Seguir o O MINHO

Desporto

Basquetebol. Equipa do Vitória SC espera 14 horas para aterrar em Ponta Delgada

em

Foto: Divulgação

O Vitória SC foi para os Açores este fim de semana para enfrentar o Terceira Basquete e o SC Lusitânia. Mas enfrentou dificuldades para chegar. No total, foram 14 horas até aterrar em Ponta Delgada.


O voo era 12:45 de sexta-feira, atrasou e estava previsto para 15:30. Não aconteceu, e passou para aproximadamente 20:20. Também não foi, e iria para 22:30 e acabou por ir 23:40.

O primeiro foi dito que foi por avaria do avião, e depois por conta do mau tempo. Tanto que outros dois voos não conseguiram chegar aos Açores e regressaram para o Continente.

Já no sábado, mais um voo às 19:00 para a Ilha Terceira, onde o Vitória SC joga contra o Terceira Basquete às 16:00 de domingo no Pavilhão do CD Tomás de Borba.

Na segunda-feira, o jogo é contra o SC Lusitânia às 19:00 no Pavilhão Municipal de Angra do Heroísmo. A equipa retorna na terça-feira.

Anúncio

Futebol

Dois golos nos descontos em Guimarães e o Gil Vicente festeja manutenção

31.ª jornada

em

Foto: Facebook

O Gil Vicente garantiu hoje matematicamente a permanência na I Liga portuguesa de futebol, ao vencer no terreno do Vitória SC por 2-1, com uma reviravolta nos descontos da segunda parte, em jogo da 31.ª jornada.

Em desvantagem na sequência de um golo de Bruno Duarte, aos 63 minutos, a formação de Barcelos tomou conta do jogo a partir do minuto 80, perante um adversário que se limitou a ‘despejar’ bolas, e viu o esforço recompensado com os tentos de Rúben Ribeiro, aos 90+3 minutos, e de Kraev, aos 90+9.

Com esses golos tardios, o Gil Vicente subiu provisoriamente ao nono lugar, com 39 pontos, mais 12 do que a primeira equipa na zona de despromoção, o Portimonense (17.º), quando há nove ainda em disputa, enquanto os vimaranenses, que tinham somado dois triunfos seguidos, estão em sétimo lugar, com 46, a quatro do quinto posto, que dá o apuramento europeu, ocupado pelo Rio Ave.

A primeira parte desenrolou-se sob uma toada de equilíbrio, com as equipas, lentas, face ao calor que se sentia no Estádio D. Afonso Henriques, a proporcionarem um jogo com poucos lances dignos de realce.

A segunda metade abriu com um lance mais perigoso do que qualquer um criado nos primeiros 45 minutos: Ola John recebeu a bola na ala esquerda e cruzou, rasteiro, para a pequena área, onde surgiu Bruno Duarte a ‘emendar’, mas por cima, aos 46.

O jogo ‘arrefeceu’ nos minutos seguintes, até por causa da interrupção de cinco minutos para o árbitro Vítor Ferreira trocar o equipamento sonoro, mas, quando os vimaranenses voltaram à área gilista, marcaram: o inglês Marcus Edwards ultrapassou Edwin Banguera e Ygor Nogueira, com bons pormenores técnicos, e serviu Bruno Duarte, que desviou para o seu oitavo golo no campeonato.

O treinador Vítor Oliveira respondeu, de imediato, ao golo sofrido, renovando as alas com as entradas de Samuel Lino e de Ahmed Isaiah, mas os ‘galos’ de Barcelos continuaram incapazes de ‘furar’ o quarteto defensivo vitoriano até ao minuto 81, quando Samuel Lino entrou na área e rematou à figura de Douglas.

A partir daí, o Gil Vicente dominou totalmente o jogo, circulando bem a bola nas imediações da área de um Vitória ‘atrapalhado’ com a bola e sem ela, e os golos da reviravolta acabaram por surgir.

O empate surgiu quando Rúben Ribeiro se isolou após erro de Sacko e atirou rasteiro, fora do alcance de Douglas, e o golo do triunfo gilista surgiu no penúltimo minuto, com Kraev a aproveitar um ressalto em lance disputado com Mikel Agu para marcar o seu sexto golo no campeonato, com um remate cruzado.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória SC – Gil Vicente, 1-2.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

1-0, Bruno Duarte, 63 minutos.

1-1, Rúben Ribeiro, 90+3.

1-2, Kraev, 90+9.

Equipas:

– Vitória SC: Douglas, Sacko, Frederico Venâncio, Suliman, Florent, Mikel Agu, Dénis Poha (Pepê, 85), André André (André Almeida, 85), Marcus Edwards (Ouattara, 79), Ola John (Davidson, 68) e Bruno Duarte (João Pedro, 79).

(Suplentes: Jhonatan, Victor Garcia, Pedro Henrique, Pepê, André Almeida, Abouchabaka, Rochinha, Ouattara, Davidson e João Pedro).

Treinador: Ivo Vieira.

– Gil Vicente: Denis, Alex Pinto, Rodrigão, Ygor Nogueira, Edwin Banguera, Soares, João Afonso, Yves Baraye (Ahmed Isaiah, 65), Rúben Ribeiro, Lourency (Samuel Lino, 65) e Hugo Vieira (Claude Gonçalves, 90+6).

