Seguir o O MINHO

Braga

Legislativas: Prioridades e candidatos do Bloco de Esquerda por Braga

Partido entregou listas no Tribunal

em

Fotos: Divulgação

O Bloco de Esquerda entregou, na manhã desta terça-feira, no Tribunal de Braga, a lista de candidatos e candidatas pelo circulo eleitoral de Braga às Eleições Legislativas. As suas prioridades passam pelo “combate às alterações climáticas, preservando os recursos naturais, como o Parque Natural do Litoral Norte e o Parque Nacional Peneda Gerês, a defesa dos direitos dos trabalho, com especial destaque para o plano de emergência para o setor têxtil dos vales do Ave e Cávado, e a luta pela igualdade de direitos”.


À saída, e em declarações à comunicação social, José Maria Cardoso, cabeça de lista, apontou as prioridades da candidatura, frisando que “importa ter respostas concretas para problemas objetivos”, acrescenta.

O candidato referiu ainda que o objetivo passa por “manter o deputado” eleito nas últimas eleições, reconhecendo que “mediante o contacto direto com a população durante a campanha ir-se-á aferir as possibilidades de aumentar a representação”.

A lista é composta por 12 homens e 12 mulheres, provenientes de 13 concelhos do distrito, incluindo autarcas do Bloco de Braga, Barcelos, Guimarães e Famalicão, dirigentes de vários sindicatos e ativistas sociais pelos direitos humanos, ambientais e animais.

Foto: Esquerda.net / Divulgação

José Maria Cardoso, de Barcelos, é professor de Geografia. Dirigente do Sindicato dos Professores do Norte. Deputado na Assembleia Municipal de Barcelos. Dirigente Nacional do Bloco de Esquerda. A número dois é Alexandra Vieira, de Braga, que é professora de História, vice-presidente da Civitas Braga, dirigente do Sindicato dos Professores do Norte, deputada na Assembleia Municipal de Braga e dirigente nacional do Bloco.

O terceiro membro da lista é Sónia Ribeiro, de Guimarães, que é técnica de optometria, presidente do Sindicato do Comércio, Escritórios, e Serviços do Minho, deputada na Assembleia Municipal de Guimarães e dirigente Nacional do partido. O quarto é Miguel Martins, de Barcelos, estudante Universitário, ativista estudantil e social e coorganizador da 1ª Marcha LGBT+ de Barcelos.

O quinto é Paulo Costa, de Vila Nova de Famalicão, funcionário Judicial. deputado na Assembleia Municipal de Famalicão e dirigente Concelhio do BE.

Seguem-se, Paula Magalhães (independente), de Guimarães, Carlos Machado, da Póvoa de Lanhoso, Diana Silva, de Fafe, Fernando Bessa Ribeiro, de Braga, Ana Aradas, de Celorico de Basto, Patrícia Gonçalves (independente), de Vizela, Marco Gomes, (independente), de Cabeceiras de Basto e Raquel Azevedo, de Famalicão

O 14. º da lista é Ana Carolina Pereira, (independente), de Esposende, seguido de Nuno Costa, de Amares, Gorete Pimentel, de Vila Verde, Aurora Oliveira, (independente), de Braga, Ricardo Cerqueira, de Vila Verde, Hilário Martins, de Vieira do Minho, Manuela Airosa, de Braga, Renato Silva, de Braga, Andrea Lopes, de Guimarães, Pedro Ferreira, de Braga, e Rúben Santos, de Famalicão.

O mandatáario é Carlos Mesquita, professor do Ensino Básico, membro de associações culturaise presidente do Cineclube de Guimarães.

Anúncio

Braga

Longas filas pela manhã em Braga antes do recolher obrigatório

Estado de emergência

em

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Muitos cidadãos de Braga aproveitaram a manhã pré-confinamento para fazer compras e passear um pouco pela cidade, antes do início do recolher obrigatório, estipulado para as 13:00 horas deste sábado e até às 05:00 de domingo.

No Pingo Doce de São Vicente, ao longo da manhã, foi visível a fila no exterior da loja, uma vez que a lotação interior esgotou por várias vezes.

A O MINHO, Deolinda Alves, de São Víctor, explica que veio fazer “as últimas compra de mercearia” para o fim de semana.

“Não tenho intenção de voltar a sair de casa até segunda-feira, por isso vim agora aqui fazer algumas compras que precisava para poder estar sossegada em casa”, disse a costureira de profissão.

Foto: Fernando André Silva / O MINHO 

Deolinda é a favor deste recolhimento, pois está “assustada” com o aumento de casos no concelho. “Nunca se viu nada assim, há muita gente que diz que isto é uma paranóia mas já morreram muitas pessoas no país e aqui em Braga e não são só velhinhos como dizem”, atirou a bracarense.

Também no centro da cidade, várias pessoas faziam compras no comércio, ainda aberto, para preparar o confinamento em paz.

No centro histórico, até as pequenas mercearias, que podem estar abertas durante a tarde graças a uma exceção decretada pelo Conselho de Ministros, que permite abertura de lojas de bens alimentares e higiene com menos de 200 metros quadrados e com porta para a rua.

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

O comércio e a restauração iniciaram hoje o primeiro de dois fins de semana em que apenas podem abrir entre as 08:00 e as 13:00, no âmbito do estado de emergência, uma medida contestada por várias associações empresariais.

