Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Bebé ferido após cair de uma altura de três metros de varanda em Viana do Castelo

Em Meadela

em

Foto: DR / Arquivo

Um bebé, com ano e meio, caiu hoje de uma varanda, a uma altura de cerca de três metros, na freguesia da Meadela, em Viana do Castelo, tendo sofrido ferimento ligeiros, disse hoje fonte da proteção civil.

De acordo com a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo, o menino foi transportado ao hospital de Viana do Castelo por uma ambulância do INEM dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo.

O acidente terá ocorrido na varanda da habitação, na rua da Giesteira, na Meadela, cerca das 11:36.

Ao local comparecerem duas viaturas da PSP que tomaram conta da ocorrência. De acordo com o segundo comandante, Raul Curva, o caso será reportado à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco (CPCJ) de Viana do Castelo.

Anúncio

Alto Minho

Viana do Castelo oferece equipamento de proteção individual aos profissionais de saúde

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CMVC

A Câmara de Viana do Castelo vai fornecer equipamento de proteção individual aos profissionais e saúde. Para o Hospital Distrital serão entregues mil máscaras P2 e para a Cruz Vermelha de Viana do Castelo e para os Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo 500 máscaras P2, anunciou hoje a autarquia em comunicado.

“Este equipamento é mais apropriado na proteção individual e a distribuição integra a política municipal que já permitiu entregar, nas primeiras duas semanas de Estado de Emergência, dez mil máscaras P1 e cinco mil pares de luvas às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho”, acrescenta o Município.

Continuar a ler

Alto Minho

Fachada da Igreja de São Domingos, em Viana do Castelo, está a ser requalificada

Património

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A fachada da Igreja de São Domingos, em Viana do Castelo, está a ser reabilitada. A intervenção visa “restabelecer a integridade física, histórica e estética do conjunto da fachada” e preservar a sua “dimensão artística”.

A reabilitação e valorização da fachada e do adro da Igreja de Santa Cruz/Convento de S. Domingos, financiada pelo Norte 2020, está a ser promovida pela Câmara de Viana do Castelo, em parceria com a Direção Regional de Cultura do Norte.

De acordo com nota de imprensa da autarquia, “neste momento, estão a proceder-se aos trabalhos de colocação do sistema eletrostático para afastar aves, assim como à recuperação de rebocos e vãos de madeira da fachada principal”.

A construção da igreja de Santa Cruz ou igreja de São Domingos remonta ao século XVI. Da autoria do mestre João Lopes, o Moço, e elaborada segundo os rigorosos planos e indicações de D. Frei Bartolomeu dos Mártires, a igreja do Convento de São Domingos apresenta uma fachada retabular dividida em três registos. Ao longo do tempo, a fachada sofreu diversas intervenções, com o intuito de colmatar ou minimizar alterações sofridas com origem em fenómenos naturais ou resultantes da ação humana.

A intervenção de conservação e restauro tem por objetivo cessar a continuidade dos fenómenos de degradação, colmatando ou minimizando as fontes de alteração. Para tal, nota a Câmara de Viana do Castelo, efetuaram-se até ao momento os seguintes tratamentos: limpeza de depósitos superficiais (a seco e por via húmida); remoção de plantas superiores; eliminação de micro-organismos (colonização biológica); limpeza de depósitos e escorrências de guano; remoção e/ou desoxidação de elementos metálicos oxidados, e eliminação/atenuação de crostas e filmes negros por via húmida, compressas químicas e/ou micro-abrasão pontual.

Continuar a ler

Alto Minho

PSD questiona Governo sobre critérios para realização de testes de despiste

Covid-19

em

Foto: CMVC / Arquivo

Os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Viana do Castelo questionaram hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sobre “os critérios para priorizar” os testes à covid-19, defendendo a sua realização “imediata” em lares da região.

Numa pergunta hoje dirigida àquela governante, os deputados Emília Cerqueira, Jorge Salgueiro Mendes e Eduardo Teixeira querem saber quais foram os critérios que “priorizaram os distritos de Lisboa, Aveiro, Évora em detrimento dos distritos do Norte onde se verifica maior número de casos de infeção por covid-19”.

No documento pedem ainda esclarecimentos sobre o prazo previsto para “a tomada de medidas efetivas que garantam a saúde e segurança dos utentes e colaboradores do lar do centro paroquial e social de Darque, em Viana do Castelo e de Grade, em Arcos de Valdevez e para quando está prevista a realização de testes a todos os utentes e funcionários do distrito de Viana do Castelo”.

Os três deputados do PSD consideram “imperioso que os lares de idosos e as unidades de cuidados continuados integrados sejam considerados prioritários no combate à pandemia, por forma a inverter e travar situações gravosas como as que estão a acontecer nos lares de idosos do distrito de Viana do Castelo”.

“Só com o rápido rastreio e com a criação de uma rede de rastreio generalizado a todos os utentes e colaboradores destas instituições é que se pode combater e impedir uma verdadeira mortandade da nossa população mais idosa e vulnerável”, reforçam.

Os deputados dizem ainda acompanhar “com preocupação o caso do lar do Centro social e paroquial de Santa Maria de Grade, em Arcos de Valdevez que tem, entre os atuais 39 utentes e cerca de 20 funcionários, oito utentes (um dos quais já faleceu) e uma funcionária infetados pela covid-19.

“Também o lar de idosos e da unidade de cuidados continuados do centro social e paroquial de Darque foi objeto de outra pergunta ao Governo, dado que o município de Viana do Castelo não custeou os testes em falta aos funcionários e utentes”, adiantam.

Os deputados sociais-democratas criticam ainda que “as autoridades de saúde não disponibilizem de imediato a realização dos testes no Alto Minho, o que levou o município de Arcos de Valdevez a custear os testes em falta aos funcionários e utentes daquela instituição”.

“Os resultados são revelados a conta-gotas, pelo que quer utentes quer funcionários continuam a receber orientações da Direção-Geral da Saúde para comparecerem ao trabalho. Esta situação levou a que o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez viesse a público apelar para a necessidade premente de se proceder ao despiste da Covid-19 em todos os utentes e colaboradores dos lares de idosos do concelho, sob pena de se poder assistir a uma situação dramática no concelho”, referem.

Continuar a ler

Populares