(Suplentes: Bruno Diniz, Fernando Fonseca, Vítor Carvalho, Claude Gonçalves, Ahmed Isaiah, Bozhidar Kraev e Samuel Lino).

Treinador: Vítor Oliveira.

Árbitro: Vítor Ferreira (Associação de Futebol de Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Suliman (28) e Bruno Duarte (70).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 20h07)

Continuar a ler

Futebol

Gomes reeleito para último mandato na FPF

Candidato concorreu sem oposição

em

Fernando Gomes. Foto: DR

Fernando Gomes foi reeleito hoje presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), até 2024, na Assembleia-Geral eleitoral do organismo, à qual concorreu sem oposição para um terceiro e último mandato.

Aos 68 anos, Fernando Gomes foi reeleito pela terceira vez para o cargo, para um mandato até 2024, pela segunda vez sem oposição, depois de ter vencido as eleições de 2011 frente a Carlos Marta.

A direção foi eleita com 74 votos a favor (90,2%), três em branco e cinco nulos, sendo que votaram 82 dos 84 delegados inscritos.

O antigo avançado Hélder Postiga é uma das novidadades na direção, na qual estará juntamente com os repetentes Humberto Coelho, João Vieira Pinto, Pedro Pauleta, José Couceiro, Pedro Dias, Mónica Jorge e Rui Manhoso.

Além do antigo internacional, também José Alberto da Costa Ferreira, que presidia à associação de Viseu, surge no elenco diretivo, do qual se registam as saídas de Carlos Coutada, Elísio Carneiro, que transita para o Conselho Fiscal, e Júlio Vieira, assim como de Hermínio Loureiro, que deixou a FPF na sequência da acusação do Ministério Público na operação ‘Ajuste Secreto’, e que foi ‘substituído’ por Couceiro.

Cláudia Santos é a cabeça de lista para o Conselho de Disciplina (CD), para suceder a José Manuel Meirim, Luís Verde de Sousa vai liderar o Conselho de Justiça (CJ), enquanto José Fontelas Gomes, Ernesto Ferreira da Silva e José Luís Arnaut se mantêm como líderes dos restantes órgãos, casos de Conselho de Arbitragem (CA), Conselho Fiscal (CF) e Mesa da Assembleia-Geral (MAG), respetivamente.

Continuar a ler

Futebol

“Jogando melhor ou pior”, o que Petit quer é vencer o Moreirense

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Belenenses SAD, Petit, realçou hoje a importância de vencer nesta fase, independentemente da exibição, diante do Moreirense, na 31.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

“Tivemos cinco dias para nos focarmos no Moreirense, uma equipa boa, bem orientada e com qualidade. Analisámos e corrigimos o que não fizemos tão bem e preparámos o jogo dentro das nossas ideias, não fugindo muito ao nosso padrão. O mais importante nesta fase é lutar pelos três pontos, jogando melhor ou pior, é a atitude e a intensidade”, frisou.

Em conferência de imprensa de antevisão à partida que encerra a jornada, Petit encara o encontro com responsabilidade, tendo em conta as derrotas de Portimonense, Tondela e Vitória de Setúbal, adversários diretos na luta pela manutenção.

“[As derrotas dos adversários diretos] Dá-nos a responsabilidade de amanhã [sábado] fazermos o nosso trabalho. Passa por fazer um bom jogo, trabalhámos aspetos físicos, mentais e táticos. Os jogadores deram uma boa resposta e vamos lutar pelos três pontos”, reforçou.

Os ‘cónegos’ estão em posição confortável na tabela classificativa, com a manutenção garantida e sem estar intrometidos na luta por um lugar europeu, e Petit apelou ao equilíbrio nos vários momentos do jogo, que será “uma final”.

“[O Moreirense] Está numa fase equilibrada em termos emocionais, tem jogadores de qualidade e processos bem definidos. Tem de haver um equilíbrio, concentração nas bolas paradas. Do outro lado, é uma equipa com qualidade, que sofre poucos golos”, alertou.

Depois da pesada derrota na visita ao líder FC Porto (5-0), num jogo marcado pela ausência de guarda-redes suplente, devido ao teste positivo à covid-19 de João Monteiro, que colocou André Moreira em isolamento profilático, Petit realçou a necessidade de ter jogadores “frescos” na ‘reta final’ de uma época desgastante.

“Tem sido um desgaste enorme ao longo desta época, com muitos jogadores lesionados e com a paragem do campeonato. Sabemos que temos três jogos pela frente e todos os jogadores são importantes”, afirmou, sem revelar se Gonçalo Silva e Silvestre Varela estarão aptos para a partida.

De fora, estão confirmados os defesas Eduardo Kau, Tomás Ribeiro, Chima Akas e Francisco Varela, que constam no boletim clínico dos ‘azuis’.

A formação lisboeta realiza hoje novo teste de despistagem à covid-19, a 24 horas do encontro, de acordo com o protocolo, com os resultados do teste a determinarem a possibilidade de André Moreira poder constar da ficha de jogo ou então a inscrição de outro guarda-redes, consoante a decisão da Liga de clubes e da Direção-Geral da Saúde.

O Belenenses SAD, 14.º classificado, com 31 pontos, recebe no sábado o Moreirense, oitavo, com 39, na Cidade do Futebol, em Oeiras, em jogo de encerramento da 31.ª jornada, às 19:15, com arbitragem de Luís Godinho, da Associação de Futebol de Évora.

Continuar a ler

Populares