Na madrugada de 08 de novembro, o país ficou a saber pelo primeiro-ministro, António Costa, que a circulação ia ser limitada nos dois fins de semana seguintes, entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira, nos 121 concelhos de maior risco de contágio pelo novo coronavírus (vão aumentar para 191 a partir de segunda-feira).

No âmbito do estado de emergência decretado devido à pandemia de covid-19, o Governo decidiu também instaurar um recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos dias de semana, entre 09 e 23 de novembro (enquanto vigora o estado de emergência, que tem uma validade de 15 dias, podendo ser renovado), nos concelhos mais afetados, com o comércio a encerrar até às 22:00 e os restaurantes até às 22:30.

Seguiu-se uma semana de contestação e manifestação de dúvidas em relação às exceções da medida, por parte de várias associações comerciais que representam o comércio e a restauração.

Assim, na quinta-feira, o Governo decidiu ordenar o encerramento do comércio e restauração às 13:00, neste e no próximo fim de semana.

Ficou também definido que a abertura dos estabelecimentos só pode ocorrer a partir das 08:00.

“A regra é tudo fechado às 13:00”, disse o primeiro-ministro, António Costa, em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, referindo-se aos concelhos com risco elevado de contágio de covid-19.

Os restaurantes só podem funcionar a partir das 13:00 para entrega ao domicílio, clarificou o primeiro-ministro, e não para ‘take away’, como esperavam os empresários do setor.

António Costa anunciou ainda que haverá um apoio de 20% da perda de receitas dos restaurantes nos dois fins de semana face à média dos 44 fins de semana anteriores (de janeiro a outubro 2020).

Fora da obrigatoriedade de fechar a partir das 13:00 e de abrir apenas a partir das 08:00 estão as farmácias, clínicas e consultórios, veterinários, estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua até 200 metros quadrados, bombas de gasolina, padarias e funerárias.

*com Lusa

Continuar a ler

Braga

Novo líder do PSD Braga ‘abre porta’ à Iniciativa Liberal, mas não ao Chega

Política

em

Foto: DR./ Arquivo

O novo presidente da Comissão Política concelhia de Braga do PSD, João Granja, hoje eleito com o voto de 159 militantes, pondera alargar a Coligação Juntos por Braga (PSD/CDS/PPM) no poder desde 2013, aos partidos Iniciativa Liberal e Aliança, com vista às eleições municipais de 2021.

“Não tencionámos falar com o Chega, quer porque desconhecemos a sua atividade em Braga, quer por discordarmos da sua postura política”, afirmou, em declarações a O MINHO.

Nas eleições que hoje decorreram na sede do partido, em que podiam votar 472 militantes, houve, ainda, sete votos brancos e três nulos. Para a Mesa da Assembleia de Secção, que volta a ser liderada por Américo Afonso, votaram 161 eleitores, registando-se sete votos brancos e um nulo.

Granja, um ex-gestor bancário que já tinha presidido ao órgão durante seis anos, pretende “unir o partido” em torno da recandidatura a um terceiro mandato do atual presidente da Câmara, Ricardo Rio.

“Esta lista é de unidade, para não deixar que as energias dos militante se percam em disputas estéreis”, disse Granja a O MINHO, adiantando que trabalhará para aumentar os resultados não só na Câmara, mas também na Assembleia Municipal e nas freguesias.

João Granja, um gestor bancário que já foi deputado no parlamento e líder concelhio, sendo atualmente o líder dos social-democratas na Assembleia, salienta que, em princípio, se manterá a aliança com o CDS e o PPM, com um acordo a formalizar a partir de janeiro.

Para o mandato de dois anos, promete abrir o partido à sociedade bracarense e à sua juventude, com olhos postos nas questões sociais e nas ambientais.

A Comissão Política tem como número dois, o diretor da Agere, Rui Morais, seguido do jurista João Marques.

A lista tinha como primeiro subscritor o autarca Ricardo Rio, apoio que lhe chega também dos dois vereadores que são militantes, Olga Pereira e João Rodrigues, bem como de todos os presidentes de Junta filiados.

 

Continuar a ler

Braga

Bebé que caiu de janela em Braga está “estável” e em recuperação “favorável”

Celeirós

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O bebé de um ano que caiu de uma janela de primeiro andar em Celeirós, Braga, na quinta-feira, encontra-se estável e a recuperar favoravelmente.

A criança, que se terá lançado pela janela quando estava a brincar no colo do avô, numa moradia situada na Avenida Senhora da Paciência, está internada nos cuidados intermédios da pediatria do Hospital de Braga, onde entrou ontem de urgência com ferimentos considerados “graves” pela equipa médica da VMER.

A informação é avançada pela CMTV, dando conta de que a criança está consciente e cooperante.

Recorde-se que o bebé sofreu um traumatismo cranioencefálico depois da queda, que ocorreu cerca das 21:23, segundo dados da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

A criança estaria ao colo do avô, que pensaria que a janela estaria fechada. O bebé fez uma movimentação mais brusca, projetou-se, a janela abriu e caiu.

Prestaram socorro os Bombeiros Sapadores de Braga e a VMER de Braga, que acompanhou a criança ao hospital.

Continuar a ler

Populares