comunidade”.

Serão valorizados os projetos que se alinhem com o cariz tradicional das festas, o caráter inovador que a proposta possa introduzir e a sua adequação às normas da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal contabiliza pelo menos 1.629 mortos associados à covid-19 em 44.416 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da DGS.

Continuar a ler

Populares